A gestão Piffero no Internacional até seu último dia como presidente
(Foto: Alexandre Lops / Internacional)

Em dezembro de 2014, Vitório Piffero foi eleito presidente do Internacional com 71% dos votos de sócios colorados, e no ano seguinte começou a sua gestão. Logo no início de 2015, o Internacional se viu diante de uma situação complicada: a falta de técnico. Piffero teria cogitado o trabalho de Tite para a temporada, mas este teria assinado contrato com o Corinthians na época. Partiu então para o plano B que seria Mano Menezes, mas Mano na mesma época comentou: "Com ele (Piffero) (na direção), eu não trabalho!". Sendo assim, Piffero recorreu a um velho conhecido da torcida colorada, Abel Braga. Mas, no fim das contas, quem acabou vindo foi o uruguaio Diego Aguirre, vice-campeão da Libertadores 2011 com o Peñarol. Aguirre montou um time bom o suficiente para chegar até a semifinal da Libertadores de 2015, com jogadores novos sendo apresentados.

Mas no início da competição, o Internacional perdeu De Arrascaeta para o Cruzeiro, logo depois contratou Léo e Rever para o setor defensivo, mas estes não foram bem aproveitados. Após a eliminação para o Tigres na semifinal da Libertadores, Aguirre já não estava mais sendo bem aproveitado, e sendo assim, três dias antes de um Gre-Nal, o técnico foi demitido, ocasionando o inesquecível 5 a 0 para o Grêmio. Após alguns dias com técnico interino, Argel Fucks foi apresentado no dia 13 de agosto. Ao longo do tempo, Argel foi fazendo um bom trabalho, e se manteve com prestígio. Mas o ano virou, e 2016 parecia que ia ser o ano do Internacional.

Com o início do Campeonato Brasileiro o Inter se manteve muito bem, com vitórias, uma atrás da outra. Mas de repente, uma coisa inusitada aconteceu, uma coisa que abalou a torcida do Internacional inteira: D'Alessandro, o argentino camisa 10 do clube, o jogador ídolo da torcida, deixou o Inter após 8 anos vestindo a camisa colorada. D'alessandro voltou para o seu clube de origem, onde foi lançado, o River Plate da Argentina. Após a despedida do craque, a torcida se revoltou contra a nova direção colorada, uma série de protestos começou a acontecer.

No Campeonato Brasileiro, alguns tropeços da equipe vieram com o tempo, o Internacional passou de líder no primeiro turno, para a zona de rebaixamento no segundo turno. Com essa série de acontecimentos, Pedro Affatato, vice de futebol do Inter pediu sua demissão, e logo após Piffero anunciou Fernando Carvalho como seu vice. Argel Fucks foi demitido e  com isso venho o ex-jogador e ídolo do Internacional, Falcão, mas não conseguiu nenhuma vitória, e foi demitido ridiculamente após 5 rodadas do Campeonato. Piffero anunciou imediatamente Celso Roth, que estabilou o time, mas não conseguiu tirá-lo da zona de rebaixamento, mesmo acom algumas vitórias. A torcida começou a ficar desesperada com a possibilidade do rebaixamento ainda inédito, começaram a fazer protestos após cada jogo no estádio Beira-Rio.

Faltando 5 rodadas para o fim do Campeonato Brasileiro, Celso Roth foi demitido, e logo o presidente Piffero anunciou o técnico Lisca. Visto como uma fonte de esperança, Lisca foi muito bem recepcionado pela torcida. O Internacional se viu diante de situações desesperadoras, tendo que depender do Vitória da Bahia, e do Sport de Recife para escapar do rebaixamento. Após a tragédia do acidente aéreo envolvendo a tripulação da Chapecoense, Piffero concedeu entrevistas constrangedoras para o clube, juntamente com Fernando Carvalho, que foi infeliz com algumas palavras. Após esses vexames, ainda teve mais a polêmica com o caso do zagueiro Victor Ramos do Vitória, que supostamente estaria irregular no campeonato, e com com isso o corpo jurídico do Internacional foi enviado ao Rio de Janeiro para tratar dos assuntos.

Uma nova acusação da CBF, contra o Internacional, alega que o corpo de advogados do clube estaria falsificando os documentos apresentados ao STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva), e agora o Inter vêm sendo ridicularizado pelo país inteiro e torcidas de vários times repudiando o clube colorado. Lutando para não ir para a série B na última rodada, as novas eleições coloradas foram realizadas neste sábado (10) onde a chapa 2, do presidente Medeiros, foi eleita com mais de 70% dos votos de associados do clube. 

Agora o Internacional tem seu ultimo desafio do ano pelo Campeonato Brasileiro, e talvez seu último jogo pela série A, neste domingo (11) contra o Fluminense, no Rio de Janeiro. 

VAVEL Logo