Atlético Nacional vence Del Valle pelo placar mínimo e sagra-se campeão da Libertadores

27 anos depois, alviverdes vencem a competição novamente; equipes fizeram jogo de muita intensidade, movimentação e chances criadas, mas os verdalloga foram mais eficientes pra cravar o título

Atlético Nacional vence Del Valle pelo placar mínimo e sagra-se campeão da Libertadores
Foto: Reuters
Atlético Nacional
1 0
Independiente Del Valle
Atlético Nacional: Armani; Daniel Bocanegra, Davison Sánchez, Alexis Henríquez, Farid Díaz; Alejandro Guerra (Arias 87'), Mejía; Orlando Berrío, Macnelly, Moreno (Ibarguen 76'); Borja (Rescaldani 80').
Independiente Del Valle: Azcona; Núñez, Mina, Caicedo, Tellechea (Castillo 87'); Rizotto, Orejuela; Julio Angulo (González 72'), Sornoza (Uchuari 45'), Cabezas; José Angulo.
Placar: 1-0, min. 8, Borja.
ÁRBITRO: Néstor Pitana (ARG). Amarelo: Rizotto 28’, Guerra 40’, Sornoza 43’, Borja 74'
INCIDENCIAS: partida de volta da final da copa libertadores 2016, realizado no Atanasio Girardot, em Medellín, Colômbia.

Em um jogo que cumpriu com todas as expectativas, Atlético Nacional e Independiente Del Valle jogaram até o limite para conquistar a Copa Libertadores 2016 na noite desta quarta-feira (27), no Atanasio Girardot, em Medellín, na Colômbia. Os colombianos, porém, venceram por 1 a 0 graças a gol de Borja, aos oito minutos da primeira etapa, depois de grande intensidade nos primeiros minutos, e ficaram com o título da competição, vencendo no agregado por 2 a 1. 

Este título dos verdalloga é apenas o segundo na história do clube, que também venceu em 1989. A equipe irá jogar o Mundial Interclubes da Fifa no final do ano, onde terá a oportunidade de disputar uma possível final com o Real Madrid, vencedor da Champions League. O Del Valle, por sua vez, foca seus esforços no campeonato equatoriano, enfrentando o River Plate no próximo domingo (31). 

Nacional consegue abrir o placar depois de começo eletrizante na primeira etapa

Logo com 22 segundos, o Atlético Nacional tentou partir pra cima, aparecendo com Borja, que foi lançado da intermediária e, cara a cara com o goleiro, arriscou com força, porém a bola subiu mais do que o atacante queria. Donos da casa se aproveitando das festas que vinham das arquibancadas e usando a pressão inicial a favor. Três minutos depois, Bocanegra aproveita bola na entrada da área e arrisca com força e rasteiro, porém não pega bem na bola, mandando à direita de Azcona.

Com oito minutos jogados, porém, o Atanasio Girardot foi à loucura! Depois de bola alçada na área, ninguém conseguiu desviar em momento nenhum, levando a bola a bater na trave. Na sobra, com o goleiro no chão e zaga desajeitada, Borja dominou e encheu o pé pra estufar as redes do estádio em Medellín, explodindo a torcida e abrindo o placar na final. Após o gol, o Del Valle começou a tentar chegar ao gol de empate, mas não com a mesma pressa demonstrada pelo Nacional. Com 16 minutos, Sornoza aproveitou sobra na entrada da área e arriscou chute com força, mas bola explodiu na marcação.

Passado o ânimo do Nacional, o nervosismo saiu um pouco dos pés do Del Valle e passou para a equipe alviverde, que não conseguia colocar o seu estilo de jogo em prática nos poucos minutos seguintes. O jogo passou a ser mais truncado, com divididas fortes no meio de campo, tendo algumas faltas fortes no gramado. Com 30 minutos, a equipe verdalloga quase chegou ao segundo, quando Borja achou Moreno no meio da área, mas o atleta não conseguiu o chute de primeira.

No minuto seguinte, a equipe colombiana arriscou novo chute de fora da área, saindo dos pés de Macnelly Torres, obrigando Azcona a fazer nova defesa. Mais dois minutos passados, lançamento rasteiro para Borja e Mina, em recuperação, conseguiu desviar a bola antes do chute do atacante oponente, dando continuidade à pressão verdalloga. Pressão essa que parecia não passar pelo arqueiro do Del Valle: novamente Macnelly chutou de fora, mas o goleiro adversário fez nova defesa.

Passado mais um minuto, José Angulo recebeu passe por elevação e chutou à queima-roupa, mas foi atrapalhado pela marcação. A partida foi bem movimentada na primeira etapa, dado a necessidade do Del Valle de empatar e a garra do Nacional que não abria mão de atacar. O nervosismo, porém, voltou mais forte pra tirar a eficiência das equipes em criar, sendo assim até o fim da primeira fase. 

Apesar de Del Valle ter começado melhor a segunda etapa, Nacional conseguiu segurar para sagrar-se campeão da Libertadores

Assim como o Nacional implantou uma jogada logo com 22 segundos no primeiro tempo, o Del Valle também deu um susto. Com segundos ainda, Uchuari fez bela jogada individual dentro da área, adentrando na pequena, depois de saída de bola errada dos donos da casa, porém Henríquez acabou se jogando para afastar. Ele errada a bola e apenas acerta Uchari dentro da área, não sendo marcada a penalidade máxima. A bola saiu pela linha de funda, devagar, depois de chute de Angulo. Com quase dois minutos, o camisa 19 recebeu na entrada da área e arriscou chute dali, mandando pra fora. 

Depois de tentar impor mais intensidade na segunda fase, o Nacional chegou pela primeira vez depois do intervalo: Moreno fez bela jogada pela esquerda e tocou para Berría, que ajeitou para a esquerda e bateu cruzado, porém a bola atravessou o gol e foi pela linha de fundo. 

Borja recebe na entrada da área aos 16 minutos, avança para dentro dela e chute, porém mandou para fora, levando perigo. Com 25 minutos, porém, Moreno chegou rápido na infiltração depois de bola lançada para a área, e cabeceou, ganhando de todos na corrida, mas acabou mandando pra fora.

Azcona apareceu novamente para salvar o Del Valle do segundo gol do oponente quando Borja recebeu na entrada da área e arriscou forte arremate, mas o goleiro conseguiu a defesa para escanteio. Após isso, os equatorianos não conseguiram mais criar, dando o título ao consistente Nacional.