Sem técnico definido, Vasco realiza treino sob comando de Jorge Luiz
Vasco treinou em São Januário neste domingo (31) (Foto: Divulgação/Vasco)

Tensão e pouco aproveitamento. Após a derrota histórica dentro de São Januário - 5 a 0 para o Avaí pela Série B do Campeonato Brasileiro -, a situação dos vascaínos nunca esteve tão complicada, tanto nos gramados quanto no meio político. Sem o treinador Adílson Batista, que deixou o clube horas depois da goleada, a equipe voltou a treinar neste domingo (31), sob o comando do auxiliar Jorge Luiz.  

O interino orientará o grupo até a contratação de um novo técnico. No treino, que durou cerca de uma hora e meia, houve uma reunião para discutir a respeito da partida decisiva desta terça-feira (2), às 19h30, na Arena das Dunas, contra o ABC. Sabendo que o jogo de ida resultou em um empate por 1 a 1 em São Januário, a equipe precisa vencer ou empatar por dois gols de diferenças ou mais, para garantir a vaga nas quartas de final da Copa do Brasil.

Entre as novidades no treinamento, estão a presença do volante Pedro Ken e o possível retorno do lateral Diego Renan já para terça-feira; ambos em processo de recuperação devido a lesões. Montoya, Guiñazu e Marlon, suspensos na última partida, treinaram normalmente. Os jogadores que atuaram contra o Avaí, neste sábado, fizeram um trabalho regenerativo na academia. 

Com a missão de passar confiança e motivação, o auxiliar Jorge Luiz comandou treino de cruzamentos: Jhon Cley e Diego Renan pela direita, enquanto MarlonHenrique na esquerda. Pensando no jogo decisivo da Copa do Brasil, também foram realizadas intensas cobranças de pênaltis. Destaque para as participações de Rafael Vaz, Montoya e Edmílson, por apresentarem um ótimo rendimento.

Sobre o possível nome a liderar o Vasco, não há nada certo. Rodrigo Caetano, diretor de futebol, lamentou pela saída de Adílson Batista e pediu entendimento e apoio da torcida. 

"Lamentavelmente, falo isso com toda a convicção que após o jogo, conversamos e uma decisão que pode ser de comum acordo, mas partiu muito por conta do Adilson, pensando no clube, pensando na instituição. Falo isso com muita tristeza. Parece que toda a responsabilidade em caso de sucesso recai em cima do técnico, e não é qualquer técnico. Eu peço para que esse ambiente externo, que faz hoje uma vítima, não faça outras. Eu quero que entendam que nós precisamos do apoio de todos. É com muito pesar que anuncio isso. Adilson honrou o clube. Isso nos faz repensar, inclusive nós profissionais. Nós compreendemos e aceitamos críticas na arquibancada. Sou contrário a esse tipo de mudança. Não tenho convicção de que é a melhor decisão", disse Caetano.

"Não pretendemos trabalhar em curto prazo. Não tem qualquer tipo de especulação. Foi uma decisão repentina. Podem pensar que é falta de planejamento, mas eu não trabalho desta forma. Não estávamos prevendo o pior. Confesso que eu não gostaria de estar aqui. A partir de agora vamos pensar nisso", concluiu, sem dar pistas.

O próximo treino será realizado na manhã desta segunda-feira (1), no estádio de São Januário. Será a última preparação antes da viagem para Natal.

VAVEL Logo