Nelsinho faz mistério, mas sinaliza manutenção de titulares no Sport contra Santos-AP

Antes de fechar treino, técnico do Leão esboça apenas setor defensivo, com possibilidade das entradas de Marlone e Leandro Pereira

Nelsinho faz mistério, mas sinaliza manutenção de titulares no Sport contra Santos-AP
Primeira atividade de todo o elenco após empate contra Central deixou 11 iniciais em aberto (Foto: Williams Aguiar/Sport)

Já visando esquecer o empate com o Central, o Sport voltou a treinar com todo o elenco na tarde desta segunda-feira (5) no CT José Médicis. Para o duelo contra o Santos-AP, pela 1ª fase da Copa do Brasil, o Leão tem duas ausências certas, o que faz Nelsinho Baptista optar por fazer o máximo de mistério possível.

Ainda sem participar dos treinamentos, o lateral-direito Raul Prata e o atacante Rogério devem continuar sendo vetados, ficando fora do jogo pelo torneio. O jovem meia-atacante Índio, que também ficou ausente por lesão, retornou às atividades, porém não deve ser acionado ante o Peixe da Amazônia.

Em treino fechado, o que deixou interrogações quanto ao time que vai a campo, apenas o sistema defensivo considerado titular foi divulgado. Com as baixas, Nelsinho decidiu manter a estrutura tática, mas deixou o setor ofensivo em aberto. Satisfeito pela mexida de comportamento após o intervalo ao enfrentar a Patativa, o treinador pode promover as entradas de Marlone e Leandro Pereira, sacando Neto Moura e Gabriel dos 11, além da entrada de Neto mais recuado.

No domingo (4), parte do elenco rubro-negro já havia se reapresentado (Foto: Anderson Freire/Sport)
Atletas com menos de 60 minutos contra o Central já haviam se reapresentado (Foto: Anderson Freire/Sport)

Por isso, o esquema esboçado até deve ser mantido, entretanto com o equipe ganhando qualidade. Emprestado pelo Corinthians, o volante Fellipe Bastos fica à disposição depois de ter o nome divulgado no BID da CBF. Apesar disso, a provável escalação leonina é: Magrão; Fabrício, Henríquez, Léo Ortiz e Capa; Anselmo, Rithely e Thallyson (Neto Moura); Marlone; Leandro Pereira e André.

Ídolo no clube e campeão em 2008 - assim como o técnico, o zagueiro Durval - o goleiro Magrão enaltece a importância de sair com o título e cita o fator financeiro como maior diferencial. O camisa 1 assegura que o escrete pernambucano vai em busca do bicampeonato, mesmo com as dificuldades a serem encontradas.

"Será a competição mais difícil a ser disputada esse ano, pois todas as equipes vão dar prioridade à disputa, já que vai dar retorno financeiro muito grande a quem for campeão. O Sport sempre entra para fazer a melhor campanha e dessa vez não vai ser diferente. Sabemos que esse ano é um pouco diferente, pois acho que todos tentarão buscar", disse o arqueiro.