Wigan faz história e sagra-se campeão da FA Cup

Neste sábado (11), Manchester City e Wigan entraram em campo pela final da FA Cup, Todos esperavam uma vitória do City, para salvar a temporada, mas os Latics fizeram história e com gol de Watson nos acréscimos sagrou-se pela primeira vez campeão.

Vitória muito merecida do time de Roberto Martínez, que agora ainda briga para permanecer na Premier League na próxima temporada. Entra em campo na próxima terça-feira para enfrentar o Arsenal no Emirates. Já Roberto Mancini colocou seu trabalho em risco com essa derrota. Era obrigação do City a vitória devido ao investimento realizado. Agora os Citizens já estão focados na próxima temporada já que a vaga na próxima Champions está garantida.

Para a final, ambos os times vieram com o que tinham de melhor. Mancini surpreendeu e colocou Hart no time titular. Pantilimon jogou toda a competição, mas as declarações de que ele sairia do time ao fim da temporada deve ter pesado e o goleiro ficou no banco. Do resto, força máxima. No Wigan, Al Habsi foi para o banco de reservas e Robles assumiu a titularidade. Mesmo na briga contra o rebaixamento, o Martínez não poupou forças para conquistar o titulo.

Wigan é melhor mas não transforma sua superioridade em gols

Quem esperava uma vitória tranquila do City, se surpreendeu com a primeira etapa. O Wigan foi melhor, teve mais posse de bola e criou mais chances que a equipe de Manchester. O setor mais explorado pelos Latics foi o lado esquerdo do ataque, com Espinoza. Zabaleta, um dos principais jogadores do City na temporada estava perdido na marcação. 

A primeira chance do Wigan veio aos nove minutos. McManaman recebeu na entrada da área e chutou cruzado, Hart apenas acompanhou a bola saindo pela linha de fundo. O time de Roberto Martínez se portava muito bem em campo e não deixava o City se aproximar de sua área. Yaya, Silva e Agüero estavam todos sumidos da partida. Aos 21 o Wigan chegou de novo, dessa vez com Maloney. Após grande jogada individual, ele chutou à direita do gol de Hart.

O Manchester City só chegou com grande perigo no primeiro tempo uma vez. Nasri e David Silva tabelaram pela esquerda e o espanhol cruzou rasteiro para a pequena área e Tévez perdeu grande chance. Robles salvou o Wigan. No restante da primeira etapa os Latics diminuíram o ritmo, mas seguiram com mais presença no campo de ataque. Ganharam o meio campo e não deixava espaços para o time de Mancini sair com a bola.

Gol nos acréscimos e Wigan faz história

O segundo tempo começou no mesmo ritmo do fim do primeiro. O Wigan estava mais seguro em campo e o City perdido, sem troca de passes no meio campo. O favorito City enfrentava grandes dificuldades para criar chances. A única do segundo tempo aconteceu aos quatro minutos, quando Tévez lançou Aguero na área e o argentino chutou pra fora.

Depois dos 20 minutos as equipes adotaram uma cautela maior mas o Wigan seguiu superior. McManaman, melhor em campo, fazia o inferno nas costas do lateral Clichy. Maloney chegou a cobrar uma falta na trave. Aos 38, o City passou a viver um drama. Zabaleta fez falta dura e foi mais cedo para o vestiário. Daí pra frente, só pressão do 'incaível'. 

Aos 46 veio o grito tão esperado da torcida do Wigan. Maloney cobrou escanteio  e Watson desviou de cabeça pro fundo do gol. O Wigan fazia história em pleno Wembley surpreendendo o campeão inglês de 2012.

VAVEL Logo