Em dia de reencontros, Ceará enfrenta Guarani atrás de recuperação

Após derrota na última rodada, Alvinegro busca voltar ao caminho das vitórias diante do ameaçado Guarani. Marcelo Chamusca e Lisca voltarão a clubes que treinaram anteriormente

Em dia de reencontros, Ceará enfrenta Guarani atrás de recuperação
Foto: Luciano Claudino/Guarani Press
Ceará
Guarani
Ceará: Éverson; Richardson, Rafael Pereira, Luiz Otávio , Romário; Raul, Pedro Ken e Ricardinho; Lima, Elton, Leandro Carvalho. Técnico: Marcelo Chamusca
Guarani: LEANDRO SANTOS; LENON, EWERTON PÁSCOA, WILLIAN ROCHA(DIEGO JUSSANI), SALOMÃO; BARAKA, BETINHO, BRUNO NAZÁRIO, FUMAGALLI(LUIZ FERNANDO), RICHARLYSON; CAÍQUE TÉCNICO: LISCA
INCIDENCIAS: PARTIDA VÁLIDA PELA 34ª RODADA DA SÉRIE B DO CAMPEONATO BRASILEIRO, A SER REALIZADA NO ESTÁDIO CASTELÃO, EM FORTALEZA

A 33ª rodada não foi boa para Ceará e Guarani, que se enfrentam nessa terça feira (7) às 21h30 pelo horário de Brasília, 20h30 pelo horário local, em confronto válido pela 34ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Enquanto o Alvinegro cearense teve sua sequência de bons resultados encerrada após derrota diante do Juventude, pelo placar de 1 a 0, jogando em Caxias do Sul, o Bugre foi derrotado em Campinas pelo atual vice-líder, o América-MG.

No confronto entre as duas equipes no primeiro turno, após estar vencendo por 1 a 0 no Brinco de Ouro, o Vozão tomou a virada e empatou no final da partida, pelo placar de 2 a 2. 

Mesmo com a rodada desfavorável, o Ceará segue dependendo apenas de si para conseguir o sonhado acesso. Vale lembrar, que dos últimos cinco jogos, três serão em casa e também se valendo do bom desempenho do Vozão como visitante na atual edição da Série B. Além disso, com o tropeço do Internacional contra o Luverdense, o Alvinegro pode diminuir a distância para a liderança para dois pontos.

Já o Guarani, segue com situação complicada e busca uma vitória fora de casa para se distanciar do Z-4, ocupando atualmente a 16ª colocação, mesma pontuação do CRB, que seria o primeiro clube a ser rebaixado para a Série C em 2018. 

Sem tempo para lamentações, Ceará foca nos jogos restantes

Após a derrota para o Juventude, o discurso pregado pelo treinador Marcelo Chamusca, que comandou o Guarani em 2016 na campanha de retorno do Bugre para a Série B, e pelos jogadores, foi de que o momento no time é de trabalho para retornar ao caminho das vitórias, contando com o apoio do torcedor e com um time completo para o duelo diante do Guarani, visto que Romário, suspenso no último jogo, retornará como titular. 

"A luta continua e não há tempo para lamentar nada. Temos é que nos focar para vencer o Guarani e retomar o caminho que estávamos seguindo rumo ao acesso", disse o volante Pio, após a derrota diante do Juventude. 

Será o 18º confronto entre as duas equipes e os bugrinos levam ampla vantagem no retrospecto. São nove triunfos do Guarani, seis empates e apenas duas vitórias do Alvinegro. Porém, o bom público esperado e o retrospecto em casa do Ceará na Série B, que não perde em seus domínios desde a 16ª rodada, conta em favor do Vozão.

Vencer ou vencer é o discurso no Guarani

A inesperada derrota para o América-MG por 1 a 0 em casa, na última rodada, dificultou ainda mais a vida do Guarani nesta reta final da Série B. Precisando urgentemente da vitória para fugir das últimas colocações, a equipe paulista comandada por Lisca, que treinou o Ceará entre 2015 e 2016, terá o retorno de Diego Jussani, que cumpriu suspensão automática e podérá entrar na vaga de Willian Rocha pela posição, enquanto Fumagalli e Luiz Fernando disputam vaga no meio-campo.

"Temos que saber controlar bem a partida.Tem que encarar a torcida e o time adversário, pois no futebol, são 11 contra 11. Torcida ajuda, mas muitas vezes coloca  uma pressão para o mandante e iremos tentar explorar isso ao máximo.", disse o treinador Lisca após o último treino da equipe, que antecipou em um dia a viagem a Fortaleza. 

O Guarani tenta quebrar tabu de 43 anos sem vencer o Ceará fora de casa. A ultima e única vitória foi de 1 a 0, no Castelão, pelo Brasileirão de 1974, com gol de Clayton. Desde então, em mais seis duelos em solo cearense, foram quatro empates e duas derrotas.