Alívio! Criciúma bate Vila Nova pelo placar mínimo e deixa Z-4 após 16 rodadas
Foto: Caio Marcelo/Criciúma EC

Alívio! Criciúma bate Vila Nova pelo placar mínimo e deixa Z-4 após 16 rodadas

Jogando em casa, Carvoeiro sofre mas consegue a vitória e pela primeira vez desde a segunda rodada consegue figurar fora da zona de rebaixamento

gustavomilioli
Gustavo Milioli
CriciúmaBelliato; Carlos Eduardo, Liel, Jacy Maranhão e Marlon; Jean Mangabeira (Andrew), Eduardo, Marlon Freitas e Alex Maranhão (Elvis); Nicolas (Kalil) e Vitor Feijão. Técnico: Mazola Júnior
Vila Nova Mateus Pasinato; Maguinho, Wesley Matos, Giaretta e Hélder (Gastón); Wellington Reis, Moacir e Alan Mineiro (Vinicius Leite); Elias, Reis e Anderson Cavalo (Alex Henrique). Técnico: Hemerson Maria
Placar1-0, min. 36 2º/T, Liel
ÁRBITROJosé Claudio Rocha Filho, auxiliado por Rogério Pablos Zanardo e Fabricio Porfirio de Moura, todos de São Paulo
INCIDENCIAS18ª rodada do Campeonato Brasileiro Série B, às 19h, no estádio Heriberto Hulse, em Criciúma/SC

Criciúma e Vila Nova travaram um duelo de extremos na noite deste sábado (28), no Heriberto Hülse. Enquanto os mandantes visavam a saída da zona de rebaixamento da Série B, os visitantes precisavam de uma vitória para retornar ao G-4 da competição nacional. No final, o Tigre venceu por 1 a 0 e conseguiu cumprir seu objetivo na Segundona.

Além da pressão da degola e de ter um postulante ao acesso à sua frente, o Tigre de Santa Catarina precisou enfrentar as lesões de jogadores importantes de seu elenco. Dentre eles, a do goleiro e capitão Luiz, que sentiu no treinamento da véspera e foi cortado da partida.

O Tigre de Goiás estava completo, com o retorno do zagueiro Wesley Matos e do lateral Helder. Porém, Helder logo aos 13 minutos do primeiro tempo precisou ser substituído, cedendo lugar a Gastón Filgueira na lateral esquerda.

O Criciúma parecia nervoso nos primeiros momentos do jogo, e coube ao Vila Nova procurar ser mais participativo no campo de ataque. Logo aos seis minutos, teve a primeira finalização do time goiano. Moacir finalizou de fora da área, mas a bola passou sem perigo ao gol do estreante Belliato.

Os tricolores, com dificuldades em chegar com organização, tentavam com cruzamentos e bolas aéras. Porém, o primeiro grande momento do jogo foi em um belo chute de Alex Maranhão. Ele sofreu falta na intermediaria de ataque e na cobrança soltou um foguete, exigindo boa defesa de Mateus Pasinato, que mandou para escanteio.

A chance pareceu ter acordado o time mandante, que minutos depois teve mais uma chance com bola parada. Novamente Alex Maranhão cobrou, desta vez alçando na área em busca de alguém para cabecear, mas a bola passou por todos e deu um susto em Pasinato, que viu ela sair pela linha de fundo, ao lado da trave direita de sua baliza. O Criciúma terminou o primeiro tempo com maior volume que o Vila, mas as reais oportunidades de gol permaneceram escassas.

Para a segunda etapa, os dois times estavam cientes que apenas a vitória interessava para atingirem seus objetivos da rodada, mesmo que em extremos diferentes da tabela. Os treinadores manteram as mesmas formações.

O Criciúma, por jogar em casa, procurou pressionar os adversários no início do segundo tempo. Alex Maranhão era quem mais buscava o jogo. Aos oito minutos, em jogada individual, o meia driblou um marcador e arrematou do meio da rua, vendo Mateus Pasinato cair para espalmar. Mas com baixa qualidade técnica nos jogadores em campo, as melhores chegadas foram através de escanteios, com nenhum levando perigo ao goleiro vilanovense.

Do lado do Vila, Alan Mineiro era o responsável para tentar conduzir a equipe ao ataque. Aos 18, ele chutou colocado de fora da área, mas Belliato bem posicionado conseguiu segurar firme.

Aos 22 do segundo tempo, o Criciúma fez duas alterações: Jean Mangabeira deu lugar a Andrew, e Alex Maranhão, deu lugar a Élvis. A torcida presente no estádio mostrou descontentamento com a segunda escolha, assim como o jogador, que ficou visivelmente irritado no banco de reservas.

As mudanças a princípio não tiveram o efeito desejado, e o Tigre catarinense perdeu a pouca criatividade no meio-campo que tinha. Quando o destino final do jogo parecia ser o segundo empate em 0 a 0 seguido para o Tricolor, Andrew, em lance individual de habilidade, conseguiu se infiltrar pela defesa adversária e foi parado com uma dura falta. Elvis, aos 36, cobrou com perfeição para Liel testar com estilo e não dar chance de defesa a Mateus Pasinato. O volante, que jogou improvisado de zagueiro, marcou seu terceiro gol em onze jogos pelos carvoeiros e fez o tento que tira a equipe da zona da degola pela primeira vez desde a segunda rodada da competição.

Uma vitória para dar tranqüilidade à equipe, que após ter um início com cinco derrotas seguidas, consegue finalmente deixar a zona de rebaixamento faltando uma rodada para o término do primeiro turno.

Do lado dos goianos, a derrota faz o clube ficar mais longe do G-4, na sétima colocação, duas posições atrás de onde começou a rodada.

Ambos retornam a campo no próximo sábado (04) para a 19ª rodada da Série B. O Vila recebe o São Bento, às 16h30, no Serra Dourada, enquanto o Criciúma, viaja para enfrentar o Sampaio Corrêa, às 21h, no Castelão.

VAVEL Logo