Fortaleza
e Flamengo empatam sem gols e deixam de avançar na tabela do Brasileirão
Foto: Alexandre Vidal/Flamengo

Em jogo de pouca criatividade, Fortaleza e Flamengo não saíram do 0 a 0 neste sábado (26) pela 27ª rodada do Brasileirão. Na Arena Castelão, Pedro chegou a marcar em cobrança de pênalti, mas teve o gol anulado por irregularidade no lance.

Era o primeiro encontro entre Rogério Ceni como técnico rubro-negro e o Leão após sua segunda saída do clube cearense. Desde que deixou o comando técnico, a equipe tricolor não conseguiu manter a campanha surpreendente que vinha fazendo e foi para o confronto na 14ª posição. Somente dois pontos a separavam do Vasco, time que abria a zona de rebaixamento, além de precisar superar as últimas duas derrotas seguidas. Já o Rubro-negro chegava ocupando a vice-liderança, buscando diminuir os cinco pontos de diferença para o líder São Paulo e vindo de quatro vitórias seguidas.

Estratégias

Marcelo Chamusca não pôde contar com Juninho por expulsão na partida anterior, contra o Ceará, nem com Yuri César no ataque por suspensão e questões contratuais com o Flamengo. Esquema tático: 4-4-2. Felipe Alves no gol. Paulão e Jackson formaram a dupla de zaga, enquanto Gabriel Dias e Carlinhos cuidaram das laterais. No meio-campo, Tinga ficou na dobradinha com o lateral-direito, Felipe e João Paulo centralizaram no primeiro combate e na construção, além de Ronald pela ponta-esquerda. E, no ataque, David subia pela direita, e Romarinho, pela esquerda apostando na velocidade.

Rogério Ceni teve importantes desfalques: Gabriel Barbosa e Filipe Luís, ambos por suspensão, e Diego Alves por dores musculares. Por outro lado, Willian Arão retornou após lesão. Esquema tático: 4-4-2. Hugo no gol. Rodrigo Caio e Natan formaram a dupla de zaga, enquanto Isla e Renê cuidaram das laterais. No meio-campo, Willian Arão e Gerson compuseram a dupla de volantes, dando o primeiro combate e iniciando as jogadas ofensivas; mais à frente, Everton Ribeiro e Arrascaeta foram os responsáveis pela criação ofensiva. No ataque, Bruno Henrique ameaçava em velocidade pela esquerda, e Pedro marcava posição na área como centroavante.

Leão sofre no setor ofensivo, e Rubro-negro não encontra sua atuação envolvente

A etapa inicial foi de muita marcação, especialmente do lado mandante, e de pouco chute no gol. Já de início, o Flamengo pressionava a saída de bola adversária, desde a posse com o goleiro. O jogo logo ficou truncado, com pouca bola rolando. O Fortaleza apostava em uma marcação baixa, só no campo de defesa. Aos 11 minutos, a primeira finalização do jogo e uma das raras, em chute forte de David.

Ocasionalmente, o Leão subia a marcação e assustava a defesa carioca com roubadas de bola perto da área. Com 15, eram 59% de posse de bola para o Rubro-negro, número que pouco oscilaria até o intervalo, mas 2 a 1 em finalizações para o time da casa. Gerson resolveu, então, adiantar a posição e auxiliar o ataque mais pela esquerda. A equipe de Ceni tinha dificuldade de infiltrar a área adversária pela última linha de marcação. Do outro lado, a de Chamusca, praticamente, não tinha jogo no meio-campo, subindo pelos corredores e logo apostando na dupla de ataque.

O Flamengo aparecia inteiro no campo de ataque, mas ainda não conseguindo superar a marcação na frente da área. Como alternativa, tentava levantar no ataque, mas também sem superioridade. Pelo Tricolor, David era quem mais arriscava, de fora da área pela esquerda. Até que, mãos 38 minutos, pênalti a favor do Rubro-negro: Pedro puxado por Jackson na entrada da pequena área. O próprio camisa 21 foi para a cobrança, porém escorregou na hora do chute, deu dois toques na bola e teve o gol anulado.

Nos últimos minutos, o Leão pegou a bola, conseguindo trocar alguns passes, mas sempre optando por tocar para trás. Na ida para os vestiários, 6 a 4 em chutes a favor do mandante e apenas 1 a 1 no alvo.

Mudanças surtem pouco efeito

Isla não voltou do intervalo, sendo substituído por João Lucas. Com dois minutos, uma finalização para cada lado, dando impressão de um segundo tempo mais animado ofensivamente. Entretanto poucas foram as modificações de postura de ambos os lados, principalmente até determinadas trocas de Chamusca.

O Flamengo tinha a bola, mas seguia com as mesmas dificuldades de penetração, trocando passes de um lado para o outro no campo de ataque. Enquanto isso, o Fortaleza postava a mesma marcação recuada, apostava no contra-ataque, porém sem conseguir qualquer um perigoso.

Bruno Henrique, Everton Ribeiro e Arrascaeta, essenciais às boas performances do time, pouco construíam ou criavam na frente. Foi quando o Leão teve mexidas: João Paulo e David saíram para as entradas de Osvaldo e Wellington Paulista.

Os substitutos deram movimentação e presença ao ataque tricolor. Aos 17 minutos, 65% em posse e 8 a 7 em finalizações, números favoráveis ao visitante, mas ainda 1 a 1 em chutes a gol, evidenciando problemas de pontaria das duas equipes. Em compensação, atuação segura de Paulão na zaga cearense, enquanto Felipe passou a arriscar finalizações de fora da área no setor ofensivo.

Ceni também optou por alterações: Arão e Everton Ribeiro deram lugar a Diego e Vitinho. Entretanto tais entradas não surtiram tanto efeito. Em seguida, pelo Fortaleza, Gabriel Dias deu vez a Mariano Vázquez.

O time da casa passou a ser mais perigoso que o adversário no ataque: Osvaldo deu opção na ponta-esquerda, Vázquez deu mais construção, enquanto Wellington Paulista trouxe presença e experiência dentro da área.

E mais trocas: Chamusca sacou Ronald e Romarinho para colocar Derley e Bergson, mais perto do gol; Ceni tirou Arrascaeta para a entrada de Pepê. Já no final do jogo, uma sequência de oportunidades em cobranças de falta para os dois lados, porém o 0 a 0 permaneceu. Números finais: 64% de posse de bola e 13 a 11 em chutes, ambos para o visitante, contudo 4 a 2 no alvo a favor do mandante.

Classificação e próximos compromissos

Com o empate em casa contra um dos favoritos ao título, o Fortaleza permanece na 14ª colocação, agora com 31 pontos. Três a mais que o Vasco, abrindo o Z-4, que ainda joga na rodada. O próximo compromisso do Leão é apenas no dia 6 de janeiro, quarta-feira, às 20h30 fora de casa contra o Sport, confronto nordestino contra o Z-4.

Já o Flamengo perdeu uma chance de encostar na liderança e ainda viu o Atlético-MG ultrapassar após vencer seu compromisso. O Rubro-negro ocupa agora a terceira posição, com 49 pontos, e volta a campo também no próximo dia 6, quando tem o clássico carioca contra o Fluminense às 21h30.

Standings provided by SofaScore LiveScore
VAVEL Logo