Chapecoense bate Avaí e abre vantagem na luta pela vaga à final do Catarinense

Fabrício Bruno, de cabeça, marcou no segundo tempo o único gol da vitória da Chape, que abre seis pontos de vantagem para o Leão

Chapecoense bate Avaí e abre vantagem na luta pela vaga à final do Catarinense
Foto: Sirli Freitas/Chapecoense
Chapecoense
1 0
Avaí
Chapecoense: Jandrei; Apodi, Rafael Thyere, Fabrício Bruno, Bruno Pacheco; Elicarlos, Márcio Araújo, Nadson (Canteros, intervalo); Guilherme (Bruno Silva, min. 22/2ºt), Arthur Caíke, (Lucas Mineiro, min, 46/2ºt) Wellington Paulista. Técnico: Gilson Kleina
Avaí: Kozlinski; Guga, Alemão, Betão, João Paulo; Luan, Judson (Martinuccio, min, 36/2ºt); Rômulo, André Moritz (Marquinhos, min. 17/2ºt), Lourenço (Maurinho, min. 26/1ºt); Getúlio. Técnico: Evando
Placar: 1-0, min. 33/2ºt, Fabrício Bruno
ÁRBITRO: Bráulio da Silva Machado, auxiliado por Helton Nunes e Thiago Americano Labes. Amarelos: Elicarlos, Fabrício Bruno, Arthur Caíke (CHA); Lourenço, Guga, Judson (AVA)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 9ª rodada do Campeonato Catarinense 2018, na Arena Condá, em Chapecó, SC. Público total: 7.189 torcedores; Renda: R$ 121.350,00

Com gol no segundo tempo, a Chapecoense conseguiu uma importante vitória diante do Avaí na última rodada do primeiro turno do Campeonato Catarinense. O zagueiro Fabrício Bruno, aos 33 da segunda etapa, fez o único da partida na Arena Condá.

Com 20 pontos, a Chapecoense está na vice-liderança, com um ponto a menos que o Figueirense, mas com seis de vantagem para o Avaí, que é o 3º colocado. Ao final das 18 rodadas, os dois melhores classificados disputarão a final do Catarinense.

Pela Copa do Brasil, o Avaí volta a campo em Caxias do Sul para enfrentar o Juventude, na quinta-feira (22), às 19h15. No Estadual, o Leão recebe o Inter de Lages e a Chapecoense joga em casa contra o Concórdia, no domingo (25), às 17h.

Chape domina posse de bola, mas primeiro tempo tem poucas chances

Jogando em casa, a Chapecoense teve mais posse de bola diante do Avaí, mas o primeiro tempo foi de poucas oportunidades. Apostando em muitos cruzamentos, a Chape chegou a ter oportunidades de finalizar em jogadas de bola parada, mas foram poucas chances criadas na Arena Condá.

No Avaí, que não teve Claudinei Oliveira na beira do gramado, expulso na rodada anterior, a proposta foi de recuar as linhas na maior parte do tempo e apostar nas jogadas de contra-ataque e bolas paradas, mas o Leão não teve muitas chances também. O time ainda teve que fazer uma alteração na primeira etapa, com a saída de Lourenço, por conta de uma lesão no pé, para a entrada de Maurinho.

A primeira chance da partida veio aos 19. Nadson recebeu de Apodi na entrada da área e arriscou chute forte, mas passou à esquerda do gol. A resposta avaiana veio na bola parada. André Moritz ganhou escanteio após ter chute bloqueado e, na cobrança de escanteio aberta de João Paulo, Alemão desviou de cabeça no canto, mas Jandrei segurou em dois tempos.

Encontrando poucos espaços para entrar na área do Avaí, a Chape criou a melhor chance da primeira etapa com chutes de fora da área. Aos 38, Elicarlos teve espaço na intermediária, finalizou de muito longe e exigiu grande defesa de Kozlinski. Já aos 45, Guilherme trouxe da esquerda para dentro, arriscou chute no canto e a bola quicou antes de parar nos braços do goleiro do Avaí, que garantiu o 0 a 0 para o intervalo em Chapecó.

Bola aérea decide a favor da Chape

A segunda parte do segundo tempo manteve o panorama da primeira. A Chapecoense voltou para a segunda etapa com Canteros na vaga de Nadson, e teve mais posse de bola, mas não conseguiu pressionar, nem criar muitas oportunidades. O Avaí continuou com sua postura reativa, mas também pouco assustou o rival em contra-ataques.

A primeira chance do parte final foi aos 21. Após bate-rebate dentro da área, Arthur Caíke tocou e Guilherme chutou forte, mas a bola passou por cima, com perigo. Três minutos depois, Guga recebeu de Maurinho na entrada da área, ajeitou para o pé esquerdo e finalizou no canto, mas parou em Jandrei.

Aos 29, depois de cobrança de escanteio, Kozlinski tirou de soco, Bruno Silva colocou para o meio da área e Apodi desviou, por cima do gol. E a bola aérea foi a arma decisiva para a Chape garantir a vitória. Aos 32, na cobrança de escanteio de Guilherme, Fabrício Bruno subiu mais alto que a defesa avaiana e desviou na pequena área para fazer 1 a 0.

O Avaí tentou se lançar a frente na reta final, inclusive trocando o volante Judson pelo meia Martinuccio, mas não conseguiu criar oportunidades claras. Já aos 48, a Chape ainda teve grande chance para ampliar. Wellington Paulista recebeu na cara do goleiro, mas dominou mal e acabou parando em boa saída de Kozlinski. No fim, a Chape garantiu a vitória pelo placar mínimo, uma vitória importante na luta pelo título catarinense.