Figueirense recebe o Metropolitano; Marcos Assunção pode estrear
O Figueirense chega como favorito, mas o Metropolitano espera surpreender de novo (Foto: Giovanni Silva/Metropolitano)

Neste domingo (2), Figueirense e Metropolitano se enfrentam no estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis, em jogo válido pela terceira rodada do Campeonato Catarinense, às 19h30. Na última rodada, o Figueirense foi derrotado pelo Criciúma; já o Metropolitano venceu o Joinville e ocupa a segunda posição na tabela. Caso vença o jogo de domingo, o Verdão volta para casa com a liderança da competição.

As duas equipes se conhecem bem e se encontram no Campeonato Catarinense desde 2005, e o retrospecto mostra ampla vantagem para a capital: o Figueirense venceu nove partidas, empatou quatro e perdeu apenas três. O jogo também marcará o reencontro da torcida com Abel Ribeiro e Reinaldo. Abel levou o Figueirense ao título do Campeonato Catarinense de 2011, e o atacante Reinaldo foi o responsável pelo gol que garantiu a vitória, contra o rival Avaí.

Poucas alterações para enfrentar o Metropolitano

Os torcedores do Figueira podem esperar um time muito parecido com o que enfrentou o Criciúma. O treinador Vinícius Eutrópio relevou em entrevista coletiva que a tendência é o time não mudar. “Me agradou a formação do Criciúma e a tendência é manter para dar ritmo e entrosamento à equipe. E é importante a equipe repetir. Tirando o resultado, a mudança foi da água para o vinho”. A única mudança programada é a entrada do meio-campista Rivaldo, recuperado de lesão, no lugar de Luan.

As outras novidades são a regularização do zagueiro Thiago Heleno e do atacante Ciro, que tiveram seus nomes publicados no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF e podem participar do Campeonato Estadual; e o principal reforço do ano, Marcos Assunção, que está relacionado para a partida e pode estrear pelo novo clube.

No último sábado, a bola parada foi uma das principais jogadas que a equipe do Figueirense treinou (Foto: Luiz Henrique/Figueirense)

Dúvida até à tarde de sábado, Marcos Assunção tem condições de jogo, mas começará no banco de reservas. O volante tem treinado o condicionamento físico desde que chegou à Florianópolis, mas a comissão técnica ainda está cautelosa. Marcos tem 37 anos de idade e passou parte de 2013 parado, devido a uma lesão.

Na manhã do último sábado (1), durante o último treino antes do jogo, Vinícius Eutrópio explicou a decisão. “O Assunção fez essa semana de treinamentos e a decisão é da melhor forma de que aproveita. A preocupação não é para esse jogo, mas a sequência de jogos e como vai encaixá-lo para ter uma sequência natural, que é muito forte para todos. Nos próximos 14 dias, são cinco jogos. A partir da terceira ou quarta rodada vamos usar todos”.

Em Blumenau, o clima é de confiança e de 'pé no chão'

O Metropolitano vive um bom momento e vai até Florianópolis em busca da terceira vitória no Catarinense. Na última semana o técnico Abel Ribeiro afirmou que sua equipe jogou como uma das melhores do estado. Para o jogo deste domingo, o comandante aposta na regularidade de seus atletas e, assim como Vinícius Eutrópio, também não planeja mudanças na formação. “Nós não podemos fugir daquilo que trabalhamos até agora. Sabemos que as duas vitórias foram boas, mas é importante ressaltar também que o campeonato ainda está no início”.

O zagueiro Linno ainda está indisponível, e é o único problema de lesão enfrentado pelo técnico Abel Ribeiro. Alessandro e Reinaldo estão pendurados, cada um com dois cartões amarelos, mas são titulares importantes e devem começar jogando.

Os atletas estão confiantes, mas esperam um jogo complicado contra o Figueirense, que no ano passado fez boa campanha na série D. Para Reinaldo, o segredo é não deixar o excesso de confiança comprometer o bom trabalho. “Vamos respeitá-los e continuar jogando o nosso melhor. Tenho certeza que podemos retornar com um resultado positivo, mas precisamos ter os pés no chão”, destacou.

Maurinho exalta a garra e espírito de união da equipe, mas reconhece que o jogo de domingo será um dos mais difíceis do campeonato. “O Figueirense é um time grande, que está na Série A do Brasileiro e temos que respeitar. Mas acho que o Metropolitano já tem também um nome dentro do estado. Faz quatro anos que estamos desempenhando boas campanhas. Encaramos o duelo contra eles como uma final. Respeitamos, mas queremos a vitória”, finalizou.

VAVEL Logo