Avaí e Oeste ficam no empate em jogo equilibrado e ainda seguem próximos ao Z-4

Rubrão sai em vantagem ainda no primeiro tempo, mas Leão busca igualdade e partida termina sem vencedor, seguindo histórico do duelo

Avaí e Oeste ficam no empate em jogo equilibrado e ainda seguem próximos ao Z-4
Foto: Jamira Furlani/AVAÍ F.C.
Avaí
1 1
Oeste
Avaí: Renan; Alemão (Tatá, min. 29), Fábio Sanches, Célio Santos e Capa; Luan, Jajá, Renato e Diego Jardel (Caio César, min. 74); Rômulo e Lucas Coelho (Tauã, min. 67). Técnico: Silas
Oeste: Felipe Alves; Betinho, Bruno Silva e Velicka; Danielzinho, Renan Mota (Felipe Diadema, min. 72), Mazinho (Francis, min. 81) e Marquinhos (Crysan, min. 86); Matheus Vargas e Marcus Vinícius e Léo Artur. Técnico: Fernando Diniz.
Placar: 0-1, min. 7, Renan Mota; 1-1, min. 30, Tatá
ÁRBITRO: Emerson de Almeida Ferreira (MG). Cartões amarelos: Tatá (min. 31), Lucas Coelho (min. 43), Bruno Silva (min. 80), Felipe Diadema (min. 82), Velicka (min. 84) e Célio Santos (min. 89)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 16ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro 2016, disputada no Estádio da Ressacada, em Florianópolis, Santa Catarina

Em briga na parte inferior da tabela, Avaí e Oeste se enfrentaram na noite desta sexta-feira (15) na Ressacada, em Florianópolis, pela 16ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro 2016. Seguindo à risca o histórico do duelo, as equipes fizeram um confronto sem vencedor, terminando empatado em 1 a 1. Tatá marcou o gol pelos mandantes, já Renan Mota descontou pelos visitantes.

Por conta da igualdade, os catarinenses ficam na 13ª posição, com 20 pontos, somando a mesma pontuação de Bahia e Vila Nova, atrás por ter um saldo inferior (cinco e zero, respectivamente), mas à frente do Paysandu, que tem -5. Os paulistas, porém, seguem na 14ª colocação e também com 20 pontos, entretanto tem -4 no saldo.

Os times voltam a campo, pela 17ª rodada da Segundona, na próxima semana. Os azulinos vão até São Lourenço da Mata encarar o Náutico na Arena de Pernambuco na sexta-feira (22), às 21h30, enquanto os rubro-negros duelarão com o Brasil na Arena Barueri, em Barueri, às 19h15 da terça-feira (19).

Oeste sai à frente, mas Avaí pressiona e acha empate

Apesar da proximidade na tabela, o Avaí demonstrou melhor postura ofensiva e deixou o Oeste recuado, sem liberdade para atacar. Antes mesmo dos cinco minutos, o Leão já havia chegado duas vezes à zona de ataque, mas sem conseguir levar perigo. A pressão, porém, foi boa aos donos da casa, que criaram o primeiro bom momento do embate. Renato aproveitou a sobra e chutou bem, entretanto a bola ficou no travessão.

Mesmo com a pressão do adversário, o Rubrão não se intimidou e foi para cima, abrindo o placar. O atacante Léo Artur fez grande jogada sobre o lateral-direito Alemão e tocou na medida na entrada da área para o meia Renan Mota, que finalizou com qualidade e encobriu o goleiro Renan.

Ainda que tivesse ficado em desvantagem, o time catarinense seguiu com mais liberdade e teve nova oportunidade de ir às redes, contudo sem o sucesso esperado. Capa deu chutão ainda no campo de defesa e a pelota caiu no pé de Lucas Coelho, que cabeceou tentando tirar do alcance da marcação, no entanto mandou pela linha de fundo.

Como água mole em pedra dura, tanto bate até que fura, os azulinos alcançaram o empate na Ressacada. Depois de desatenção do sistema defensivo rubro-negro, que não cortou a bola na entrada da pequena área, Diego Jardel roubou a bola e arriscou em direção à barra para defesa de Felipe Alves. O arqueiro, todavia, espalmou e a sobra ficou para Tatá, que acabara de entrar e mandou ao fundo do barbante.

Na reta final, os mandantes mantiveram a pressão sobre os visitantes e quase alcançaram a virada. Lucas Coelho fez bom lance individual pela esquerda  e arrematou visando marcar o segundo tento avaiano, entretanto esbarrou em ótima intervenção do camisa 1 dos paulistas, que impediu dos anfitriões passarem à frente no marcador.

Equipes criam pouco e terminam empatadas

Para a etapa final, os treinadores optaram por não realizar mudanças e, mesmo assim, quem criou a primeira oportunidade foi o Oeste, que deteve maior posse de bola nos dez minutos iniciais. Aproveitando o contra-ataque, principal arma da equipe, Léo Artur recebeu livre na esquerda e cruzou na medida para Mateus Vargas. Com liberdade na pequena área, o meia cabeceou para fora e não conseguiu marcar.

Bem postado defensivamente, o Rubrão se fechou e não cedeu espaço ao Avaí, que pouco criou até a metade. Visando dar maior mobilidade e velocidade ao setor ofensivo, Silas promoveu a entrada de Tauã na vaga de Lucas Coelho, que mostrou cansaço. Enquanto isso, Fernando Diniz optou por colocar o volante Felipe Diadema no lugar do meia-atacante Renan Mota para forçar um contra-golpe mais ágil.

Mantendo a postura, os paulistas tiveram nova chance de fazer o seu segundo tento novamente saindo pelos pés do atacante Léo Artur. O atleta recebeu lançamento pela esquerda, invadiu a área, cortou um zagueiro e bateu rasteiro em direção à meta, porém Renan conseguiu defender. O goleiro, entretanto, deu rebote, mas Célio Santos chegou para afastar o perigo.

Nos últimos minutos, sob uma forte chuva na capital catarinense, os avaianos se aproximaram da virada em um lance incomum. Francis recuou fraco para Felipe Alves, contudo a bola parou na poça d'água. O atacante Tatá até conseguiu chegar, mas o goleiro do Oeste saiu do gol e impediu que o adversário ficasse com a vitória.