Chapecoense cede empate ao Nacional-URU e novamente marca passo em casa na Libertadores

Não foi desta vez que a Chapecoense conquistou a primeira vitória em casa no grupo 7 da Copa Libertadores da América. Depois da derrota diante do Lanús na segunda rodada, o time brasileiro apenas empatou frente ao Nacional (URU) na noite desta terça-feira (18).

O resultado foi bastante prejudicial para a Chape, que chega aos quatro pontos, mas terá dois compromissos fora – novamente com o Nacional e diante do Lanús – para tentar se recuperar.

Para os uruguaios, o resultado foi satisfatório. Com quatro pontos e melhor saldo, fica na frente da Chapecoense e encerra a terceira rodada na segunda colocação, atrás apenas do Lanús, que soma seis pontos.

Um pra cada lado na primeira etapa

Buscando a primeira vitória diante do torcedor, a Chape foi para cima desde o começo. No primeiro minuto, o lateral-esquerdo Reinaldo arrancou pela esquerda e cruzou fechado. A bola atravessou toda a extensão da grande área e chegou em Rossi, que voltou a cruzar. A zaga uruguaia efetuou o corte.

Aos 3 minutos, Aguirre foi acionado na entrada da área, e arrematou para o gol da Chape, acertando a trave de Artur Moraes. A Chape respondeu dois minutos depois com Rossi, que levou perigo após tentar desviar cruzamento da direita.

O Verdão do Oeste tirou o primeiro zero do marcador aos 8 minutos, quando Artur Caíke recebeu pela esquerda e foi derrubado dentro da grande área por Otálvaro. O pênalti foi assinalado e convertido por Reinaldo, que deslocou Conde e abriu o marcador.

O Nacional quase empatou aos 16 minutos, com Otálvaro. O lateral cruzou fechado e Artur foi obrigado a se antecipar e cortar antes que alguém chegasse para finalizar. Dois minutos depois, João Pedro quase aumentou, mas o arremate da entrada da área parou em Conde.

Aos 22, o time da casa chegou a aumentar o marcador com Wellington Paulista, mas a jogada foi invalidada. Ele recebeu cruzamento da esquerda, só que se apoiou em Polenta para cabecear e o árbitro assinalou falta.

Com o passar do tempo, a Chapecoense começou a dar espaço ao Nacional e o “pagamento” veio aos 40 minutos, quando Ramírez foi lançado na esquerda e cruzou rasteiro para Hugo Silveira. De canhota, ele emendou para o gol e igualou o marcador.

Quatro minutos depois do gol, Artur Moraes evitou o segundo. Ele viu Espino invadir a área pela esquerda e finalizar. O arqueiro rebateu e impediu a virada uruguaia antes do intervalo.

Chape pressiona na etapa final

A primeira chegada da etapa final foi da Chape, com Wellington Paulista. O camisa 9 recebeu cruzamento de Rossi da direita, mas, desequilibrado, cabeceou para fora. Aos 19, Paulista teve nova chance. Ele recebeu cruzamento de Andrei Girotto e, desta vez, sozinho, cabeceou sobre a meta de Conde.

Cinco minutos depois, Paulista foi substituído por Túlio de Melo, que no primeiro lance em campo, quase marcou. Ele recebeu novo cruzamento da direita, dividiu com García e parou em Conde, que rebateu para fora. Em seguida, o mesmo Túlio recebeu passe rasteiro da direita, dividiu com o goleiro, perdeu o tempo da bola, voltou e chutou travado. A bola foi na trave, rolou sobre a linha e não entrou.

Aos 32, o castigo quase veio. Aguirre ganhou disputa no corpo com Luiz Otávio e finalizou de canhota. A bola explodiu no peito de Artur Moraes, que fez importante defesa.

Quatro minutos depois, Luiz Antônio aproveitou sobra na entrada da área e arrematou de direita. A bola subiu demais e saiu pela linha de fundo. Foi a última grande chance do jogo, que se encerrou sem gols. Chapecoense e Nacional voltam a se encontrar no próximo dia 25, em Montevideo.

VAVEL Logo