Após classificação do Vasco, Ricardo de Sá Pinto critica arbitragem e elogia atuação: "Jogadores fizeram jogo muito bom" 
Foto: Staff Images/ COMMEBOL

Na noite desta quarta-feira (4), o Vasco enfrentou o Caracas fora de casa, em partida de volta da segunda fase da Copa Sul-Americana. A equipe cruz-maltina empatou em 0 a 0 após vencer em casa por 1 a 0 e se classificou para as oitavas de final.

Ao fim da partida, o português Ricardo de Sá Pinto concedeu uma entrevista coletiva. O treinador elogiou a atuação da equipe e fez críticas à arbitragem. 

"Jogadores fizeram jogo muito bom, muito inteligentes. Tivemos que jogar contra más decisões de um árbitro. Condicionou o nosso time, e o nosso time teve que ter um controle emocional muito grande. Nos deu três amarelos sem necessidade alguma. Não marcou três pênaltis contra nós. Se tivesse o VAR, talvez marcasse. Provavelmente (o árbitro) teve um dia ruim", falou.

O comandante vascaíno também falou sobre o uso de três zagueiros. 

"Para hoje serviu. No futuro logo se saberá, para hoje foi estratégico. Temos outra estrutura, essa foi outra que trabalhamos. Podemos eventualmente trabalhar outra, não vamos andar a trabalhar 30 estruturas táticas. Temos uma bem trabalhada já, que é o 4-2-3-1, mas que também precisamos melhorar em termos de sistema tático inicial. Também pode ser no 4-4-2. Podemos mudar para o 4-1-4-1 dependendo do que acharmos", continuou.

Sá Pinto seguiu a elogiar seus comandados e manteve as críticas à arbitragem colombiana.

"Não marcamos, mas eles também não marcaram. E não marcamos também porque o árbitro não deixou. Se fossem marcados um ou dois pênaltis, dificilmente não faríamos gols. Criamos oportunidades, não deixamos o adversário chegar, controlamos bem o adversário. Fomos uma equipe organizada. Estou muito contente com a equipe, mas há muito trabalho para frente. Em duas semanas, ninguém bota um time a jogar do jeito que gostaria", declarou. 

Perguntado sobre favoritismo na competição, o português descartou qualquer previsão e manteve contentamento com o momento atual e a vaga obtida.

"Não somos candidatos a ganhar nenhuma competição a esta altura, tínhamos como objetivo passar e fazer história. Porque só em 2011 essa equipe chegou à Sul-Americana. Mesmo diante de tantas dificuldades. Diante de tão pouca paz, porque se tem eleições, e fala-se muita coisa. Conseguiu um resultado contra a melhor equipe da Venezuelana, um time que foi melhor do que o Medellín, que foi quase melhor do que o Libertad, do Paraguai. Temos que estar satisfeitos", concluiu.

Na próxima fase da Copa Sul-Americana, o Vasco enfrenta o time argentino do Defensa y Justicia. Dessa vez o Gigante da Colina irá decidir a segunda partida em casa. 

VAVEL Logo