Rodrigo pede apoio diante do Brasil: "Gostaríamos que nosso torcedor comparecesse"

Zagueiro concedeu entrevista após treino em São Januário e rebateu críticas da imprensa

Rodrigo pede apoio diante do Brasil: "Gostaríamos que nosso torcedor comparecesse"
Capitão Rodrigo na coletiva em São Januário, nesta quinta-feira (7)

Nesta quinta-feira (7), foi realizado mais um treino em São Januário e o zagueiro Rodrigo concedeu entrevista após a manhã de trabalhos. Para ele, o time continua bem na competição, mas precisa do apoio da torcida em casa.  

"Sabemos que a competição hoje que brilha aos olhos do torcedor é a Copa do Brasil. Então, espero um bom público em São Januário quando estivermos atuando pela Copa do Brasil. Na Série B, temos mais público fora de casa do que em casa. Perdemos os dois últimos jogos que fizemos aqui, mas estamos bem no campeonato. Portanto, gostaríamos que o nosso torcedor comparecesse e jogasse ao nosso favor. Nosso time já demonstrou valor e merece ser novamente abraçado pela torcida como foi no ano passado", comentou.

Apesar das duas derrotas em casa, para o Paysandu e Paraná, o jogador ressalta a liderança da equipe vascaína e explica que o resultado dentro do Caldeirão é fundamental.

"As coisas estão dentro do normal, afinal somos os líderes do campeonato. É verdade que tínhamos uma gordura, mas encontramos bastante dificuldade nesse mês. Disputamos jogos em cima de jogos e os resultados não foram o que nós esperávamos em alguns momentos. Mesmo assim, quando perdemos em casa, conseguimos recuperar os pontos perdidos fora. Temos que voltar a vencer em São Januário, pois temos a mesma pontuação do segundo colocado e precisamos mudar isso", disse.

O capitão tem consciência da situação do setor defensivo, atualmente alvo de críticas. E este é um motivo que não o agrada: "A mim afeta diretamente. O nosso ponto forte é o setor defensivo. Eu fico chato mesmo. Porque não gosto de levar gol, não gosto de perder. Isso, no meu dia a dia, bate muito forte. Eu quero jogar bem ao extremo e quero que a equipe não leve gols. É o meu setor. Às vezes fazemos um jogo com inúmeros chutes nossos a gol, e o adversário só com dois, com um. Temos que voltar a fazer o que era antes. Uma coisa que atrapalhou muito foi não conseguir manter o ritmo certo".

Sempre irônico, o defensor rebate alfinetadas da imprensa sobre a faixa etária do elenco, bastante experiente. Rodrigo, de 35 anos, relembra época de invencibilidade do Vasco e afirma que basta uma vitória para os veteranos rejuvenescerem.

"É difícil ir para o campo, sequência de jogos. Mas o nosso torcedor não entende, os críticos também não entendem. Eu vi uma matéria falando que o time do Vasco é muito velho. Quando estávamos há sete meses sem perder, éramos novo. Temos que ganhar no fim de semana para voltarmos a ser jovens novamente. Falo pro pessoal. Vamos jogar, vamos ganhar. Aí vai todo mundo ficar com 10 anos a menos. Vai ficar todo mundo leve", ironiza, rindo.

Além disso, parabenizou o companheiro Luan pela convocação da seleção brasileira para as Olimpíadas e elogiou a contratação do zagueiro Rafael Marques, por já conhecer seu futebol na época em que os dois jogavam pelo Grêmio.

O Gigante da Colina volta a campo neste sábado (9), diante do Brasil de Pelotas-RS. A partida é válida pela 15ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro e será disputada em São Januário, às 18h30. Os mandantes não poderão contar com Martín Silva e Leandrão, ambos suspensos.