Presidente do América-MG ameaça impedir Atlético-MG de jogar no Independência

Alencar da Silveira Jr. não gostou das declarações do mandatário alvinegro, Daniel Nepomuceno, sobre a mudança no mando de campo da partida entre Coelho e Palmeiras

Presidente do América-MG ameaça impedir Atlético-MG de jogar no Independência
Foto: Mourão Panda/América-MG

As declarações do presidente do Atlético-MG, Daniel Nepomuceno, sobre a alteração do local da partida entre América-MG x Palmeiras, neste domingo (9) para a cidade de Londrina, continua dando "pano pra manga". Agora quem se pronunciou foi outro membro do conselho administrativo do Coelho, Alencar da Silveira Jr. 

Insatisfeito com a mudança do local da partida que, teoricamente, beneficiaria ao Palmeiras, concorrente direto pelo título brasileiro com o Atlético-MG, Daniel Nepomuceno lembrou que a alteração de local da partida só poderia acontecer dentro do estado, conforme previsto no regulamento da Federação Mineira de Futebol (FMF).

"Eu estou dizendo o seguinte: a regra determina, na FMF, que você pode mudar o mando dentro do Estado. Até aí você entende. O Flamengo, que é o único time que não teve outra maneira, nós discutimos na CBF, de levar jogos em outras praças devido à Olimpíada. A partir disso, você ter negociação do seu mando é uma vergonha para a torcida, que não tem que aceitar isso. Segundo que isso muda completamente a regra. Da mesma maneira que ele que já caiu e foi campeão vai abandonar o campeonato, deveria haver punição. Eu não posso depender do América para nada, o Atlético caminha com as próprias pernas e, sempre que depende de qualquer ligação, somos prejudicados por não ter esta visão", disparou.

Sem papas na língua, Alencar da Silveira Jr. retrucou, em sua conta pessoal no Twitter, dizendo que impedirá o Atlético-MG de atuar no Independência.

"Se o Daniel [Nepomuceno] continuar enchendo o saco pela transferência do nosso jogo vou proibir o Atlético de jogar no nosso estádio, inquilino é duro", escreveu.

Após a reforma do Independência, o América-MG cedeu o estádio ao Governo de Minas Gerais por 28 anos. O contrato da BWA para administração da Arena tem duração de dez anos, em parceria com o Atlético-MG, que firmou este contrato para mandar seus jogos no Horto pelo mesmo período. O Coelho tem direito a 5% de toda a receita bruta do estádio.