Um ano do acidente da Chapecoense: renascimento com título e vaga na Sul-Americana

Após tragédia de novembro, Chapecoense conquistou o bicampeonato estadual e a vaga na Sul-Americana

Um ano do acidente da Chapecoense: renascimento com título e vaga na Sul-Americana
Fotomontagem: Rodrigo Rodrigues/VAVEL Brasil

Seis meses após a tragédia aérea que tirou a vida de quase toda a sua delegação, que seguia para a disputa da final da Copa Sul-Americana na Colômbia, a Chapecoense pôde celebrar sua primeira conquista em campo. Ao derrotar o Avaí, o time ficou com a taça do Campeonato Catarinense, o sexto de sua história e o segundo seguido.             

O título veio com derrota em casa diante do Avaí por 1 a 0. Na partida de ida, a Chape venceu pelo mesmo placar em Florianópolis e fez valer a vantagem de dois resultados iguais por ter a melhor campanha. Com a conquista, a Chapecoense mostrou que "depois da tempestade vem a bonança"

Chapecoense conquista o bicampeonato de Santa Catarina pela primeira vez na história Foto: Sirli Freitas/ Chapecoense
Chapecoense conquista o bicampeonato de Santa Catarina pela primeira vez na história Foto: Sirli Freitas/ Chapecoense

No começo do Campeonato Brasileiro da Série A, alguns clubes pediram que a Chapecoense tivesse a "imunidade" para não ser rebaixada, mas o clube não aceitou, preferiu jogar sem nenhum "privilégio". O único objetivo de toda a comissão era ficar na elite do futebol brasileiro.

No começo da competição, a Chape estava bem, ficou algumas partidas na parte de cima da tabela, mas a equipe começou a sofrer com contusões, troca de técnicos e ali levaria à equipe "brigar" contra o rebaixamento. Nada para o time de Chapecó foi fácil, que teve em seu comando Vinicius Eutrópio após a saída de Vágner Mancini.

Foi um momento em que o coração e a coragem precisaram falar mais alto que o cansaço pela sequência. Com isso, veio a pior fase da Chapecoense no torneio, mas um tipo de situação em que o mar se revolta para pôr à prova os bons navegadores.

O auxiliar técnico Emerson Cris assumiu a Chape como interino e depois teve a chegada de Gilson Kleina. Com uma responsabilidade tremenda e uma missão especial, vestiu a camisa com sentimento e foi o responsável por comandar a maior série invicta da equipe no Brasileirão.

O jogo da confirmação da permanência na Série A foi contra a equipe do Vitória. Todos sabiam que aquela noite não seria como outra qualquer, Com o jogo extremamente difícil, o resultado positivo em cima do time baiano, na noite de quinta-feira, na Arena Condá. Mais uma vez, contrariando as expectativas, o Verdão permaneceu. Sem imunidade contra o rebaixamento, o Davi, armado de uma pedra chamada planejamento, torcida e humildade, derrotou o Golias, e garantiu o quinto ano seguido na elite do futebol nacional. 

Foto: Sirli Freitas
Foto: Sirli Freitas/Chapecoense

Ao final da partida, o Presidente Plinio David De Nes Filho fez questão de enfatizar a dedicação e o comprometimento do grupo na temporada 2017 e afirmou que o esforço de todos foi “além do normal”. O vestiário explodiu. O “Vamos, vamos Chape” ecoou pelos corredores. Foi repetido pela torcida. Chegou às ruas. Grita, Chape! Grita, porque a permanência é sua. Mais uma vez se fez grande, e mostrou ao Brasil a força da união de uma cidade.

Foto: Sirli Freitas
Foto: Sirli Freitas/Chapecoense