Quem não faz, toma: com um a mais, Avaí perde chances e cede empate ao Brasil de Pelotas

Poucos segundos após perder grande oportunidade do 2 a 0 no segundo tempo, Leão sofreu gol de bola parada e Xavante, com 10 homens, buscou a igualdade no Bento Freitas

Quem não faz, toma: com um a mais, Avaí perde chances e cede empate ao Brasil de Pelotas
Foto: Ítalo Santos/Divulgação/Avaí FC
Brasil de Pelotas
1 1
Avaí
Brasil de Pelotas: Marcelo Pitol; Éder Sciola, Leandro Camilo, Rafael Dumas, Bruno Collaço (Tiago Cametá, min. 13/1ºt); Leandro Leite; Maicon Assis, Pereira, Itaqui, Lourency (Kaio, min. 21/2ºt); Léo Bahia (Luiz Eduardo, min. 34/2ºt). Técnico: Gilmar dal Pozzo
Avaí: Aranha; Aírton, Betão, Luan; Guga, Judson, André Moritz (Pedro Castro, min. 29/2ºt), Capa; Renato, Luan Pereira (Lourenço, intervalo), Rodrigão. Técnico: Geninho
Placar: 0-1, min. 20/1ºt, Renato. 1-1, min. 41/2ºt, Leandro Camilo
ÁRBITRO: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral, auxiliado por Daniel Luis Marques e Fabricio Porfirio de Moura, todos de SP. Amarelos: Pereira, Carlos Eduardo (banco) (BPE); Luan Pereira, Judson, Lourenço, Guga, Pedro Castro (AVA). Vermelho: Pereira (BPE)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 21ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro 2018, no Estádio Bento Freitas, em Pelotas, RS. Público total: 4.751 torcedores

Jogando com um a mais por mais de 55 minutos, o Avaí perdeu uma oportunidade de ouro de vencer pela sexta vez fora de casa na Série B. O Leão desperdiçou oportunidades e cedeu o empate para o Brasil de Pelotas, no Bento Freitas. O resultado de 1 a 1 foi construído com gols de Renato, para os visitantes, e Leandro Camilo, para o Xavante.

Na primeira etapa no Bento Freitas, a estratégia do Avaí foi melhor executada. Com a volta do esquema com três zagueiros e apenas 31% de posse de bola, o time catarinense teve o mesmo número de finalizações dos mandantes - oito -, mas teve as principais chances e acertou mais vezes o gol rival: três a dois. A primeira boa jogada foi aos 10. Em grande jogada pelo meio, Rodrigão deu passe na direita para Renato, que chegou batendo rasteiro e exigiu boa defesa de Marcelo Pitol.

Aos 19, após lançamento de pé direito de André Moritz nas costas de Cametá, Renato saiu de cara com o goleiro e tocou por cobertura para abrir o placar em Pelotas: Avaí 1 a 0. Sem muita criatividade, o Brasil de Pelotas tocou muito a bola no campo de defesa e sofreu de uma pressão rival em sua saída de bola, perdendo a posse em alguns momentos por conta da postura avaiana.

Em mais uma jogada rápida de contra-ataque, aos 26, Rodrigão arrancou pelo meio, Luan Pereira tocou para a entrada da área e Moritz, desequilibrado, chegou batendo, mas mandou à direita do gol. Para piorar a situação xavante, em arrancada pela esquerda do zagueiro Luan, Pereira derrubou o rival com carrinho, tomou o segundo amarelo e deixou o Brasil com um a menos.

Com 10 jogadores, as deficiências do Brasil só aumentaram, e foi na bola parada que a chance surgiu. Aos 42, em cobrança de escanteio fechada de Lourency na primeira trave, Leandro Leite raspou, Aranha desviou e a bola bateu na trave e ficou viva no meio da área até a zaga do Avaí afastar de qualquer maneira a última oportunidade da etapa inicial em Pelotas.

Com um jogador a mais, o Avaí teve mais posse de bola - terminou com 44% -, e mais finalizações (11 a 7). Sempre nos lances de bola parada e cruzamentos, o Brasil de Pelotas chegava com perigo. Apesar de uma arma relativamente rudimentar, o time catarinense teve muitas dificuldades para acertar a marcação dos homens altos do Xavante. 

Aos seis, Guga recebeu bola ajeitada por Renato e arriscou da quina da área, mandando com perigo sobre o gol de Pitol. No minuto seguinte, um lance que resumiu bem grande parte do jogo. Em cobrança fechada de falta, a zaga não conseguiu afastar e Léo Bahia ficou com o rebote, mas Betão apareceu no meio do caminho para interceptar o chute. Na sequência, na falha de posicionamento da defesa xavante em contra-ataque, Guga apareceu em velocidade na entrada da área e bateu forte, mas acabou chutando por cima.

Com menos ímpeto, o Avaí tentava administrar a vantagem e sair na velocidade para matar o jogo, porém, foi menos preciso que na primeira etapa e sempre tomando sustos. Aos 19, em bola alçada na área por Lourency, Aranha saiu mal, largou a bola no pé de Leandro Camilo, que finalizou desequilibrado e deu tempo para o goleiro se recuperar e segurar. Dois minutos depois, depois de boa tabela pela direita, Guga tocou rasteiro para a entrada da área e Moritz chegou batendo rasante, de primeira, mas Pitol segurou firme.

Com um maior desgaste do Brasil de Pelotas, Gilmar dal Pozzo trocou peças de ataque tentando melhorar o ritmo, enquanto Geninho manteve a estrutura do Avaí para tentar garantir a vitória fora de casa. Aos 35, pouco após entrar em campo, Luiz Eduardo dominou lançamento de Itaqui no peito, girou para cima da marcação e finalizou de bicicleta da entrada da área, mandando por cima do gol.

Já aos 41, em contra-ataque de três contra um, Lourenço avançou pela esquerda na velocidade, saiu na cara de Pitol e tocou por cobertura, mandando por pouco à esquerda do gol e perdendo chance incrível. No lance seguinte, em cobrança de falta de Itaqui, Leandro Camilo raspou de cabeça no canto e empatou o jogo em Pelotas. Por pouco, ainda não veio a virada. Aos 43, após corte ruim da defesa do Avaí em nova cobrança de falta na área, Luiz Eduardo finalizou de bicicleta da marca do pênalti e exigiu grande defesa de Aranha. No fim, o Avaí, que esteve a frente do placar e em vantagem na maior parte da partida, teve que segurar a vitória no fim, mesmo com 11 contra 10.

Com 23 pontos, o Brasil de Pelotas é o 16º, correndo riscos de ser ultrapassado por Londrina e CRB, que tem 21 e ainda jogam no rodada. Já o Avaí, que poderia ter aberto cinco pontos de vantagem para o quinto colocado e assumido a vice-liderança, é o terceiro com 33, tendo sua posição ameaçada por Atlético-GO, Goiás, Figueirense e Vila Nova.

As duas equipes voltam a campo na próxima terça-feira (21), às 19h15. O Brasil de Pelotas joga outra vez em casa, diante do Paysandu. Também diante da sua torcida, o Avaí enfrenta outro gaúcho, o Juventude.