O Bayern de Pep: os falsos interiores
Com a chegada de Guardiola e a mudança de posição de Lahm, Rafinha ganhou mais oportunidades (Foto: Andreas Gebert/EFE)

Desde que chegou em Munique, Pep Guardiola vem promovendo alterações no estilo de jogo do Bayern. Primeiro, designou uma nova função para Phillip Lahm, que saiu da lateral direita e se transformou no primeiro volante e no grande responsável pela saída de bola da equipe. Com essa mudança, Rafinha ganhou mais espaço no elenco, se transformou no titular da lateral e, juntamente com Alaba, passou a exercer uma função pouco comum para laterais: a de falso interior.

Desde os tempos de Barcelona é sabido que Pep Guardiola preza muito pela posse de bola, principal característica de suas equipes. Com ele no comando, a equipe catalã passou mais de três anos tendo mais posse de bola que os adversários, independentemente de resultado. Na sua aventura alemã, não seria diferente. Visando transformar o Bayern em uma equipe que retém muito mais a posse de bola, o técnico espanhol, primeiramente, alterou a posição de Phillip Lahm para a cabeça de área. Entretanto, os resultados não eram convincentes e as críticas começavam a surgir.

Aos poucos, Guardiola vai mudando a cara do Bayern
Na goleada por 4 a 0 sobre o Schalke 04, a primeira grande atuação dos novos comandados de Pep, o comandante promoveu uma alteração que foi fundamental para a melhora da equipe: a mudança de posicionamento de Alaba e Rafinha. Quando a equipe bávara não tem a posse de bola, ambos se comportam como típicos laterais e se posicionam ao lado da dupla de zaga, mas quando a equipe retoma o controle da bola, os dois se posicionam como falsos interiores e o Bayern muda de um 4-2-3-1 para uma espécie de 3-6-1, com Phillip Lahm atuando como líbero e Alaba e Rafinha congestionando o meio de campo, como é possível ver no frame abaixo.

Com essa medida, Pep Guardiola conseguiu fazer com que a sua equipe ganhasse em superioridade numérica no meio de campo e, assim, conseguisse reter a posse de bola e controlar os espaços. Dessa maneira, o jogo bávaro começava e se desenrolava todo no meio de campo, criando muitas oportunidades de gol. Além do controle da posse de bola, o novo posicionamento dos laterais permite jogadas de aproximação e tabela com os pontas Ribery e Robben, como no lance do segundo gol contra o Schalke, em que Alaba tabelou com o camisa 7 e cruzou para Mandzukic, livre, marcar.


Alaba se aproxima pelo meio, tabela com Ribery e dá assistência para Mandzukic

Falhas defensivas

Entretanto, o balanço defensivo foi um problema para a equipe no confronto contra o Schalke e os adversários conseguiram criar suas oportunidades de gol e só não saíram do zero por falta de pontaria. Na partida contra a equipe de Gelsenkirchen, Alaba deixou muitos espaços na suas costas e Dante não foi capaz de cobri-los, deixando Farfán, um jogador de muita velocidade, livre em diversas oportunidades, como é possível ver no frame abaixo.

Já na partida contra o Manchester City, essas falhas foram menos evidentes e o domínio foi ainda maior, apesar do resultado ter sido menos elástico. Aos poucos, Pep Guardiola vai impondo sua filosofia de jogo ao Bayern de Munique e a equipe vem melhorando a cada dia e já dá provas de que pode encantar como a do ano passado, apesar de um estilo totalmente diferente.

VAVEL Logo