Sem dificuldade, XV de Piracicaba goleia Ponte Preta
Jogadores da Ponte ficam devendo em Piracicaba. (Foto: Michel Lambstein / XV de Piracicaba)

O XV de Piracicaba goleou a Ponte Preta por 4 a 1, na última quinta-feira (30), jogando no Estádio Barão de Serra Negra, em Piracicaba (SP), em partida válida pela quarta rodada do Campeonato Paulista.

Com o resultado, o XV é o segundo do grupo B, com 6 pontos. A Ponte Preta assume a terceira posição do grupo C, com 3 pontos. O próximo compromisso das equipes será no domingo (2). O XV de Piracicaba enfrenta o Paulista, no Jayme Cintra, às 19h30. Já a Ponte encara o Corinthians, no Moisés Lucarelli, às 17h.

Etapa morna e placar fechado

O primeiro tempo entre XV de Piracicaba e Ponte Preta teve pouquíssimas chances claras de gol. O Nhô Quim, com a vantagem de mandante, teve um maior domínio territorial da partida. Foi uma pressão que ocupou em boa parte do tempo o campo da Macaca, mas não gerou grandes resultados. O 4-2-2-2 do XV deu muita liberdade aos laterais Paulo Henrique e Fabiano.

Aos 11 minutos, Fabiano deu o drible da vaca em Ferrugem, chutou forte cruzado e Diego Sacoman rebateu mal a bola; na sobra, Cafu chutou e o zagueiro da Ponte Preta resvalou a cabeça na bola. Dois minutos depois, na bola parada, o time da casa chegou perto com Rodolfo, depois de um cruzamento do lado direito do campo.

A Ponte equilibrou o jogo depois dos vinte minutos. O sistema 3-4-1-2 deixava Adrianinho sozinho, pois os laterais não conseguiam apoiar. A Macaca quase não assustava o goleiro Márcio, apenas com bola parada. Aos 25, o lateral Paulo Henrique fez uma grande jogava e Adilson tentou de voleio, mas sem tanta força. O lance mais perigoso foi no último lance do primeiro tempo. Em cruzamento de Adriano Ferreira, Pitty subiu mais alto que todos. A bola resvalou no travessão e saiu.

XV goleia e convence

O segundo tempo começou de grande forma para o XV. Aos 27 segundos, no primeiro lance da etapa complementar, Gilsinho lançou o volante Adriano Ferreira, que chutou no canto alto do goleiro Roberto, fazendo um belo gol. O time mandante saía na frente.

O Nhô Quim continuou sendo perigoso em contra ataques. Aos oito minutos, em jogada de Fabiano, Adilson não conseguiu completar o cruzamento. Quatro minutos depois, em uma jogada rápida, Cafu não conseguiu o domínio em que ele ficaria cara a cara com o goleiro da Macaca. A Ponte, tímida, pouco conseguia chegar.

Aos 17 minutos, em um dos poucos momentos de inspiração da equipe de Campinas, Adrianinho cobrou uma falta e o Márcio foi obrigado a se esticar inteiro. Era a primeira chance dos visitantes. Então, Sidney Morais, técnico da Ponte mexeu; tirou Ferrugem e Adrianinho para a entrada de Rossi e Tchô. A Macaca mantinha os três zagueiros, dando muita liberdade aos seus laterais.

O XV continuava sendo perigoso em suas descidas ao ataque. Aos 29, a Ponte Preta mexeu pela última vez, quando o treinador sacou Bruno Silva e colocou Ademir. O time campineiro melhorou e começou a dominar as ações da partida, obtendo maior posse de bola, mas não assustava a defensiva do Nhô Quim.

Aos 35 do segundo tempo, Cafu fez uma jogada pelo lado esquerdo do campo e a bola bateu no braço de Diego Sacoman, fazendo com que o juiz Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral assinalasse penalidade máxima. Cafu bateu alto no canto direito de Roberto, sem chances. Os piracicabanos faziam 2 a 0 no visitante.

Seis minutos depois, Cafu puxou um contra-ataque e deslocando Roberto, marcou o seu segundo da partida, fazendo 3 a 0 para a equipe de Piracicaba. A Ponte ficou com 10, após a expulsão de Alef, e houve espaço pra mais um. Em grande arrancada de Gilsinho, ele cruzou e Pipico completou, fazendo o quarto gol. Aos 46, houve mais um pênalti, agora para a Ponte Preta. Alemão cobrou no meio do gol, diminuindo o placar. Resultado final: 4 a 1 para o XV de Piracicaba.

VAVEL Logo