Com mudanças em três setores, Brasil fecha preparação para amistoso diante da Rússia
Seleção Brasileira treinou no campo do Spartak Moskva para amistoso diante da Rússia (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

Faltam 83 dias para a Copa do Mundo. A expectativa dos torcedores brasileiros para a Canarinho levantar a taça pela sexta vez e manter o algoz de "país do futebol" é enorme. Dentro desse cenário de preparação para a estreia na competição, no dia 17 de junho, frente à Suíça, os comandados do técnico Tite têm dois testes importantes no meio do caminho. O primeiro deles será nesta sexta (23) diante da anfitriã do Mundial de 2018, a Rússia, às 13h, no Estádio Luzhniki.

Os atletas brasileiros começaram a chegar em Moscou no domingo (18), onde se encontraram com a comissão técnica e já iniciaram os trabalhos para o jogo contra os russos. Os jogadores não tiveram que se preparar somente para a partida, mas também para o frio.

Durante a semana de treinamentos, os termômetros quase sempre ficaram abaixo de zero, chegando à sensação térmica de -14°C. Espera-se que, no horário do jogo, a temperatura fique na casa de zero grau. Fora o frio, a Seleção Brasileira teve alguns imprevistos no percurso devido a lesões.

O lateral-esquerdo Filipe Luís sofreu uma fratura na fíbula quando defendia o Atlético de Madrid na Liga Europa e teve que ser cortado. Para o seu lugar, foi chamado Alex Sandro, que atualmente disputa a segunda vaga da posição na lista final com o próprio Filipe, mas o jogador também foi cortado por lesão muscular. Nessas circunstâncias, a comissão técnica resolveu dar uma chance a Ismaily, atualmente no Shakhtar Donetsk, convocado pela primeira vez.

Brasil tem novidade na escalação

O time que vai iniciar a partida diante da Rússia terá novidades nos três setores do campo. Com a ausência de Neymar, Douglas Costa deve entrar no time pelo lado esquerdo. Quem também conseguiu uma vaga a formação principal foi Willian, que faz a melhor temporada da carreira defendendo o londrino Chelsea.

Gabriel Jesus completa a trinca ofensiva. Já Philippe Coutinho foi deslocado da direita do ataque para compor o meio de campo no lugar de Renato Augusto junto aos volantes Casemiro e Paulinho. Tite garantiu que, apesar do time ter uma composição mais ofensiva, Paulinho, que tem como ponto forte sua infiltração, não vai ficar preso somente com a responsabilidade de marcar.

O técnico brasileiro também destacou que, mesmo mantendo o mesmo esquema de jogo, vão acontecer variações táticas por causa das diferentes características dos atletas que assumirão suas posições.

(Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

Na defesa, a novidade ficou por conta da troca entre Marquinhos e Thiago Silva. Em entrevista coletiva, Tite explicou a opção dizendo que Marquinhos (que vem de contusão) atuou em apenas um dos últimos oito jogos do Paris Saint-Germain, enquanto Thiago, que faz dupla com Marquinhos no time francês, esteve presente em todas as oportunidades. Por isso, a comissão técnica entende que, neste momento, o nível de competitividade de Thiago Silva esteja mais alto.

Dessa maneira, o time titular deve ter: Alisson; Daniel Alves, Thiago Silva, Miranda e Marcelo; Casemiro, Paulinho e Philippe Coutinho; Willian, Gabriel Jesus e Douglas Costa. Muitos que acompanham a Seleção Brasileira esperavam por esse quarteto ofensivo (com Neymar no lugar de Douglas Costa). Agora, a expectativa é para ver como essa composição vai se portar dentro de campo no amistoso de amanhã.

Rússia aposta em destaque de Smolov

O objetivo declarado da Rússia na Copa do Mundo é não fazer uma campanha vergonhosa. Chegar às oitavas de final seria encarado como um grande resultado. Por ser a anfitriã do Mundial, a Seleção Russa já teve classificação garantida na competição. Sem participar das Eliminatórias, a preparação da aquipe comandada pelo técnico Stanislav Tchertchesov se concentrou na Copa das Confederações de 2017 e em jogos amistosos.

Uma das razões para a comissão técnica do Brasil querer fazer um amistoso contra a Rússia, além de se ambientar com o clima (literalmente falando) da Copa, é o fato da Seleção Russa jogar com uma linha defensiva de cinco marcadores. Tite acredita que brasileiros irão enfrentar essa retranca algumas vezes no Mundial.

(Foto:Grigory Dukor/Reuters)

Mas nem só de defesa vive a Rússia. Fyodor Smolov, atacante de 28 anos, é um dos destaques da Seleção. Em um dos melhores jogos da Rússia nessa preparação, empate em 3 a 3 diante da Espanha, Smolov marcou duas vezes para os russos. Há três temporadas no Krasnodar, o atacante mantém boa média de gols no Campeonato Russo.

Na temporada 2015/16, fez 44 jogos e 24 gols (com uma média de 0,54 gols por jogo), na de 2016/17 fez 35 jogos e 25 gols (com uma média de 0,78 gols por jogo) e na temporada atual fez 18 jogos, marcando 12 gols (uma média de 0,66 gols por jogo).

O desfalque ficou por conta de outro destaque, o atacante Alexander Kokorin, do Zenit. O atleta jogava as oitavas de final da Liga Europa diante do time alemão Leipzig, quando foi disputar uma bola e acabou torcendo o joelho.

VAVEL Logo