Lauda explica atrito de Hamilton com engenheiros: "Chamadas de boxes são decididas pela equipe"

Durante a corrida do GP do México no domingo passado (1), o tricampeão, o inglês Lewis Hamilton, passou algumas voltas discutindo com a Mercedes (sua equipe) sobre a necessidade de ter que fazer mais um parada para trocar os pneus, enquanto seu companheiro de equipe, o alemão Nico Rosberg, já havia feito a segunda parada e vinha tendo um bom ritmo com os pneus novos.

No fim das contas, Lewis foi obrigado a fazer a parada e foi instruído que ele não tinha liberdade para discutir o assunto, o qual era decidido pelas equipes, e ao que consta, sempre foi decidido pelos chefes das construtoras.

"As chamadas de boxes são decididas pela equipe e não pelos pilotos", confessou o ex-piloto Niki Lauda em uma entrevista a emissora RTL, da Alemanha. "Uma ordem é uma ordem e a tecnologia nos dias de hoje, é demasiada complexo para refutar", acrescentou o austríaco na tevlevisão.

O parceiro de Hamilton, Nico Rosberg, no entanto, concordou com as palavras ditas por Lauda. "Não havia nada a discutir. Os especialistas estão sentados no muro dos boxes e devemos confiar neles apenas, porque eles têm uma visão muito mais ampla do que está acontecendo que eu", conclui o alemão que ainda briga pelo vice campeonato de 2015, batendo de frente com o também alemão Sebastian Vettel, da Ferrari.

Pessoas ligadas a F1 e especialistas especulam que o tricameonato de Lewis Hamilton, conquistado este ano por antecipação, pode estar subindo a sua cabeça. Já que mesmo não precisando da parada, o piloto não deve ser instruído a refutar as ordens de sua equipe, pois eles sabem o que é o melhor para o seus pilotos, além de terem todos os dados que mostram o que é preciso ou não para fazerem um corrida perfeita, capaz de conduzir a uma vitória ou pontuação necessária para o objetivo.

VAVEL Logo