Experiência e juventude: Luxemburgo e Talles Magno reerguem o
Vasco no Brasileirão
Talles Magno contra o São Paulo (Foto: Reprodução / Vasco)

Experiência e juventude: Luxemburgo e Talles Magno reerguem o Vasco no Brasileirão

Após início ruim, chegada do novo treinador e ascensão de joia mudam patamar do Cruzmaltino na competição 

cleiton-fernandes
Cleiton Fernandes Marques

O início do Vasco da Gama no Brasileirão foi assustador. Após o vice do Campeonato Carioca e a demissão do então técnico Alberto Valentim, a equipe manteve o desempenho ruim do antigo treinador e começou o campeonato com um empate e três derrotas, sendo duas goleadas, amargando a lanterna da competição.

Além de ir mal em campo, fora dele as coisas também iam de mal a pior. Turbulência política, atrasos salariais e insatisfação de parte do elenco. Fatores estes que refletiam claramente dentro das quatro linhas. A missão complicadíssima de reerguer o Vasco no campeonato e afastar a crise instaurada dentro do clube foi dada a um velho conhecido do futebol brasileiro, que vinha afastado dos gramados desde outubro de 2017: Vanderlei Luxemburgo.

O experiente treinador chegou já mostrando as suas credenciais. Descartou os jogadores que não iria contar e uniu o restante do elenco. E o efeito foi imediato: em cinco partidas antes da pausa para a Copa América, foram duas vitórias e dois empates. O time deixou a lanterna e entrou em recesso fora da zona de rebaixamento.

Talles Magno: a joia vascaína

O técnico Vanderlei Luxemburgo aproveitou a pausa para a Copa América para dar um padrão de jogo ao Vasco. Com a chegada do volante Richard, passou a escalar o time com três volantes. Outro que chegou para compor o elenco cruzmaltino foi o meio campista Marquinho. Porém, foi um garoto de apenas 17 anos que mudou o patamar da equipe no Brasileirão.

Desde que estreou, Talles Magno vem sendo o cara do Vasco. É sem dúvida o jogador mais perigoso da equipe, aquele que tenta jogadas diferentes, sempre buscando o drible. O jogador que faltava ao Vasco de Vanderlei Luxemburgo.

Foi dos pés de Talles que o Vasco começou a construir a vitória contra o São Paulo em São Januário. Foi dele também o gol da vitória contra a Chapecoense na última rodada. A ascensão do jovem já vem chamando a atenção de outras equipes e já existe uma batalha pela administração da carreira do jogador.

"Tem de deixar ele [Talles] jogar. Vai ter jogos em que vai dar o drible e vai perder, aí vou dar uns tapas na orelha dele. Mas é um jogador que está buscando seu espaço. Temos no Brasil essa pressa de fazer um moleque de 17 anos a salvação da pátria", disse o treinador Luxemburgo depois da vitória sobre o São Paulo.

O Vasco, inclusive, entrou em rota de colisão com a CBF para poder escalar o atleta no clássico contra o Flamengo. Talles havia sido convocado para defender a seleção sub 17 em dois amistosos. Após a CBF não desconvocar o jogador, o Vasco não liberou Talles e buscou no STJD a permissão para escalá-lo no clássico, tamanha a importância que este garoto de apenas 17 já conquistou.

Números

Ao longo do primeiro turno o Vasco utilizou 35 jogadores, sendo 10 revelados em São Januário. Foram 282 desarmes certos, 62 dribles, 89 finalizações, 53 cartões amarelos, dois vermelhos, 308 faltas cometidas e 284 sofridas. Em São Januário, o Vasco tem aproveitamento de 61,9%. Como visitante, o aproveitamento é de 29,63%. O que precisa ser melhorado no segundo turno é o número de gols sofridos. O Vasco tem, ao lado do Fortaleza, a quinta pior defesa da competição.

Após o fim do primeiro turno o Vasco se encontra na 12° posição, a melhor colocação da equipe neste Brasileirão. O próximo desafio será contra o Athletico, domingo, em São Januário. Na segunda metade do torneio, Luxemburgo deseja um campeonato mais tranquilo para, quem sabe, almejar algo maior para o Vasco na competição.

VAVEL Logo
CHAT