Iluminado, Jô destaca ano de superação: "Jogar no Corinthians tem que ser com pressão"

Atacante que veste a número sete, que simboliza o número de títulos do Campeonato Brasileiro do timão, fala da dificuldade da conquista e da importância do elenco para a conquista da taça

Iluminado, Jô destaca ano de superação: "Jogar no Corinthians tem que ser com pressão"
(Foto: Divulgação/Agência Corinthians)

O suado e sofrido grito de campeão finalmente chegou a garganta dos torcedores corintianos. Muitos não sabiam mas desde a virada de turno do Campeonato Brasileiro, já tinhamos um vencedor da competição. De quarta força de São Paulo para a liderança do Brasil. A história do Corinthians nesse ano, se assimila, um pouco com as histórias do atacante , artilheiro do time e ídolo da torcida alvinegra. O jogador destacou o quanto foi difícil conquistar o título por conta das críticas e pressão, da mídia e da imprensa.

"Primeiro a gente tem que dar glória à Deus porque a gente acreditou que poderia ser feito um bom trabalho e tomamos muita porrada, natural, e futebol é assim. E jogar no Corinthians tem que ser com pressão. A equipe suportou, tivemos dificuldade no ano mas superamos tudo e conseguimos conquistar esse campeonato difícil e a gente só tem a agradecer essa torcida maravilhosa. Se a gente for citar cada detalhe desse título, a gente vai ficar falando bastante tempo mas agradecer a todos mesmo. Torcida, Deus, meus familiares, minha esposa, meu pai. Enfim, todo mundo merece esse título", explicou Jô com o sorriso estampado no rosto.

Pressão essa que teve de sobra na vitória suada no último jogo, diante do Fluminense, que assegurou o "caneco". Jô ainda aguarda ansioso pela espera de uma outra taça. A artilharia do Campeonato Brasileiro ainda está em disputa e o jogador falou dessa possibilidade de ficar lembrado na memória dos corintianos para o resto da vida. Com 18 gols, o atacante de 1,89m de altura espera selar o ano com "chave de ouro", sendo o goleador da competição, e com o título nacional já conquistado, faltando três rodadas para o fim do torneio.

"Eu estou muito feliz. Primeiro pelo título, tenho que agradecer a Deus pelo título. É claro que ainda tem a probabilidade de ser o artilheiro do campeonato, entrar pra história do clube e, pra mim, vai ser maravilhoso. Mas me sinto já feliz e com o dever cumprido de ter dado esse maravilhoso marco pra torcida e pra todo mundo que merece", argumentou.

(Foto: Divulgação/Agência Corinthians)
(Foto: Divulgação/Agência Corinthians)

Bem verdade que nem o torcedor mais otimista, não esperava um ano tão vitorioso assim. Perda de atletas, procura por técnicos, contratações contestadas. Nenhum dos quesitos dava indícios de uma ano positivo para o coringão que, mesmo sendo abraçado pela sua fiel torcida, sabia que ia enfrentar duras críticas. Porém, com os títulos conquistados, o atacante do timão valorizou o grupo como um todo e, ele mesmo, se disse surpreso com a temporada atual. Para o jogador, cada jogador teve o seu valor.

"Tenho que agradecer a Deus. Deus faz coisas que a gente não imagina. Eu, sinceramente, não esperava um ano tão maravilhoso assim. É claro que eu conhecia meu futebol, sei do meu potencial mas quando você acredita em Deus, Deus faz coisas maravilhosas. Acho que todo mundo é importante, todo mundo teve a sua importância. O Giovanni (Augusto) no jogo contra o Altético paranaense, o Walter também, Kazim, teve Clayson, Camacho. Enfim, todos os jogadores tiveram seus momentos importantes", explicou.

O artilheiro alvinegro não creditou o feito só aos titulares e aos que entraram com mais frequência nos jogos. Também teve seu mérito, segundo o jogador, quem participou dos treinamentos e do cotidiano nos centros de treinamento do timão. Mesmo garantindo que não é um mero clichê, o atacante comemorou o fato de tirar o peso de administrar uma liderança de campeonato e vencer o mesmo, até porque, de acordo com Jô, a perda da primeira colocação esteve perto de acontecer mas de uma coisa o elenco não pode reclamar: O apoio incondicional de sua torcida.

"E quem não jogou muito, nos treinamentos, no dia a dia, é merecedor. As vezes pode ser discurso de que, quando ganha, é sempre o mesmo discurso mas só quem sabe, quem esta no dia a dia sabe o quanto é importante. A gente agradece o nosso torcedor também porque no momento difícil no campeonato ali, que a gente estava perdendo os jogos e vendo a vantagem diminuir, eles nunca desistiram da gente. Colocaram 32 mil pessoas no treinamento e foi maravilhoso. A gente agora tem que tirar esse peso das costas e descansar. Terminar esses três jogos com dignidade porque a gente fez isso o campeonato todo mas já com o dever cumprido", completou Jô.

Com um ano tão maravilhoso assim, só resta uma convocação para a Seleção brasileira. Coisa que ainda passa na cabeça do atacante, que garante manter a esperança até o final, focando no trabalho e sabendo que o treinador da "amarelinha" e seus olheiros estão analisando o jogador.

"Claro que passa. Eu vivi pela Seleção e já sei o quanto é importante você chegar até a Seleção devido o teu trabalho, e eu tenho feito um bom trabalho aqui. Então, eu tenho esperança até a última convocação. Tenho que continuar fazendo meu trabalho. Sei que o Tite é um cara que tá de olho, sempre observando, os auxiliares dele, a comissão toda, então eu tenho uma esperança sim de jogar uma Copa do Mundo. Então vou continuar até o último dia", finalizou o jogador.