Chapecoense joga mal, tem dois expulsos e perde em casa para o Nacional-URU

Equipe de Santa Catarina não consegue superar Nacional e larga em desvantagem na segunda fase da Copa Libertadores da América 2018

Chapecoense joga mal, tem dois expulsos e perde em casa para o Nacional-URU
(Foto: Reprodução / Nacional.uy)
Chapecoense
0 1
Nacional-URU
Chapecoense: Jandrei; Apodi, Douglas, Fabrício Bruno, Bruno Pacheco; Amaral, Lucas Mineiro (Bruno Silva), Márcio Araújo, Nadson (Perotti); Guilherme (Eduardo) e Welington Paulista. Técnico: Gilson Kleina
Nacional-URU: Conde; Fucile, Corujo, Arismendi e Espino; Oliva; Romero e Zunino; Viúdez (Bergessio), Sebastián Fernández (Álvaro González) e Carlos De Pena. Técnico: Alexander Medina
Placar: 0-1, min. 78, Santiago Romero;
ÁRBITRO: Patricio Loustau, auxiliado por Hernan Maidana e Juan Belatti.
INCIDENCIAS: Partida de ida válida pela segunda fase da Copa Libertadores da América 2018, sendo disputada para 11.367 torcedores na Arena Condá, em Chapecó/SC

A Chapecoense estreou na Copa Libertadores da América 2018 diante do Nacional-URU na noite desta quarta-feira (31). Em casa, a equipe do Oeste Catarinense recebeu a equipe que não vive um bom momento, mas não conseguiu aproveitar. Santiago Romero marcou o gol da vitória aos 28 minutos da segunda etapa. A Chape ainda perdeu a cabeça e teve dois jogadores expulsos antes do fim da partida.

O jogo de volta entre as equipes será disputado na próxima quarta-feira (7), no estádio Parque Central, no Uruguai. A Chapecoense precisar vencer por 1 a 0 para levar a partida para os pênaltis. A vitória por dois gols de diferença garante a classificação nos 90 minutos.

Nacional se fecha e aproveita contra-ataques na primeira etapa

Os torcedores do Nacional não estavam confiantes antes da partida. A torcida do time uruguaio chega a dizer que esse é um dos piores times da história do clube. Porém, com a bola rolando a história é outra e ninguém entra em campo pensando em perder. Logo no primeiro minuto, o Nacional conseguiu assustar a torcida da Chapecoense. Sebastián Fernández recebeu ótimo cruzamento e mandou de peixinho, mas a bola passou ao lado da trave do goleiro Jandrei.

A equipe da Chapecoense conseguiu manter um pouco mais de posse de bola, mas não conseguia criar jogadas efetivas. Muito passe de um lado para o outro. Equipe do Nacional esteve bem postado na defesa. A primeira chegada do Verdão do Oeste foi aos 11 minutos. Nadson conseguiu se livrar de dois na marcação e arriscou bater rasteiro, mas o goleiro Conde conseguiu defender.

Os laterais da Chapecoense tentavam avançar, mas sabiam do perigo de deixar espaços na defesa. Apodi era quem tinha mais liberdade nesse tipo de jogada. A velocidade do atleta permitia a chegada na frente e a rápida recomposição na defesa. O Nacional voltou a levar perigo aos 28 minutos. Márcio Araújo perdeu uma dividida e a bola chegou até Zunino, que bateu em gol. A bola do meia foi por cima, mas assustou o goleiro da Chape.

A equipe da Chapecoense encontrou dificuldades principalmente antes de finalizar e muitas vezes acabava perdendo a posse de bola. Em uma dessas jogadas, o Nacional conseguiu recuperar a bola e armar a jogada. Após cruzamento para a área, a bola quase chegou a Carlos de Pena, mas o atacante não alcançou a bola. A última chegada da equipe brasileira na primeira etapa foi aos 40 minutos. Guilherme encontrou Márcio Araújo, que carregou a bola até o momento da finalização, mas acabou mandando por cima da meta de Conde.

Chape leva o gol e perde a cabeça

A qualidade do jogo diminuiu nos primeiros minutos da segunda etapa. A equipe do Nacional conseguiu se fechar e não permitiu que a equipe de Chapecoense criasse jogadas. O time uruguaio chegava ao ataque, mas parecia não ter muita vontade de marcar o gol. O jogo passou a ficar muito preso no meio de campo e com muitos erros de passes. A Chape, que não conseguia chegar tocando a bola, passou a tentar a ligação direta, mas também sem sucesso.

Alexander Medina, treinador do Nacional, mandou Bergessio a campo aos 26 minutos na vaga de Viúdez. Um atacante por outro. A alteração deu resultado dois minutos mais tarde. O atacante avançou sem marcação pelo lado direito e cruzou para a área. Jandrei saiu mal do gol e Santiago Romero abriu o placar para o time uruguaio.

Espino, do Nacional, foi expulso aos 31 minutos por conta do segundo cartão amarelo. Nesse momento a Chapecoense voltou a acreditar. Apodi perdeu uma chance incrível aos 33 minutos. Bruno Silva chutou forte de longe e Conde deu rebote. A bola sobrou nos pés do lateral, que bateu de primeira, mas mandou para fora. O goleiro estava no chão.

Com um a mais em campo, a Chapecoense partiu para o ataque. O time de Santa Catarina chegou forte aos 39 minutos e acertou a trave. Apodi chegou ao fundo e cruzou na área. Bruno Silva encheu o pé e Conde desviou antes da bola bater na trave. Porém, quem também chegou forte foi Perotti. Na sequência da jogada, o atacante entrou de sola no jogador do Nacional e foi expulso. Perotti ficou em campo por seis minutos.

A situação da Chapecoense ficou ainda pior aos 43 minutos. Eduardo, que havia entrados aos 38 minutos, deixou o braço no rosto do adversário e também foi expulso. O lateral ficou em campo cinco minutos. Com o placar favorável, o Nacional passou a segurar o jogo. Antes do término da partida, a Chape teve mais uma chance após falta sofrida por Apodi, aos 48 minutos. A bola foi levantada na área e a Chape teve dois escanteios em sequência, mas não conseguiu aproveitar.