Tite admite peso ao vencer Uruguai e exalta Brasil como melhor defesa das Eliminatórias
Foto: Lucas Figueiredo/CBF

A seleção brasileira terminou 2020 do mesmo jeito que começou: com vitória.  A vítima da vez foi o Uruguai, que levou 2 a 0 no Estádio Centenário, com gols de Arthur e Richarlison ainda no primeiro tempo.

"É um clássico com uma história extraordinária, que nos venceu em 1950 e cada vez que se joga contra tem um peso e um respeito muito grande. Os atletas sentem essa dimensão", comemorou o técnico Tite, relembrando o episódio conhecido como Maracanazo na vitória uruguaia por 2 a 1 na final da Copa do Mundo.

"Estamos no meio de uma pandemia, espero que até lá já tenha vacina para que o público possa aparecer com segurança e que o espetáculo fique melhor", acrescentou Tite em referência aos próximos jogos da seleção brasileira, que volta a campo apenas em março.

Foto: Lucas Figueiredo/CBF
Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Além do Uruguai, o Brasil ganhou de Bolívia, Peru e Venezuela. É a única das 10 seleções que iniciou as Eliminatórias com 100% de aproveitamento. Para completar, foram 12 gols marcados (um a menos do que o Equador) e apenas dois sofridos, ambos para os peruanos (defesa menos vazada, assim como a Argentina).

Nas Eliminatórias a seleção brasileira saiu de campo sem sofrer gols em três dos quatro jogos. "Nosso sistema defensivo começa lá na frente. Precisamos de todos os atletas para dar essa solidez e quando temos jogadores de alto nível que se propõe a batalhar pela bola e cumprir função tática é um exemplo", exaltou o auxiliar Matheus Bachi.

"Assim como nosso processo ofensivo começa na saída de bola com nosso goleiro e nas construções com nossos zagueiros. Hoje tivemos um desenho diferente em relação à Venezuela, com dois externos como flechas e o Firmino compondo um meio com quatro jogadores, sem ferir as características. Não estamos pedindo coisas diferentes do que eles fazem", concluiu Tite.

Foto: Lucas Figueiredo/CBF
Foto: Lucas Figueiredo/CBF
VAVEL Logo