Enderson cita fator psicológico em derrota para o Bahia: "Desajuste emocional"
Imagem: reprodução TV Leão

O Fortaleza foi goleado pelo Bahia na noite deste sábado (20) no Castelão e, caso Vasco ou Goiás vençam suas partidas hoje, a equipe vai ter que vencer o Fluminense na última rodada para escapar do rebaixamento.

A situação que parecia tranquila, ficou complicada e pode ficar terrivelmente assustadora em caso de vitória dos concorrentes diretos. Em campo, a equipe treinada por Enderson Moreira não se encontrou e foi presa fácil para o Bahia. Após o jogo, o treinador falou sobre a partida:

“A gente tinha muito clara a ideia de jogo do Bahia. Era um time que ia se fechar muito atrás e sair na escapada deles. E foi o que aconteceu. Só que eles tiveram êxito já na primeira jogada, que acabou abalando a nossa equipe. Aconteceu um desajuste emocional que acontece, nós não podemos controlar. Nós ainda tivemos chances de empatar o jogo e recolocar o time em um aspecto emocional mais tranquilo. Aí no segundo tempo foi uma enxurrada de coisas ruins e não conseguimos colocar a bola no chão. Está todo mundo muito triste, chateado, mas ainda dependemos apenas das nossas forças. Precisamos nos reerguer, ter coragem, ter fé e enfrentar as dificuldades. Ainda podemos escapar no próximo jogo e vamos trabalhar para isso.”

Sobre a queda de rendimento da equipe, Enderson falou:

“Foi um ano muito difícil pra todos, todas equipes tiveram dificuldades. Mas nós já jogamos bem, oscilamos, mas fizemos boas partidas. Agora é focar para buscar o resultado lá no Rio de Janeiro. Sabemos da qualidade da equipe do Fluminense, mas vamos trabalhar para conseguirmos um bom resultado.”

Enderson também falou sobre a saída de Igor Torres da equipe, autor de um dos gols contra o Vasco, há 10 dias:

“Eu achei que era o momento da gente tirar um pouco o Torres, preservar um pouco. É um garoto de qualidade, mas que sente um pouco a pressão. Eu tinha a convicção que o Bahia ia jogar atrás, esperando pelo nosso erro, por isso preenchi mais o meio para criarmos mais jogadas. Um jogador que vai para o vestiário sempre pode voltar melhor. Então uma, duas ou três modificações pode ser melhor para recuperar os atletas.”

“Até pouco tempo atrás o time não fazia gol, então melhoramos muito nesse aspecto. O que pioramos muito foi o sistema defensivo. Precisamos nos fechar melhor, está muito fácil entrar por dentro da nossa equipe, muito fácil para os adversários fazer jogadas pelos lados do campo. Hoje não estivemos nem perto de fazer o que jogamos contra o Vasco. Mas sabemos que esse grupo pode fazer coisas melhores.”

As alterações feitas pelo treinador também não surtiram efeito no segundo tempo:

“A intenção com as alterações sempre é de melhorar a equipe. Colocamos jogadores descansados e que tecnicamente poderiam melhorar a equipe, criar jogadas diferentes. Tivemos boas oportunidades, se tivéssemos acertado um chute de fora da área, uma bola parada, poderíamos ter tirado um pouco da tranquilidade do Bahia.”

Para finalizar, Enderson falou se o Fortaleza relaxou após a vitória contra o Vasco:

“Em momento algum nós relaxamos. Nós sempre saímos com antecedência, nos preparamos, independente da tabela. A gente é focado naquilo que precisa ser feito e não vamos fazer diferente. Tudo que precisar ser feito para fazer um grande jogo contra o Fluminense nos vamos fazer", finalizou.

O último jogo do Fortaleza no campeonato será contra o Fluminense, na próxima quinta-feira, às 21h30, no Maracanã.

 

VAVEL Logo