Sport volta a vencer e complica situação do Criciúma no Brasileirão
Foto: Marlon Costa/FPF

Na tarde desse domingo (31), o Sport recebeu o Criciúma na Ilha do Retiro com a vitória sendo o único resultado interessante para as duas equipes. A festa em Recife foi para os donos da casa, que venceu por 2 a 0, com gols de Neto Baiano Danilo.

Com o triunfo, o Leão vai chegando na 7ª colocação, com 28 pontos. O Tigre, por outro lado, segue abrindo a zona de rebaixamento na 17ª posição, com 17 pontos ganhos.

Agora, os times voltam a jogar no meio da semana pela Copa Sul-Americana. Enquanto os pernambucanos vão até Salvador encarar o Vitória no Barradão, na próxima quarta-feira (3), às 22h, os catarinenses vão até São Paulo enfrentar o São Paulo, no Morumbi, na quinta-feira (4) às 20h.

Equipes criam, mas levam azar nas finalizações

Precisando vencer para se reabilitar no campeonato, as duas equipes começaram um jogo equilibrado no meio-campo, sem muitas emoções e com poucas oportunidades de ataque criadas. A primeira delas, no entanto, foi dos visitantes. Em jogada veloz, Cléber Santana invadiu a defesa leonina e chutou, mas Magrão estava atento para cortar o perigo.

Pouco depois, Eduardo Baptista foi forçado a realizar uma substituição inesperada. Após levar uma pancada de Serginho, o meia rubro-negro Diego Souza sentiu a coxa e deu lugar a Zé Mário. Com a entrada do atleta, o Leão passou a ter mais posse de bola, mas sem muita criatividade no ataque. O primeiro bom momento dos mandantes veio somente com meia hora de bola rolando. Aproveitando uma bobeira ofensiva do Tigre, Felipe Azevedo arrancou bem em contra-ataque e deu bom passe para Zé Mário que, livre de marcação, chutou fraco e para fora, mas assustando a meta defendida por Luiz.

Seguindo forte e impulsionado pela torcida, os anfitriões fizeram uma blitz com duas grandes oportunidades. Arriscando despretenciosamente de longe, Renê tentou surpreender e o arqueiro aurinegro cortou para escanteio. Na cobrança de Danilo, Rithely subiu mais alto e cabeceou raspando o poste.

Nos minutos finais, três sustos do Criciúma. O primeiro ocorreu após saída de bola errada do Sport e pela esquerda, quando Cortez cruzou, a bola atravessou toda a extensão da pequena área e Rafael Costa chegou de surpresa na segunda trave finalizando de primeira, mas acertou o travessão.

No segundo, Cléber Santana tentou arriscar da entrada da área e assustou o camisa 1 do Leão da Ilha. Em seguida, após cobrança de tiro esquinado, Fábio Ferreira subiu e viu a bola beijar a trave, mas com a defesa conseguindo afastar em seguida.

Sport marca duas vezes no início e sacramenta a vitória

Insatisfeito com a atuação de Zé Mário no primeiro tempo, Baptista optou por retirar o meio-campista ainda no intervalo. Em seu lugar, entrou o lateral-direito Patric, que ficou responsável por atuar mais ofensivamente e sem muitas preocupações na marcação, ponto criticado no jogador.

Demonstrando mais vontade na etapa final, o Leão fez uma blitz e marcou dois gols em dois minutos. Com sangue nos olhos, Patric cobrou falta na pequena área e Danilo cabeceou, mas Luiz espalmou. Aproveitando o rebote, Neto Baiano completou para o fundo dos barbantes após oito jogos sem marcar. Pouco depois, o mesmo Patric lançou Felipe Azevedo. O atacante serviu Danilo, que só teve o trabalho de chutar na saída do arqueiro do Tigre e marcou o segundo tento.

Indo em busca de aumentar ainda mais a vantagem, os pernambucanos chegaram perto do terceiro gol, em mais uma participação de Patric. Dessa vez, o ala leonino recebeu de Renê e chutou cruzado, mas o camisa 1 cortou.

Tentando voltar à partida, o interino Wilson Vaterkemper resolveu arrumar a marcação pelos lados colocando o lateral Giovanni na vaga deixada por Serginho, e tentar dar velocidade ao ataque colocando o atacante Maurinho no lugar de Rafael Costa.

O comandante leonino, por outro lado, optou por fechar o meio-campo e procurando dar mais fôlego à sua equipe ao colocar o volante Augusto, tirando de campo Vitor, já esgotado nas limitações físicas e sem muita opção para criação.

Nos últimos instantes, os times estavam limitados e sem muita criatividade para armar as jogadas de ataque, fator que fez o Leão da Ilha afastar qualquer princípio de crise diante de seus torcedores, enquanto o Tigre catarinense pecou em falhas defensivas e seguiu em situação complicada.

VAVEL Logo