Diego Souza dispara contra direção do Sport e critica Edmundo por problemas pessoais

Bastante emocionado, o meia de 32 anos fez declarações fortes, se mostrou bastante magoado e confirmou existência de uma cláusula de 1,6 milhão em seu contrato

Diego Souza dispara contra direção do Sport e critica Edmundo por problemas pessoais
O camisa 87 diz que não se sentiu protegido durante toda a negociação, mesmo alegando que estava sofrendo com problemas pessoais. (Foto: Divulgação/Sport)

As novelas sempre deixam os seus telespectadores vidrados na telinha. E o personagem principal de uma, que já vinha rendendo uma trama bastante confusa, finalmente quebrou o silêncio. Em pronunciamento na sala de entrevistas do CT, após retornar aos trabalhos nesta quarta-feira, o meia Diego Souza confirmou em tom bastante emotivo que segue no Sport, fazendo também, várias declarações polêmicas. O camisa 87, que não participou do jogo diante do Coritiba na última segunda-feira, pois viajou no último sábado ao Rio de Janeiro alegando "problemas particulares", afirmou que não não gostou da postura da diretoria do Leão em um momento da negociação.

O meia de 32 anos, disse que seus problemas pessoais, infelizmente, calharam de coincidir com o que seria seu sétimo jogo pela Série A, na última rodada. Diego garantiu que a ausência no jogo foi apenas uma coincidência. E que o fato dos diretores do Sport, pelo menos aparentemete não estarem acreditando fielmente nele, o deixaram bastante chateado: "Eu nunca precisei mentir aqui dentro em relação a nada. Sempre tive meu caráter, raramente machucado, muitos jogos durante a temporada. Exemplos para essa juventude. E carreguei essa bandeira, sim, do Sport comigo. Tanto dentro quanto fora de campo. Em todos os sentidos. Aconteceram coisas, nesses dias, que acabei passando por um momento de difciuldade, que me deixam muito trsites. Tristes de verdade. Nunca estive tão triste desde que cheguei no Sport", afirmou o jogador, bastante emocionado.

Diego também revelou a existência da cláusula de saída de 1,6 milhão de euros em seu contrato, derrubando o argumento do "valor impagável", que sempre foi dito pelo presidente Arnaldo Barros: "Desde que cheguei no Sport, a gente tinha uma cláusula que era de saída. Juridicamente, ela pode até não valer nada (além da cláusula, o contrato tem um multa de uma valor muito maior). Mas o espírito da cláusula, quando foi feita, foi feita para uma futura saída. O valor era um milhão e 600 mil euros, sim. Mas o Diego, em momento algum, forçou saída por um milhão e seiscentos mil euros. Meu empresário procurou o clube para negociações", disse.

Diego Souza também garantiu ter deixado para trás R$ 100 mil mensais em salários ao deixar o Fluminense para voltar ao Sport ano passado e comfirmou ter recusado oferta recente da China, que "resolveria sua vida". Usando como argumento, que o problema nunca foi dinheiro, afirmando mais uma vez sua vontade de ficar no Sport. Porém, criticou de forma dura Edmundo, ex-jogador, que atualmente é comentarista esportivo: "Ele é repórter agora? Dizendo que me encontrou na praia. Ele me encontrou na praia porque eu moro no Rio, eu moro na praia. E por mais que eu tenho problemas pessoais, particulares, dei uma volta na praia para arejar minha cabeça. Quem não faz isso? Fui na praia com um amigo que sempre me ajudou. Encontrei com o Edmundo, sim. Normal. Ele frequenta o mesmo lugar que vou. Só que mau caratismo do Edmundo se aproveitar de uma situação como essa, um atleta de futebol com a carreira que ele teve, história bonita, de conquista e está num lado agora que viveu, sabe o que está falando e me perguntou com risada: 'está aqui no Rio é porque vai resolver a situação?' Respondi 'quem dera que fosse'. Estou aqui porque estou resolvendo problemas particulares. E ele, no mau caratismo que digo, diz que vai jogar futevôlei e, na hora que saio, saio com meu empresário, Eduardo Uram. Cita o nome do Eduardo Uram. Não preciso jurar. Mas que eu fiquei sem fazer gols o resto da minha carreira se eu encontrei com meu empresário em algum momento nessa viagem que fiz ao Rio de Janeiro", disparou contra o ex-jogador, atualmente comentarista da FoxSports.

Antes de finalizar o seu pronunciamento, o meia afirmou que nunca forçou sua saída do clube e que está focado no jogo contra a Chapecoense: "A partir do momento que cheguei e falei da minha situação e continuaram falando de negociações e renovação de contrato, de aumento de salário, que eu ia ganhar o dobro no Palmeiras. Não me respeitaram no momento que precisei. Me senti desprotegido e isso me fez ficar muito chateado. Nunca forcei minha saída em momento algum, nunca falei de contrato", prosseguiu confirmando presenção do duelo contra os catarinenses: "Vou continuar trabalhando. Espero que isso não tire o foco do que a equipe vem fazendo esses dias. Temos um jogo importante amanhã. Espero que isso fique longe. Eu bato no peito e tiro isso de letra, tudo isso que aconteceu. Quero mais que as pessoas entendam o que aconteceu.", finalizou. O Sport enfrenta a Chapecoense, nesta quinta-feira, às 19h30 (de Brasília), na Arena Pernambuco. 

Sport Club do Recife