Vasco da Gama é mais efetivo no segundo tempo, vence Sport e sobe na tabela
Foto: Carlos Gregorio Jr./ Vasco

O Vasco se reabilitou após a goleada sofrida para o Corinthians em casa, no meio de semana. Neste sábado (10), o Gigante conseguiu derrotar o Sport em São Januário, pelo placar de 2 a 1, voltando ao caminho das vitórias e conquistando três pontos importantes para a sequência da competição. Para o Rubro-Negro pernambucano só resta lamentar uma partida ruim da equipe, que viu o adversário, principalmente na segunda etapa, com mais ação e ímpeto, buscando a vitória.

Com o triunfo, o Vasco subiu para o oitavo lugar, somando agora nove pontos, mas podendo ser ultrapassado ainda por São Paulo, Ponte Preta, Botafogo e Cruzeiro, que somam, cada um, sete pontos ganhos. Já o Sport estaciona no 13º posto, também com sete pontos, mas podendo ser superado por Santos, Flamengo, Atlético-MG e Avaí, que seguem logo após.

Na próxima rodada o Vasco sai do Rio de Janeiro para enfrentar a equipe da Chapecoense, na Arena Condá, as 21h45 de quarta-feira (14). Mais cedo, na mesma data, o Sport pega o São Paulo, na Ilha do Retiro, às 19h30. Ambos os jogos se iniciam no horário de Brasília.

Em primeiro tempo frio, Vasco e Sport não saem do zero

Após o início avassalador do Corinthians, diante do Vasco, na última quarta, a equipe de Milton Mendes entrou em campo com um pouco mais de cautela, usando, desta vez, dois volantes. Jean e Wellington fizeram bem seus papéis durante todo o primeiro tempo, mas a falta de um jogador de criação mais agudo, como Nenê, por exemplo, fez o primeiro tempo ficar frio e sem emoções.

Até a primeira metade da etapa inicial, o Vasco mantinha a bola nos pés e o Sport não atacava, esperando exclusivamente chances advindas de contragolpes em velocidade, que foram raros durante o jogo. Por outro lado, o Vasco que tinha a bola, tentava achar espaços para a criação de jogadas, mas bem fechada, a equipe comandada por Luxemburgo se mantinha firme e bem postada, impossibilitando que o ataque vascaíno pudesse transpor a verdadeira parede criada pelo sistema defensivo.

A única ocasião de perigo criada pelos mandantes veio apenas nos minutos finais da primeira etapa, quando após levantamento na área por Matheus Vital, Jean dividiu com Durval e a bola sobrou limpa para Luís Fabiano, que chutou de “bate pronto”, no canto, mas Magrão, de forma espetacular, se esticou e salvou o que seria o primeiro gol vascaíno.

Vasco volta melhor, aperta Sport e arranca vitória em segundo tempo mais organizado

Após a conversa no vestiário, o Vasco retornou ao campo com mais garra e nos primeiros cinco minutos, conseguiu produzir mais do que em toda a primeira etapa. Ora com chegadas pelas laterais, ora com escoradas de Luís Fabiano, o Gigante ia chegando cada vez mais perto do primeiro gol do jogo.

Mas em um contra-ataque veloz, quase tudo vai por água para o cruzmaltino. Em bate rebate na área, a bola sobra para Thomas, que desvia buscando o cantinho direito de Martín, que apenas olha, torcendo para que a bola fosse para fora. Por muito pouco os visitantes não fazem a festa primeiro em São Januário.

Aos 15, Douglas Luiz consegue raro momento de liberdade e chuta, mas a bola desvia e vai para fora, no que seria fatalmente o gol da equipe vascaína. Contudo, dois minutos depois, Matheus Vital faz cruzamento de gente grande, colocando a bola com perfeição na cabeça de Luís Fabiano, que só teve o trabalho de testar no canto de Magrão, para abrir o placar. Festa nas arquibancadas de São Januário.

Quando o jogo já se encaminhava para o fim, aos 45’, o Vasco puxou contra-ataque rápido e, de pé em pé, a bola chegou até Douglas, que livre, bateu forte, para ampliar para o Vasco da Gama. Em ritmo de jogo resolvido, Gilberto driblou para o lado errado e, ao perder a bola, cometeu pênalti em Rogério, o sexto marcado contra os vascaínos no campeonato, uma média de uma penalidade por partida. Na cobrança, André, inapelável, deslocou Martín Silva, descontando para os visitantes, dando números finais ao jogo e carimbando a defesa cruzmaltina, que não passou nenhum jogo sem sofrer, ao menos, um gol. 

VAVEL Logo