Marquinhos Santos lamenta chances perdidas e reclama da arbitragem: "Mexeu com o time"

Treinador do Figueirense questionou as expulsões e o pênalti em Rafael Silva na derrota para o Atlético-MG em Belo Horizonte; Alvinegros seguem na zona de rebaixamento com 32 pontos na 18ª colocação

Marquinhos Santos lamenta chances perdidas e reclama da arbitragem: "Mexeu com o time"
Marquinhos Santos lamenta mais uma derrota do Figueirense. (Foto: Divulgação/Figueirense FC)

O Figueirense bem que tentou, mas não conseguiu parar o forte Atlético-MG no Independência e foi derrotado por 3 a 0, se complicando ainda mais no Campeonato Brasileiro. Com a derrota, o time catarinense chega à cinco jogos sem vitória e está à cinco pontos do Sport, o primeiro time fora da zona de rebaixamento.

Marquinhos Santos, treinador do Figueirense, lamentou o resultado negativo e as chances perdidas pelo time. "Temos que separar o resultado do jogo. O resultado não demonstra o que foi o jogo. Eu tive que parabenizar os atletas pela postura. O time jogou, o time teve oportunidades, criou. Nós, dentro da possibilidade, montamos uma estratégia para suportar o início da partida. Depois colocamos a bola no chão, fizemos trocas de posicionamento, foi um time consciente. Até os erros da arbitragem, estava equilibrado. Sentimos o gol, mas no momento em que precisávamos da finalização e arremate final, nós pecamos também. Criamos e poderíamos ter empatado, não dá só para transferir para a arbitragem. O time sentiu, é preciso ser realista e é preciso ser frio", disse o comandante.

O treinador não ficou insatisfeito apenas com as chances que o Figueirense perdeu no jogo, mas também com a arbitragem. De acordo com o treinador, houve pênalti não marcado em cima de Rafael Silva e do lance em que resultou o primeiro gol dos mineiros.

"O primeiro gol, para mim, não foi falta. O Josa trava na bola, e ali já foi um erro que ocorreu. No lance do Rafael Silva eu entendo que tenha ocorrido a penalidade, o Victor esqueceu a bola e interceptou a jogada. Dentro da área é pênalti. Isso mexeu com a equipe, foi difícil preparar a equipe no intervalo para o segundo tempo. São detalhes que vão dificultando, e temos que estar preparados esse ambiente hostil, e isso não é de agora. Estamos tentando, gostaria de ter tido uns três ou quatro meses de trabalho, e o Figueirense não estaria nessa condição", disse o treinador.

Sabendo das dificuldades que ainda virão para o Figueirense nessa reta final de campeonato, Marquinhos diz que ainda confia em seus jogadores e que irá brigar até o final: "Temos feito trabalhos técnicos, os atletas têm buscado evolução. É um período difícil de temporada. Até que estamos tendo felicidade nisso, é pouco tempo. Eu acredito, ainda está em aberto, eu creio que vamos até a 38ª rodada. E vamos com esses atletas juntos, temos que continuar evoluindo e deixar a arbitragem de lado. Temos que abrir o placar, isso é importante, para dar tranquilidade.", afirmou.

Faltam 13 pontos para que o Figueirense consiga alcançar os 45 pontos, média necessária para que uma equipe escape do rebaixamento. Marquinhos Santos acredita que nesse ano, a média fique menor: "Pelo que tenho disputado, eu tenho dito. Que a linha de corte desse ano seja menor, pela disputa. Então a tendência é ter um corte mais baixo de pontos. Estamos trabalhando ainda nos 45, mas pode ser que fique mais baixo.", completou.

No próximo sábado (29), o Figueirense joga diante do Grêmio, às 19h30, no Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis.