Duelo de extremos: líder América enfrenta lanterna Náutico pela abertura do returno da Série B

Coelho quer vitória em casa para fazer manutenção da liderança; lanterna, Timbu visa terceiro triunfo consecutivo

Duelo de extremos: líder América enfrenta lanterna Náutico pela abertura do returno da Série B
Foto: Divulgação/Náutico
América
Náutico
América: João Ricardo, Zé Ricardo, Messias, Rafael Lima, Giovanni; Juninho, Ernandes, Renan Oliveira; Matheusinho; Luan, Hugo Almeida. Técnico: Enderson Moreira.
Náutico: Jefferson; Breno, Feliphe Gabriel, Aislan ; David, Bruno Mota, Amaral, Diego Miranda, Manoel (Henrique Ávila); Gilmar, Erick. Técnico: Roberto Fernando.
ÁRBITRO: Rodolpho Toski Marques, auxiliado por Rafael Trombeta e Victor Hugo Imazu.
INCIDENCIAS: Jogo válido pela 20ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, a ser disputado na Arena Independência, às 21h30 do dia 11 de agosto.

O momento do América-MG na virada do turno da Série B do Campeonato Brasileiro foi de deixar qualquer americano em êxtase. A equipe iniciou o torneio de forma instável, mas terminou o primeiro turno na liderança. Na ponta da competição, recebe nesta sexta-feira (11) o Náutico, lanterna, pela 20ª rodada do Brasileirão, na Arena Independência, às 21h30.

A ponta da tabela do campeonato, como citado, pertence à equipe mineira, que somou 36 até agora, com apenas três derrotas em 19 partidas. Virando a tabela, o Náutico é último colocado, com 14 pontos, tendo sido derrotado em jogos jogos até então no torneio.

O time mineiro vem de derrota para o CRB por 2 a 1, enquanto os pernambucanos chegam de vitória sobre o Luverdense por 1 a 0. O árbitro do jogo desta noite será Rodolpho Toski Marques, auxiliado por Rafael Trombeta e Victor Hugo Imazu.

Mudanças a vista?

O América pode entrar em campo na noite desta sexta com algumas mudanças. Uma delas, por exemplo, deve ser a entrada do volante Zé Ricardo na lateral direita da equipe, que tem Norberto voltando de lesão. Este já se recuperou, mas segue como dúvida para o confronto frente ao time pernambucano.

Um retorno concreto é do meia Renan Oliveira, que se recuperou de uma lesão no músculo adutor da coxa esquerda. Quando precisou se afastar devido a esse problema, era o artilheiro da equipe, mas já foi ultrapassado por Bill e Ruy. Estes dois não jogam nesta sexta, e por motivos diferentes. Bill está suspenso pela expulsão diante do CRB na última rodada, e Ruy está machucado.

A provável escalação do América para o confronto com o Náutico, que tem Hugo Almeida no lugar de Bill, pode ser: João Ricardo, Zé Ricardo, Messias, Rafael Lima e Giovanni; Juninho, Ernandes, Renan Oliveira e Matheusinho; Luan e Hugo Almeida.

O Náutico é uma equipe de tradição e merece toda nossa atenção. Vem de duas vitórias seguidas, com um novo treinador e uma nova filosofia. A nossa expectativa, sem dúvidas, é de um jogo extremamente difícil. Não vejo diferença entre times que estão na parte de baixo e os que estão na parte de cima da tabela. Não esperamos um jogo fácil, de maneira alguma. Com certeza, será um dos mais difíceis”, disse o técnico Enderson Moreira.

Três zagueiros ou 4-4-2?

Embalado após duas vitórias seguidas, o Náutico visa surpreender o América-MG, no Horto, e amenizar seu calvário na Série B. O Timbu tem 14 pontos e é o lanterna da competição. Ainda que vença o Coelho, não deixará a última posição, já que está a quatro pontos do ABC, 19º colocado.

Técnico da equipe alvirrubra, Roberto Fernandes viajou para Minas Gerais com a equipe definida. Resta saber qual será o esquema tático que ele adotará para a equipe. Na última rodada, o Náutico utilizou o 4-4-2 para bater o Luverdense, na Arena de Pernambuco. Já para o embate diante do América, um sistema de três zagueiros pode ser implantado ao time.

Com isso, o zagueiro Aislan começaria jogando. Mas, caso Roberto Fernandes queira seguir jogando no 4-4-2, o volante William Schuster seria titular. Independente de quem entrar, o treinador quer que ajude a dar equilíbrio à equipe.

Tudo tem, pelo menos, dois lados”, disse. “Nas duas situações, nós temos vantagens e desvantagens. Não viajo com dúvida. Os atletas têm de estar conscientes do que terão pela frente. O que a gente busca é o equilíbrio e mexer menos na equipe, mas preciso entender que não é o momento de ter um time definido e falar que o Náutico joga de uma maneira. Precisamos, principalmente, nos jogos fora de casa, nos adaptarmos ao adversário”, analisou.

Apesar da boa fase – dois triunfos consecutivos –, Roberto Fernandes vê o América-MG favorito para o confronto. O time alviverde é dono do segundo melhor aproveitamento como mandante nesta Série B – são seis vitórias e somente uma derrota em dez jogos.

Como treinador, não conheço jogo que você não dispute para ganhar. Mas a gente sabe que não vai ganhar todos, mesmo na situação do Náutico, que tem uma necessidade de ganhar muito grande. E uma coisa que a gente faz internamente é dentro das 19 partidas, ver quais a gente considera mais difíceis. E nesse tipo de partida, você tem duas chances: ou vai como franco atirador, ou você vai tentar jogar no erro do adversário. Em qualquer uma das duas circunstâncias, o América-MG é favorito”, afirmou o comandante.