Avaí tira invencibilidade do Paysandu, volta a vencer em casa após dois meses e entra no G-4

Vitória por 3 a 1 foi apenas a quarta do Leão em casa no ano e levou o time ao terceiro lugar; Papão perde a primeira em sete rodadas e cai na tabela

Avaí tira invencibilidade do Paysandu, volta a vencer em casa após dois meses e entra no G-4
Foto: Jamira Furlani/Avaí FC
Avaí
3 1
Paysandu
Avaí: Aranha; Alemão, Betão, Airton; Guga, Judson (Matheus Barbosa, min. 31/1ºt), André Mortiz (Luanzinho, min. 30/2ºt), Capa; Renato, Rômulo, Rodrigão (Getúlio, min. 48/2ºt). Técnico: Geninho
Paysandu: Renan Rocha; Edimar, Diego Ivo, Nando Carandina (Moisés, min. 40/2ºt); Matheus Silva, Luis Cáceres, Alan Calbergue, Carlinhos (Matheus Müller, min. 24/2ºt); Mike (Claudinho, min. 32/2ºt), Thomaz, Cassiano. Técnico: Dado Cavalcanti
Placar: 1-0, min. 43/1ºt, Rodrigão. 2-0, min. 23/2ºt, Guga. 2-1, min. 26/2ºt, Cassiano (pênalti). 3-1, min. 47/2ºt, Rômulo
ÁRBITRO: Leandro Bizzio Marinho, auxiliado por Rogério Pablos Zanardo e Daniel Luís Marques, todos de SP. Amarelos: André Moritz, Renato, Betão (AVA); Diego Ivo, Mike, Matheus Silva, Claudinho (PAY)
INCIDENCIAS: Partida válida pela sétima rodada da Série B do Campeonato Brasileiro 2018, no Estádio da Ressacada, em Florianópolis, SC. Público total: 3.793 torcedores

Após dois triunfos seguidos fora de casa, o Avaí finalmente afastou a pressão de vencer em casa com uma vitória por 3 a 1 sobre o Paysandu, na Ressacada, e voltou ao G-4 da Série B. Rodrigão, Guga e Rômulo marcaram para o Leão, enquanto Cassiano, de pênalti, descontou. O Papão, após três empates seguidos, perdeu o primeiro na competição.

O primeiro foi bastante movimentado na Ressacada. Com os dois times postados em variações semelhantes de um 3-4-3, a partida foi aberta e com as duas equipes adotando posturas ofensivas. Antes dos dois minutos, o Avaí teve três cruzamentos relativamente perigosos, mas a primeira boa chance foi do Paysandu aos quatro. Cassiano recebeu de Thomaz em profundidade dentro da área e bateu cruzado, com perigo à esquerda do gol. Dois minutos depois, a resposta avaiana. Rodrigão arriscou da intermediária e levou perigo a Renan Rocha, mandando por pouco acima do gol.

Foram 14 finalizações no primeiro tempo em Floripa - 10 a quatro em favor do Avaí -, mas a maior posse de bola foi dos paraenses - 56%. Apesar de ficar mais tempo com a posse, o Paysandu teve dificuldades para trocar passes próximo à área rival, enquanto os mandantes foram mais incisivos. Aos 22, em boa jogada pela esquerda, Rômulo foi até a linha de fundo e cruzou para Renato que, sem goleiro e com gol aberto, tocou de cabeça para fora e perdeu inacreditável chance de abrir o placar.

Aos 29, após cruzamento da direita de Matheus Silva, Aranha se atrapalhou na hora de segurar, soltou a bola e Cassiano quase alcançou na pequena área, mas o goleiro segurou a tempo de agarrar. Sete minutos depois, o arqueiro se redimiu. Alan Calbergue recebeu de Carlinhos na entrada da área e bateu colocado, porém parou em grande defesa.

Apesar da boa movimentação na primeira etapa, o jogo se encaminhava para o intervalo sem gols até que, aos 42, na saída errada de Cáceres, Rodrigão se antecipou a defesa do Paysandu, saiu na cara do goleiro e tocou no canto para fazer 1 a 0. Logo na sequência do primeiro gol, Rodrigão recebeu de Renato, tocou de primeira e deixou Rômulo de frente para o gol. O camisa 9 finalizou por baixo, mas Renan Rocha conseguiu desviar e a bola acabou batendo no travessão e o Avaí levou a vantagem mínimo ao intervalo na Ressacada.

A postura do Paysandu foi mais ofensiva na segunda etapa, mas o Avaí, com a estratégia de explorar espaços, continuou sendo mais perigoso durante grande parte da etapa final. Aos cinco, depois de grande lançamento de Renato para a área, Rodrigão ajeitou de peito e Moritz bateu de primeira, mas mandou a ótima chance por cima do gol.

Aos 19, em grande jogada de contra-ataque do Avaí, Rômulo recebeu de Rodrigão na área, tocou em ultrapassagem e Moritz finalizou na saída de Renan Rocha, que conseguiu fazer grande defesa para evitar momentaneamente a ampliação do placar. Isso porque, na jogada seguinte, Guga bateu falta na quina área, cruzou na direção do gol e ninguém desviou, mas a bola morreu no canto esquerdo do gol e fez 2 a 0.

Com pouco a perder, o técnico Dado Cavalcanti fez alterações ofensivas e conseguiu um gol logo na sequência. Aos 24, na cobrança de escanteio de Mike, Carandina desviou e Aranha salvou. Na sequência, Matheus Silva bateu forte, mas Airton salvou em cima da linha. Porém, no rebote, Cassiano se antecipou a Aranha, caiu dentro da área e o árbitro marcou pênalti. O próprio Cassiano cobrou no lado esquerdo, o goleiro foi para a direita e o Paysandu descontou.

O Paysandu se empolgou após descontar, e o Avaí, mesmo com sua vitória ameaçada, viu Geninho trocar Moritz por Luanzinho e manter o time com uma postura agressiva. A postura dos times proporcionou um jogo com muitas finalizações - 19 do Avaí, contra 14 do Paysandu -, e os visitantes conseguiram assustar bastante após fazer 1 a 2. Aos 38, Thomaz arriscou da intermediária e mandou um chute muito perigoso, mas Aranha voou e mandou para fora. No último minuto do tempo regulamentar, Claudinho cruzou da esquerda e encontrou Moisés, que cabeceou com espaço na pequena área, porém parou em ótima defesa do goleiro avaiano.

O Avaí, apesar de uma boa performance, sofreu certa pressão e teve a sua vitória ameaçada, mas, depois de ceder empates nas duas partidas que fez em casa na Série B, viu um fim diferente. Aos 47, após lançamento de Rodrigão, Rômulo ganhou no corpo de Matheus Silva e saiu de frente para o goleiro, tocando por baixo e sentenciando a vitória avaiana: 3 a 1

Os dois times voltam a campo na próxima sexta-feira (1º/6), às 21h30. O Avaí joga novamente na Ressacada, diante do rival local e lanterna Criciúma, enquanto o Paysandu volta à Belém para enfrentar o vice-lanterna Boa Esporte.