Kleina lamenta primeiro tempo ruim contra Atlético-PR e alerta: "Não podemos mais errar"
Leão melhorou na segunda etapa, mas não alcançou empate na Baixada (Foto: Gustavo Oliveira/Atlético-PR)

O Avaí viajou para Curitiba tentando quebrar o jejum de vitórias, ou no mínimo arranjar um ponto na Arena da Baixada, mas não conseguiu nenhum dos dois. A derrota por 2 a 1 para o Atlético-PR manteve o time com 35 pontos, em 16º lugar no Campeonato Brasileiro, mas ainda pode entrar no Z-4 caso o Goiás consiga pontuar na partida contra o Flamengo, no Maracanã.

Assista os gols de Atlético-PR 2x1 Avaí

O técnico Gilson Kleina atribuiu a derrota ao primeiro tempo ruim, onde o time saiu perdendo por 2 a 0, e diz que leva de bom pelo menos a reação ao longo do jogo.

"Dois tempos com posturas diferentes. A gente sabe que nosso erro tem que ser o mínimo, mas descompactamos. A movimentação do adversário foi melhor que a nossa e perdemos na última hora o Renanzinho, um jogador importante. Mas não encaixou. No segundo tempo conseguimos tirar a saída de bola dos volantes adversários, fomos mais organizados. Fica na reação, entramos no jogo quando fizemos o gol, tentamos com as substituições, mas não foi o suficiente. Perdemos por um primeiro tempo fora do normal", analisou. 

Kleina também explicou a escolha de última hora pelo atacante Anderson Lopes, que marcou o gol do Avaí, na vaga do volante Renan, que havia sido escalado, mas sentiu um desconforto no aquecimento pré-partida.

"Treinamos com o Anderson, com Tinga e Eduardo Neto. Treinamos pouco essa semana e não podíamos descaracterizar. Se eu coloco o Adriano, não teria transição, mexeria na posição. Decidimos pela entrada do Anderson e no intervalo falamos da postura de mexer no meio de campo, a compactação, chegamos mais e a equipe cresceu nesta situação. Entramos com o que a gente trabalhou", disse.

Com apenas quatro rodadas restantes, o Avaí precisa urgentemente voltar a vencer para tentar fugir do rebaixamento. Na próxima rodada, que acontecerá apenas no dia 18, o Leão recebe o Joinville em um confronto direto contra o rebaixamento, e a vitória e essencial na luta da equipe para permanecer na Série A.

"Nós que estamos no futebol temos que trabalhar com a pressão. Pedimos o apoio para o torcedor, ele é importante. Tem que conversar, manter o foco, é um momento difícil e esperamos fazer da Ressacada o nosso divisor de águas. Temos que mobilizar. A equipe volta na terça-feira, temos que entender que em casa não pode mais escapar. Vão restar 12 pontos e temos que tentar todos. Vamos fazer jogo a jogo e o mais importante desse ano agora é contra o Joinville", exaltou Kleina.

VAVEL Logo