ACO estuda fim da categorização de pilotos para a classe LMP2 a partir de 2015
Algo são pilotos oriundos dos campeonatos de monopostos (Foto: ACO)

Para competir nos campeonatos organizados pela ACO, os pilotos são classificados por categorias (Ouro, prata e bronze). Na atual temporada a classe LMP2 sofreu uma grande debandada de equipes que preferiram lutar pela vitória no “geral” na Elms, além de muitas vezes não poder contratar tal piloto por conta da categorização. Assim está em estudo o fim dela para 2015.

"É nossa meta remover as classificações de pilotos da classe LMP2", disse Beaumesnil ao Sportscar365. "Temos um plano global para o próximo ano na classe LMP2 e no WEC. Queremos atrair mais pilotos vindos da GP2 e World Series by Renault]condutores do tipo, que realmente visam a ter uma verdadeira carreira no automobilismo. Eu acho que nós podemos oferecer uma excelente oportunidade no WEC, aumentando o nível da concorrência, tornando-se um verdadeiro campeonato de pilotos, que é no contexto de um campeonato do mundo além de fazer ligações mais fortes entre os motoristas da classe LMP2 e fabricantes da LMP1."

Ainda segundo Beaumesnil tal mudança vai acontecer apenas no WEC, para os campeonatos regionais ELMS e Asian LMS tudo permanece igual. Também está em estudo mudanças no valor mínimo para a compra de um LMP2 que atualmente é de 600 mil dólares, visto que é crescente a entrada de modelos fechados no campeonato. "É bastante complicado fazer um cupê com o custo atual", disse ele.

Rebellion Racing sofre alterações em seus dois LMP1

Equipe é a única a competir na classe LMP1-L destinada a protótipos não híbridos. (Foto: Divulgação)

Visando uma melhor equivalência e alguma chance de vitória, a ACO revelou hoje (09) que vai alterar o BoP da única equipe que está na classe P1 e que não seja de fábrica, a Rebellion Racing.

Assim, o R-One terá uma redução de 40 quilos de peso, além de um aumento de 2% de vazão de fluxo de combustível. Não há limite de consumo por volta, já que o modelo não é híbrido. Com as mudanças o LMP1 é cerca de 60 quilos mais leve que os demais carros da classe, já que o peso mínimo para todos é de 810 kg.

Tais medidas foram baseadas no desempenho do carro nos testes oficiais para a prova, já que foram cerca de 8 segundos mais lento do que os LMP1 de fábrica. Os pilotos do carro #12 são Nick Heidfeld, Nicolas Prost e Mathias Beche e para o #13, Andrea Belicchi, Dominik Kraihamer e Fábrio Lemer.

VAVEL Logo