Capitão contra a Inglaterra, Daniel Alves volta a falar em Gabriel Jesus como "novo Ronaldo"

Nesta terça, lateral será o 15º atleta a carregar a braçadeira de capitão da Canarinho desde a chegada de Tite

Capitão contra a Inglaterra, Daniel Alves volta a falar em Gabriel Jesus como "novo Ronaldo"
Daniel Alves será o capitão do Brasil contra a Inglaterra (Foto: Reuters)

A Seleção Brasileira terá seu primeiro compromisso contra um time europeu desde que o técnico Tite assumiu o comando do grupo. O duelo será contra a Inglaterra, nesta terça (14), às 18h (de Brasília), no estádio de Wembley, em Londres. A partida serve de preparação para a Copa do Mundo de 2018, torneio para o qual a Canarinho já garantiu classificação. Segundo o lateral Daniel Alves, a 'missão europeia' não será tão distante do que os comandados de Tite já viveram.      

"Não é tão diferente do que estamos acostumados a enfrentar. Os adversários sul-americanos e de outros continentes são tão difíceis quanto esse, mas para diversificar adversários, entender a forma de outras escolas. Você tem que enfrentá-los, mas não é mais difícil nem mais fácil. São testes que servem de preparação para nossa Seleção, nosso fortalecimento é sempre tentar melhorar", afirmou.

Já em território inglês, o lateral teceu comentários sobre o momento do atacante Gabriel Jesus, que defende a camisa do Manchester City, "time da casa". Em outras oportunidades, Daniel chegou a afirmar que Jesus era o "Novo Ronaldo" e voltou a pontuar a comparação do garoto de 20 anos com o atleta ex-Inter de Milão, Real Madrid, Corinthians, dentre outros. Na atual temporada, Jesus marcou nove gols em 16 partidas disputadas.

"Pressão para quem vem de onde o Gabriel Jesus veio, e tudo que ele superou, acho que não existe. Ele faz o que ama. E, quando eu falei que para mim o Gabriel Jesus é o novo Ronaldo, eu não estava brincando. Eles têm qualidades similares, vontades similares, vai ser um dos grandes jogadores do futebol. Já é um dos grandes e vai ser maior. Está em boas mãos no City e na Seleção", observou.

Quando deixou a Juventus, Daniel Alves teve proposta do Manchester City, mas acabou escolhendo o PSG. Questionado sobre o retorno ao país no qual poderia ter atuado, o lateral se esquivou e preferiu focar apenas nos assuntos ligados à Seleção. "Vou pedir respeito a tudo que aconteceu e falar só da seleção brasileira, senão voltamos sempre à mesma coisa. Não é momento de falar de outra coisa além da Seleção e do jogo que temos contra a seleção inglesa. Vou me limitar a isso. Desculpa", colocou.

Contra a Inglaterra, Daniel será o capitão do Brasil, rodando mais uma vez a braçadeira. Contra o Japão, em amistoso realizado na semana passada, Willian ficou com a função. O lateral será o 15º em 17 jogos da Seleção com Tite a ser capitão da Canarinho.

"Acredito que, devido à experiência do professor, não focar a responsabilidade em apenas um atleta. Acreditamos que todos têm a mesma importância, independentemente de quem seja o capitão. É importante que cada um assuma sua responsabilidade. É evidente que é sempre um prazer usar a braçadeira, pelo que ela representa. É especial, mas não me sinto mais importante por ser capitão", disse.