Goiás e Paysandu medem forças em duelo direto na parte inferior da classificação

Equipes buscam, além de manter a série invicta, se afastar do Z-4 e tentar uma maior proximidade com o G-4

Goiás e Paysandu medem forças em duelo direto na parte inferior da classificação
Foto: Rosiron Rodrigues/Goiás
Goiás
Paysandu
Goiás: Emerson; Edson Ratinho, Fernando Lombardi, Gilvan e Lucas; Ricardo Capanema, Augusto Recife, Jhonnatan e Rafael Costa; Fabinho Alves e Leandro Cearense. Técnico: Gilmar Dal Pozzo
Paysandu: Renan; Johnatan, Anderson Salles, Wesley Matos e Juninho; Willian, Wendel, Thalles e Léo Sena; Rossi e Cassiano. Técnico: Léo Condé
ÁRBITRO: Diego Almeida Real (RS)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 13ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro 2016, a ser disputada no Serra Dourada, em Goiânia, Goiás

Vivendo momento irregular na Série B do Campeonato Brasileiro 2016Goiás Paysandu se enfrentarão na noite desta terça-feira (28) no Serra Dourada, em Goiânia, às 21h30 pela 13ª rodada. Próximas à zona de rebaixamento, as equipes duelam buscando se afastar ainda mais da degola, porém procurando aproximação da parte de cima da classificação.

Para deixar a situação ruim de lado, os goianos precisarão esquecer o empate no clássico contra o Vila Nova em 1 a 1, no último sábado (25), e usar a série de três partidas sem perder como arma principal. A igualdade com o arquirrival deixou o Verdão na 15ª colocação, com 13 pontos - dois acima do Joinville, atual 17º lugar.

O Papão é mais inconstante, pois soma o mesmo número - quatro - de vitórias, empates e derrotas nos jogos já disputados. Mesmo com uma sequência de cinco duelos sem saber o que é ser derrotado, o bicolor vem de igualdade sem gols com o vice-líder Atlético-GO em plena Curuzu, que o deixou na 13ª posição, somando 16 pontos e ficando no meio das duas zonas da tabela.

A arbitragem do embate é formada por um trio gaúcho. No comando do apito, Diego Almeida Real, que é aspirante à Fifa e faz seu segundo compromisso na Segundona. Alexandre Antônio Pruinelli Kleiniche e Leirson Peng Martins, conterrâneos, são os auxiliares e membros do quadro da CBF.

Léo Condé promove mudanças para se afastar do Z-4

Mesmo embalado pela boa fase, que a fez ficar de fora do Z-4, o Goiás vai a campo com três mudanças em relação ao time que empatou no clássico com o Vila. Voltando a ser opção desde a final do Goiano, por ter saído após uma pancada no tornozelo, o lateral-esquerdo Juninho entra imediatamente na vaga de Jefferson, que estava atuando desde então.

Outra mudança por opção do técnico Léo Condé é na referência, com Cassiano ganhando o espaço de Rafhael Lucas, por causa das últimas boas atuações e o baixo rendimento do companheiro. Já na armação, a alteração é forçada por suspensão, com o jovem Thalles no lugar do experiente David.

Apesar da modificação no setor de ataque, o atacante Rossi, autor do gol salvador contra o Tigre, segue entre os 11 do Verdão. A motivação do centroavante deve-se à determinação dentro e fora dos gramados, pois traçou como objetivo principal não ficar como uma das opções entre os reservas.

"Quando eu cheguei, falei que não vim para ficar no banco de reservas. Respeito quem está aqui, principalmente meus companheiros. Trabalho com humildade no dia a dia e nos treinos, mas não vim para "ficar de colete". Vou me dedicar ao máximo para ajudar o Goiás, pois acredito que estamos jogando bem", declarou o atleta alviverde.

Dal Pozzo aposta na manutenção da base titular

Fechando a preparação com trabalho tático e de bola parada, visando ajustar o posicionamento do time, o técnico Gilmar Dal Pozzo indicou que a base deverá ser mantida. Apesar de já estarem recuperados de contusão, os meias Celsinho e Raphael Luz seguem de fora da lista de relacionados.

Em compensação, o comandante bicolor ganha o reforço do atacante Maílson, emprestado pelo Juventude. O atleta teve o nome publicado no BID da CBF, ficando apto para a estreia, ainda que vá como opção no banco. Por conta disso, a tendência é que Dal Pozzo deva repetir a equipe da última partida.

Após o encerramento das atividades em Belém, o treinador do Papão disse ter assistido aos compromissos recentes do adversário, visando analisar as características dos jogadores rivais. Gilmar destacou que o Goiás deve jogar mais fechado, mesmo atuando com a presença da sua torcida.

"Esperamos, primeiro, produzir um bom futebol e ter merecimento. A gente só vai vencer jogando mais que o adversário, buscando mais o jogo. O Goiás, depois que mudou o comando, faz bons resultados, pois com o Léo Condé o time vem de dois empates e uma vitória, além de jogar bom futebol. Assisti aos últimos dois jogos e, mesmo jogando em casa, não propõe muito jogo e joga no contra-ataque. É uma equipe bastante equilibrada e compacta", disse.