Em duelo de forte marcação, Coritiba e Corinthians empatam sem gols
Foto: Divulgação/Coritiba

Na manhã deste domingo (18), em partida válida pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro, o Coritiba recebeu o Corinthians, no Couto Pereira, onde empataram sem gols, frustrando os torcedores que compareceram em grande número.

Com o resultado, o Coritiba chegou aos 15 pontos, continuando na terceira colocação da tabela. Já o clube paulista permanece na liderança, provisoriamente, com seus 20 pontos, podendo perder a posição para o Grêmio, que joga amanhã (19).

Na próxima rodada, as duas equipes voltam aos gramados na quinta-feira (22). O Coxa vai até a Arena do Grêmio, enfrentar o time da casa às 21h, enquanto o Timão receberá, em seus domínios, o Bahia, na Arena Corinthians, às 19h30.

Equilíbrio e marcação pesada é destaque no primeiro tempo

Antes do duelo iniciar, torcedores dos dois times se confrontaram fora do estádio e, com intervenção da polícia, os ânimos foram contidos. Outra curiosidade antes do jogo, foi que o Hino do Paraná e o Hino Nacional foram tocados sem a presença dos jogadores do Corinthians – em aquecimento no vestiário – no gramado, apenas com os do Coritiba perfilados em campo, atrasando o pontapé inicial.

Com a bola rolando, a equipe da casa propôs mais o jogo, tomando a iniciativa nos minutos iniciais, explorando as laterais do campo. Sem a bola, uma forte marcação alta era imposta, não dando espaços aos corinthianos. Desta forma, o Timão buscava jogar em contra-ataques velozes, porém muitas vezes sem sucesso, com Romero e Rodriguinho errando os passes finais.

Como o esperado, as defesas estavam prevalecendo no embate e os chutes de fora da área começaram a surgir, em lances com Henrique Almeida e Matheus Galdezani. Com a forte marcação, o número de passes errados (31 de um lado e 22 do outro), consequentemente, aumentou, dificultando o setor de criação dos times. O Coritiba tentava ser mais efetivo com a bola nos pés, mas esbarrava na defesa do Corinthians.

Na reta final da primeira etapa, o jogo seguia acirrado e lances de perigo mesmo, só foram vistos nos minutos finais. Aos 42 minutos, Henrique Almeida recebeu livre na direita, na única falha da zaga paulista até aqui, e chutou firme para grande defesa do goleiro Cássio. Porém no primeiro tempo, poucas finalizações aconteceram, nove, para ser mais exato e só uma na direção do gol.

Segundo tempo não muda e times pouco produzem

O alto índice de erros de passes e sucessivas dificuldades de criação, que ainda não tinham sido apresentadas pelas duas equipes no campeonato, continuaram a ganhar força no segundo tempo. O único lance de destaque antes dos 15 minutos, foi do zagueiro Marcio, que testou fraquinho, livre no segundo pau, nas mãos de Cássio, no meio do gol.

Aos 20, William Matheus carregou a bola pelo lado esquerdo e lançou para Henrique Almeida, que pegou bonito, de primeira, sem deixar a bola cair, tirando tinta da trave corinthiana. Na sequência, o nível técnico caiu um pouco e o jogo ficou mais faltoso, devido aos cartões amarelos aplicados, substituições foram feitas para controlar as ações.

Sem muitas chances dos dois lados, a partida se encaminhava para um equilibrado 0 a 0, até que , em boa troca de passes com Maycon na grande área, mandou a bola para o fundo do gol, porém o impedimento foi marcado e bastante contestado, aos 41 minutos. O bandeira erradamente anotou impedimento do camisa 7. Os times pareciam aceitar o resultado e os minutos finais foram pouco produtivos, fazendo Marcelo de Lima Henrique apitar no momento exato dos acréscimos combinados.

VAVEL Logo