Eficiência na bola parada e Ronaldo inspirado: Vitória supera Bahia no primeiro Ba-Vi de 2020
Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia

O clichê aponta que detalhes definem clássicos. São nesses jogos de maior rivalidade que a igualdade de condições é posta e não leva em conta a fase recente vivida pelos clubes. O primeiro Ba-Vi de 2020 teve muitos detalhes a serem apontados. Mas o principal é o resultado. Mesmo com poucas finalizações, mas eficiente nos lances de bola parada, o Vitória levou a melhor e venceu o Bahia por 2 a 0, com gols marcados por Thiago Carleto e Vico ainda no primeiro tempo. O clássico foi disputado na noite deste sábado (8), na Arena Fonte Nova, em Salvador/BA, pela terceira rodada da Copa do Nordeste 2020.

Com o resultado, um longo jejum foi encerrado. O Leão da Barra pôs fim a uma sequência de 12 jogos sem vencer o arquirrival. Além disso, saltou para a vice-liderança do Grupo B, com cinco pontos ganhos, ainda invicto no torneio. Por outro lado, a crise está definitivamente instalada no Esquadrão de Aço. Após ser eliminado na primeira fase da Copa do Brasil pelo River e perder o clássico diante de sua torcida, a cobrança sobre Roger Machado aumenta em meio a jogos importantes do primeiro semestre.

Os times voltam a entrar em campo no meio da semana. O Vitória enfrenta o Imperatriz no Estádio Frei Epifânio, em Imperatriz/MA, às 21h30 da próxima terça-feira (11), pela primeira fase da Copa do Brasil. Por sua vez, o Bahia entra em campo às 21h30 da quarta-feira (12) e enfrenta o Nacional/PAR, em sua estreia na Copa Sul-Americana.

Eficiente na bola parada, Vitória constrói vantagem

Em um jogo que começou bem agitado, com toques de bola dos dois lados, o Bahia sentiu o peso nas costas de manter a invencibilidade e no caso do Vitória isso serviu como estimulo para lutar pelo triunfo. Dentro das quatro linhas, o Esquadrão de Aço usou o lado esquerdo do campo para chegar na área do adversário. No entanto, o Leão foi o que chegou primeiro em um chute que bateu na trave do goleiro Douglas.

O diferencial do visitante no primeiro tempo foi o arqueiro Ronaldo. O goleiro rubro-negro fez defesas providenciais o tempo todo e, por mais que o Bahia chegasse com frequência ao campo ofensivo, não passou pela última barreira.O Bahia teve algumas oportunidades de abrir o placar, mas desperdiçou as chances por ansiedade de finalizar positivamente. A ânsia por balançar as redes fez com que o time deixasse Thiago Carleto livre. 

Aos 23 minutos da primeira etapa em uma cobrança de falta, o próprio lateral chutou forte no canto direito e calou a torcida tricolor presente na Arena Fonte Nova em mais um lance de falha do goleiro Douglas Friedrich. E aos 40 minutos, quase que Carleto em nova cobrança de falta faz o segundo, mas Douglas defendeu. No escanteio após a falta, o lateral-esquerdo mandou na cabeça de Vico. Pequeno entre os altos zagueiros tricolores, o atacante se sobressaiu e ampliou a vantagem ainda na etapa inicial.

Mudanças sem efeito e "Adeus, Roger"

Em desvantagem no placar, o técnico Roger Machado fez mudanças pontuais no retorno do intervalo para aumentar a velocidade e eficiência no ataque. Saíram Clayson e Daniel, entraram Arthur Caíke e Rossi.O Bahia teve uma oportunidade de igualar o placar na cobrança de escanteio, onde Juninho subiu e cabeceou. No entanto, Ronaldo fez boa defesa mais uma vez e evitou o gol.

Sem dúvidas, o goleiro rubro-negro estava com a estrela brilhando já que salvou o time não uma, mas várias vezes e o Tricolor tentou até o final da partida sem êxito.Impacientes aos 36 minutos, os mais de 26 mil torcedores presentes no estádio perderam a paciência e deixaram explícito o alvo de toda a insatisfação ao pedirem a saída de Roger Machado com o grito de "Adeus, Roger".

VAVEL Logo