Edílson admite má fase e revela torcida pelo Corinthians na infância: "É um sonho se realizando"
(Foto: Daniel Augusto Jr./ Agência Corinthians)

Com a semana livre para trabalhar, o Corinthians retornou aos trabalhos após folga dada pela Comissão Técnica no dia de ontem. Com isso, o elenco se reapresentou para o início dos treinamentos visando o duelo que pode decidir de vez o Campeonato Brasileiro 2015. Diante do Atlético MG, em Belo Horizonte, Tite e seus comandados colocarão em campo a vantagem de oito pontos na ponta do torneio.

Sem poder com Elias, suspenso por três cartões amarelos, o treinador terá a semana para treinar seu substituto. Rodriguinho, último a atuar na ausência do camisa 7, sofreu uma pancada nesta manhã e saiu mais cedo do treinamento. Além dele, Marciel, Cristian e Bruno Henrique, recuperado de lesão, correm pela vaga de Elias. A semana ainda pode trazer Fágner e Uendel, laterais que se recuperam de lesões musculares. E exatamente quem substitui um deles, falou após os trabalhos. Edílson conversou com a imprensa e demonstrou seu amor pelo Corinthians desde infância, além de admitir baixo desempenho quando entrou na equipe titular.

Para o lateral-direito, o sonho de jogar no clube de coração é algo que sempre quis e agora pode realizar.

"Eu era corinthiano quando era mais novo. Depois, o cara começa a jogar e vê mais o lado profissional. Mas sempre tive aquela vontade de vestir a camisa do time que era torcedor. E esse é um sonho de criança que e realizas. Quando veste a camisa, retorna tudo aquilo. É legal, porque eu pensava antes em jogar aqui e hoje estou aqui."

"Ser campeão no seu time de infância é um sonho que posso realizar"- Edílson

O jogador falou da força que o elenco corinthiano tem. Mesmo perdendo peças e tendo suas estrelas convocadas pela Seleção Brasileira, o time mantém um padrão e um alto nível.

"Vieram uns dois ou três para cada posição, todos em excelente nível. Nos treinos, são todos aplicados. Eu tive a oportunidade e estou tentando fazer o meu melhor, assim como o Arana, Cristian, Rodriguinho... É uma disputa sadia onde ninguém pode dar brecha. Quando temos oportunidade, todos nós vamos muito bem."

A má-fase vivida pelo atleta também foi comentada. As muitas críticas da torcida e a desconfiança, vivida até hoje, são justas, segundo suas palavras.

"Acho que não vinha jogando do jeito que sempre jogo. Estava abaixo do que eu poderia render, mas sei absorver as críticas e transformar as negativas em positivas. Fui cobrado pelo Tite e pelo Edu, mas também me deram moral e apoio grande. Eu estava triste, é normal, sou um ser humano, mas com essa sequência e entrosamento maior, vem a confiança. E do mesmo jeito que não me abati com as críticas, também não me empolgo com os elogios."

Caso Fágner, o titular da lateral-direita, não se recupere à tempo, Edílson será utilizado mais uma vez na função. A partida contra o Galo é encarada como decisão no Parque São Jorge e o time treina forte para sair de lá com umbom resultado.

VAVEL Logo