Thiago Silva lamenta suspensão e afirma: "Minha missão ainda não acabou nessa competição"

O capitão Thiago Silva e o técnico Luiz Felipe Scolari concederam na tarde desta segunda-feira (7), no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte, uma entrevista coletiva. Felipão escondeu a escalação, mas deu dicas das opções de mudanças que pode realizar com a vaga deixada por Neymar, enquanto Thiago Silva deixou claro que Dante será seu substituto. O capitão da Seleção Brasileira está suspenso do jogo contra a Alemanha devido ao cartão amarelo recebido na vitória diante da Colômbia.

"É difícil ficar fora. Tenho certeza que a minha missão nessa competição ainda não acabou. Minha ausência e a ausência do Neymar vão fortalecer o grupo. O Dante e o Henrique podem me substituir e lá na frente tem três ou quatro que podem jogar", disse o zagueiro.

Perguntado se no futuro o atual capitão da Seleção Brasileira poderia se tornar técnico, Thiago Silva admitiu que existe chances e que o atual treinador, Felipão, era um exemplo a ser seguido.

"Comecei a ter esse ideia na cabeça. Como jogador, não posso encerrar a carreira e ficar fora do futebol. Tenho grandes exemplos, aqui ao meu lado. Depende muito da situação. Por ser zagueiro, vou trabalhar para não tomar gol", explicou o zagueiro, que logo em seguida deu risadas quando Felipão resumiu, em tom de brincadeira, que tipo de treinador ele seria: "Retranqueiro"

Confira outros techos da entrevista coletiva:

Sinais de campeão

"O primeiro sinal foi a bola na trave no segundo tempo da prorrogação contra o Chile. A partir daquele momento, escutei muita gente falando que se aquela bola não entrou, não entrava mais. Até o próprio Júlio [César] antes dos pênaltis falou que ia pegar três, porque aquela bola na trave era um grande sinal."

Conversa com psicóloga sobre a perda do Neymar

"A gente conversa sobre várias coisas, até mesmo fora do futebol para saber se estamos realmente com a cabeça tranquila. Se não estivermos com a cabeça tranquila fora de campo, a tendência é que as coisas não aconteçam da maneira que a gente quer. Então conversamos um pouco de cada coisa, cada um fala aquilo que pensa, e o Neymar foi um tema muito citado nessa reunião. Mas ela frisou para que todos nós estivéssemos tranquilos, porque ele já fez a parte dele e, neste momento, é hora dos outros 22 assumirem a responsabilidade, de jogar bem, tentar a vitória, principalmente para ele, porque ele queria estar aqui, mas infelizmente foi tirado da Copa do Mundo por uma entrada covarde."

Zúñiga

"Foi uma entrada covarde. As pessoas entendem que foi um lance normal, mas não foi. Eu que sou zagueiro, teoricamente, eu sei como marcar. Aquele tipo de marcação não existe. Não tem como você passar o joelho por dentro do jogador e pegar a bola na frente. Só se você estiver com outro pensamento de atingir e prejudicar uma certa situação. Mas eu acho que não é uma situação normal de jogo."

Suspensão contra a Alemanha

"É difícil. Complicado. Da mesma forma que o Luiz [Gustavo] ficou de fora do último jogo [contra Colômbia], eu dissse que a missão dele nessa Copa ainda não tinha acabado, que a gente ia vencer aquele jogo por ele. Eu tenho certeza que da mesma forma que eu falei, ele está pensando por mim. Eu tenho certeza que a minha missão não acabou dentro desta competição. Acredito que as coisas estão acontecendo para juntar cada vez mais o grupo. A minha ausência, a do Neymar... isso fortalece o grupo. Dante e Henrique tem condições de jogar no meu lugar, eu estou tranquilo quanto a isso, e lá na frente tem três ou quatro que podem jogar."

Cartão amarelo contra a Colômbia

"Em nenhum momento tive a intenção de tirar a bola do goleiro. Eu estava com cartão amarelo, não pensei em nenhum momento chegar perto dele e tirar a bola. Não sou um jogador juvenil. Eu estava evitando fazer falta para evitar o cartão amarelo. É difícil ficar de fora, mas estou muito confiante em quem vai estar jogando, com certeza estaremos bem representados"

Dante

"Com certeza está preparado. Trabalha muito duro para isso. É um dos primeiros a chegar na musculação e um dos últimos a sair. Isso mostra a força e a qualidade que ele tem. Eu tive a oportunidade de jogar com ele no Juventude, em 2004, e sei o que ele passou para chegar neste momento."

VAVEL Logo