Alisson comemora bom momento na Seleção: "Espero que seja uma evolução constante"
""Fiz bem meu papel aqui na Seleção. Tudo que o Dunga me pediu pra fazer em campo eu fiz", disse o arqueiro colorado

O Brasil venceu o Peru por uma margem segura: 3 a 0. Mas se engana quem pensa que o goleiro canarinho foi pouco exigido. Alisson praticou defesas providenciais, evitou um placar adverso para o escrete brasileiro e foi bastante elogiado por cumprir bem seu papel.

Na saída dos vestiários, o arqueiro fez uma autoavaliação positiva de seu desempenho na partida válida pela quarta rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018"Fiz bem meu papel aqui na Seleção. Tudo que o Dunga me pediu pra fazer em campo eu fiz. Hoje fico muito feliz por essa vitória por 3 a 0. É sempre importante não sofrer gols, então hoje a equipe tá de parabéns. Encerramos o ano com uma vitória, convencendo a torcida, que gostou do que a gente fez em campo. Isso é muito importante", comentou.

Evidentemente, o goleiro do Internacional enalteceu o bom momento pelo qual passa na Amarelinha. "Espero que seja uma evolução constante. A gente trabalha pra isso", enfatizou.

O jogador admitiu as dificuldades enfrentadas na partida desta terça-feira (17), na Arena Fonte Nova. E comparou o desempenho de hoje com os dos jogos anteriores, contra Venezuela e Argentina. "Foi o jogo que fui mais exigido com finalizações diretas. Mas analiso friamente o jogo em si. Não só as finalizações, mas também situações em que trabalho com interceptações, com lançamentos. Foram jogos distintos. No primeiro jogo (diante da Venezuela) trabalhei mais com os pés. No segundo jogo já interceptei mais lançamentos, pois a Argentina é um time que lança muito. E hoje pude atuar de uma forma mais direta", avaliou.

Alisson também atribuiu o placar zerado dos peruanos à atuação dos outros jogadores de defesa. "Com a ajuda dos meus defensores, saímos com o placar zerado", disse.

E garante: não defende a meta da Seleção Brasileira somente por já ter trabalhado com o técnico Dunga no Inter, mas também pelo que apresenta nos treinamentos. "O Dunga já me conhecia. Ele que me colocou pra jogar no Internacional. Minha estreia foi com ele. Mas eu creio que o que eu venho apresentando no dia-a-dia, nos jogos, é uma consequência do que faço nos treinos. Então eu creio que eu convenci ele pelos meus treinamentos, fazendo um bom trabalho e me dedicando no dia-a-dia, fazendo por merecer essa vaga que é muito concorrida por grandes goleiros", sublinhou.

Como de praxe, o colorado elogiou Taffarel, ex-Internacional e Seleção e hoje treinador de goleiros do Brasil. "O Taffarel tá sempre no meu pé, independente de atuação. Se eu tô bem ou não, ele tá sempre me cobrando. Já é um amigo que ganhei no futebol. Uma grande pessoa", pontuou.

VAVEL Logo