Sem jogar, Newell's se consagra campeão do Torneo Final
Nove anos depois, a metade rubro-negra de Rosário voltou a festejar (Foto: Reprodução / Diario Olé)

Acabaram-se as pendências, acabaram-se os atrasos, podemos dizer que acabou o campeonato. O Newell's Old Boys é o campeão do Torneo Final 2013, depois de completadas 18 rodadas do campeonato. O principal escolta dos rosarinos, o Lanús, precisava de um verdadeiro milagre: virar um 2 a 0 contra o Estudiantes, em La Plata, em 45 minutos (jogo interrompido após a morte de um hincha do Granate), ganhar do San Lorenzo no Nuevo Gasómetro, torcer para o Newell's perder em casa para o Argentinos Juniors e ganhar o jogo extra, uma vez que, com todas as combinações anteriores acontecendo, as equipes ainda terminariam empatadas na liderança, com 38 pontos.

Matando e ressucitando

O Lanús não conseguiu sequer passar pelo primeiro obstáculo, e o placar em La Plata se manteve no 2 a 0 para o Pincha, nesta tarde de quarta-feira (19). Mas o time treinado pelo mellizo Guillermo Barros Schelotto chegou a esta condição depois de enterrar o sonho do River Plate, que queria o título logo após voltar da Primera B Nacional. Enterrado não a 7, mas a 5 palmos, em cova rasa, mas com uma goleada nas costas. O Millonario foi à cancha do Lanús no domingo (16) e voltou com uma quina na bagagem, ficou nos 32 pontos, sem poder alcançar o Newell's. A ironia fica a cargo dos irmãos Schelotto, comandantes do Lanús e ídolos do Boca Juniors, que possivelmente incendiaram o vestiário granate antes da partida.

Sem sustos e com méritos

Hoje podemos dizer que o Newell's de Tata Martino joga o melhor futebol da Argentina, sem medo de errar. O time de Rosario está nas semi-finais da Libertadores da América, passando por um grupo complicadíssimo, com Olimpia e Universidad de Chile, e eliminando Vélez Sarsfield e Boca Juniors na sequência. No Torneo Final, a arrancada foi oscilante, mas a partir da 6ª rodada, o Ñuls passou a brigar palmo a palmo com o Lanús pela liderança do campeonato, onde chegou na 13ª rodada e não mais saiu. A vitória que deu o título à Lepra foi conquistada a 250km de casa, em Rafaela, contra o Atlético local. Com extrema tranquilidade e eficiência, e com direito a pênalti desperdiçado pelo artilheiro Scocco (são 24 gols somando Inicial e Final), o 3 a 0 veio ao natural, com gols de Carniello, contra, Figueroa e Urruti. É o 6º título do Rojinegro, que já havia sido vice-campeão no Torneo Inicial, no segundo semestre do ano passado. Na 19ª e derradeira rodada, como dito anteriormente, o time de Martino, Scocco e cia encerra sua participação no Final recebendo o desesperado Argentinos Juniors, que não depende só de si para se salvar.

O mundo é dos "fantasmas"

Salvação. Há coisas que nem o peso da camisa compra. A queda do Independiente, bicampeão mundial, heptacampeão da Libertadores e 14 vezes campeão argentino prova isto. A derrota para o River Plate, na rodada 17, deixou a situação dramática, ou mais que isto. O Rojo precisava vencer o San Lorenzo em casa, e torcer por derrotas do Argentinos Juniors e do San Martín de San Juán para Colón e Estudiantes, respectivamente; aconteceu o contrário, e pela primeira vez na história o Rey de Copas irá conhecer as canchas da B Nacional, no 2º rebaixamento de um grande em apenas 3 anos (o River caiu em 2011). As duas últimas rodadas do Final, por falar na queda do CAI, ficaram marcadas pelas constantes aparições do "fantasma de la B", personagem que a torcida do Racing, arquirrival do Independiente, adotou para celebrar a queda do co-irmão. O vídeo no final da matéria explica muita coisa.

Lápis, papel, calculadora e crucifixo

A última rodada ainda terá a definição do terceiro rebaixado para a Primera B Nacional 2013/14, ao lado de Unión de Santa Fe e Independiente. Argentinos Juniors e San Martín estão separados por um milésimo de ponto nos promedios; o Verdinegro hoje está fora do Z3. O Bicho, repetindo, enfrenta o campeão Newell's, em Rosario, enquanto os san-juaninos saem para encarar o River Plate. Para o time de La Paternal, resultados iguais só servem se forem derrotas; empates provocam um jogo de desempate (em um suspiro nostálgico da saudosa Promoción) e vitórias mantém o Santo na elite do futebol argentino - a menos que o Atlético de Rafaela perca para o Vélez, em Liniers; neste caso La Crema é quem descende. Quem conseguir um resultado melhor, se salva. Todos os jogos serão no próximo domingo (23), às 15h15.

No más...

Não teremos nenhuma outra definição na última rodada da temporada do Campeonato Argentino. Os 5 clubes que se classificam para a Copa Sul-Americana, no segundo semestre, pela somatória dos torneios estão definidos: Lanús, River Plate, Racing, Belgrano e San Lorenzo. A última vaga será do "super-campeão", que será conhecido no dia 29 de junho, às 18h, em jogo marcado para o estádio Malvinas Argentinas, em Mendoza, entre Vélez Sarsfield (campeão do Inicial) e Newell's Old Boys (campeão do Final). Os clubes promovidos à elite também são conhecidos: o Rosario Central, campeão da B Nacional, o Gimnasia y Esgrima La Plata e o Olimpo, de Bahía Blanca.

VAVEL Logo