Perfil: Cristiano Ronaldo

Finalista da Uefa Champions League, Cristiano Ronaldo é o principal destaque do Real Madrid na temporada. Autor de dois gols na semifinal, contra o Bayern de Munique, o camisa 7 é a referência merengue para o combate contra o Atlético de Madrid, na partida mais decisiva do ano. Vivendo a melhor fase de sua carreira, o português retorna à Lisboa, terra onde despertou para o futebol, buscando o maior título do continente atuando pelo clube onde sempre desejou jogar.

Novamente o melhor do mundo

Entre recordes, títulos e decisões importantes, a temporada 2013-14 reservou um marco histórico para Cristiano Ronaldo. Confirmando o favoritismo, o português conquistou pela segunda vez o prêmio de melhor jogador do mundo, entregue pela Fifa no início do ano, dando fim ao reinado de seu rival, Lionel Messi e o colocando no patamar de grandes estrelas da história do futebol mundial.

"Primeiramente eu quero agradecer a todos os meus companheiros de clube e seleção. Sem o esforço deles nada disso teria sido possível. Estou muito feliz, é muito difícil ganhar esse prêmio. Tenho de agradecer a todo mundo que esteve envolvido comigo pessoalmente. Minha esposa, meus amigos, meu filho. Queria também mencionar os nomes de Eusébio e Madiba, pessoas muito importantes para mim. É um momento muito emocionante. Tudo o que eu posso dizer é obrigado", disse Ronaldo, após conquistar seu segundo prêmio de melhor jogador do mundo.

A merecida conquista do português tem relação com seus números obtidos durante a temporada. Cristiano detém a melhor média de gols da temporada (1,16), contra 0,95 de Lionel Messi e 0,42 de Fránk Ribery. A classificação de Portugal para a Copa do Mundo, na repescagem, contra a Suécia, onde o gajo teve grande atuação, também contaram como pontos à favor.

Este é o segundo título individual desta magnitude para Cristiano Ronaldo. Em 2008, ainda quando defendia as cores do Manchester United, ele venceu a concorrência do argentino Lionel Messi e do espanhol Fernando Torres. Desta vez, voltou a duelar o camisa 10 do Barcelona, detentor das últimas quatro Bolas de Ouro, e do francês Franck Ribéry, do Bayern de Munique, atual campeão da Champions League. Na votação, o português teve 1.365 pontos (27,99%), contra 1.205 (24,72%) de Messi e 1.127 (23,36%) de Ribéry.

(Foto: AFP)

Maior artilheiro em uma edição de Champions League

A classificação do Real Madrid para à final da Uefa Champions League teve um gosto especial para Cristiano Ronaldo. Autor de dois gols na goleada por 4 a 0 contra o Bayern de Munique, dentro da Allianz Arena, o português desbancou Lionel Messi e Mazzola, e tornou-se o maior artilheiro da história em uma única edição da competição.

O português marcou o terceiro gol da equipe merengue aos 34 minutos do primeiro tempo, enfim quebrando o recorde, onde comemorou junto a Sergio Ramos, fazendo o número 15 com as mãos. Na etapa final, aos 42, deixou sua marca outra vez, marcando seu 16º tento nesta edição de Champions League. Após o jogo, o gajo comentou sobre o feito conquistado.

"Não me preocupo em quebrar recordes, é algo que acontece naturalmente, com muita dedicação. O foco está em Lisboa (final da Champions League) neste momento.", afirmou.

Com a quebra de recorde, Cristiano Ronaldo deixou para trás seu maior rival, o argentino Lionel Messi, que balançou as redes 14 vezes na temporada 2011-2012 com o Barcelona, e o ítalo-brasileiro José Altafini, o Mazzola, que fez o mesmo com o Milan em 1962-1963. O gajo também é o artilheiro da Uefa Champions League com 16 gols marcados, e precisa de apenas mais cinco para tomar posse de outro recorde, o de artilheiro absoluto da competição, que pertence a Raúl Gonzalez, com 71 gols marcados.

Trajetória de Cristiano Ronaldo

- Sporting

Revelado pelo Sporting, de Portugal, Cristiano Ronaldo tornou-se o primeiro jogador do clube a atuar por várias categorias da divisões de base do clube em apenas um ano. Exatamente em 2001, o português atuou pela canteira do Sporting sub-16, sub-17, sub-18, Sporting B, e fora promovido para o elenco principal ao fim da temporada, já com expectativas elevadas e tido como uma das grandes revelações para um futuro próximo.

Entretanto, aos 15 anos, ainda nas categorias de base, o craque fora diagnosticado com um problema no coração, uma condição que poderia tê-lo forçado a desistir de jogar futebol. Mesmo sabendo dos riscos, a mãe de Cristiano autorizou o clube português a realizar a cirúrgia, que o submeteria a operação e obrigaria a cauterização a laser na área. Após o sucesso nos procedimentos, Ronaldo recebeu alta do hospital e voltou a treinar com o elenco poucos dias depois.

Pelo clube, Cristiano foi campeão da Primera Liga, em 2001/02, da Taça de Portugal, na mesma temporada, além da Supertaça Cândido de Oliveira, em 2002. No total, o gajo atuou em 31 oportunidades, deixando sua marca cinco vezes ao longo de sua trajetória, iniciada em 1997 e finalizada em meados de 2003. O marco principal da saída foi um amistoso contra o Manchester United, onde o Sporting saiu vitorioso pelo placar de 3 a 1.

A boa atuação de Cristiano Ronaldo na partida chamou atenção do técnico Alex Ferguson, que imediatamente acionou os dirigentes ingleses - apoiado pelos próprios jogadores - para tratar de assuntos relacionados a transferência. No fim de 2003, o Manchester United anunciava a contratação do gajo por cerca de 15 milhões de euros.

- Manchester United

Em sua chegada ao Manchester United, Cristiano pediu ao dirigentes que jogasse com a camisa 28, número com o qual atuava no Sporting. Porém, o pedido foi prontamente negado com a resposta de que a camisa 7 já estava reservada para o jogador. Número este que foi usado por ídolos do clube, como George Best, Bryan Robson, Éric Cantona e David Beckham.

A evolução de Ronaldo no clube inglês foi evidenciada com o passar dos anos. Antes reserva, não demorou muito para assumir a titularidade e dificilmente deixar de ser escalado por Alex Ferguson nos jogos do clube. Em 2007-08, estreou na temporada com um cartão vermelho, após acertar uma cabeçada em Richard Hughes, do Portsmouth. Repreendido, o jogador mudou sua filosofia de jogo, evitando provocações destinada a si próprio, amadurecendo dentro e fora das quatro linhas, tendo o apoio de toda a comissão técnica de seu treinador.

A temporada 2007-08 também foi o marco principal da passagem de Cristiano Ronaldo pelo clube inglês. Mais encorpado, experiente, e moldado táticamente por Alex Ferguson, o jogador foi peça fundamental na conquista da Uefa Champions League, inclusive anotando seu gol na final, contra o Chelsea, e no Mundial de Clubes, contra a LDU, onde deu a assistência para o gol do título, marcado por Wayne Rooney. No fim da temporada, tornou-se o primeiro jogador do Manchester United a ganhar a Bola de Ouro da Fifa em quarenta anos, após George Best. Em 2009, conquistou o prêmio Ferénc Puskas, também concedido pela Fifa, ao gol mais bonito do ano.O gol do gajo contra o Porto, à 40m da meta, foi o escolhido.

A pouca idade não impediu Cristiano Ronaldo de brilhar com a camisa dos Red Devils. No clube, o português conquistou a Taça de Inglaterra 2003/2004, a Taça da Liga 2005/2006, a Premier League 2006/07, a Supertaça de Inglaterra 2007, a Premier League 2007/08, a Liga dos Campeões 2007/2008, o Mundial de Clubes da FIFA 2008, a Premier League 2008/2009 e a Taça da Liga 2008/09. Em 2008, tornou-se o segundo jogador na história a conquistar, na mesma temporada, o prêmio de Bola de Ouro da Fifa, prêmio concedido ao melhor jogador da temporada pela entidade, a Bota de Ouro e a Bola de Ouro da revista France Football, feito conquistado apenas por Ronaldo Fenômeno, em 1997.

Com seu contrato chegando ao fim, em 2009, o Manchester United se viu na impossibilidade de permanecer com Cristiano Ronaldo após receber uma proposta irrecusável do Real Madrid, que beirava os 80 milhões de Euros. Tendo revelado o desejo de jogador pelo clube espanhol em temporadas anteriores, o gajo despediu-se da Inglaterra e arrumou suas malas rumo à Espanha, onde realizaria seu sonho de jogador no clube merengue.

(Foto: AP)

- Real Madrid

A chegada de Cristiano Ronaldo ao Real Madrid foi digna da apresentação de uma das maiores estrelas do futebol mundial. Com o gabarito de maior transferência da história do futebol, superando inclusive o ídolo meregue, Zinedine Zidane, o português foi recebido por um Santiago Bernabéu lotado no dia de sua apresentação. Em sua primeira temporada, abandonou a camisa 7 e passou a atuar com a 9, tendo em vista a formalação de um novo elenco galático, que se iniciava com a sua chegada.

Entretando, o início da trajetória de Ronaldo no clube merengue não foi fácil, devido a pífia campanha na Liga Espanhola e na Uefa Champions League. Após o desatre contra o Lyon, da França, que culminou com a eliminação dos Blancos nas oitavas de final da competição, a equipe galática foi posta em cheque e boa das caras contratações deixaram o clube ao término da temporada. Mesmo com o ano ruim, Ronaldo encerrou 2010 com uma média de 46 gols, em 48 jogos partidas, o que dá uma média de 0,95 gols por jogo.

Em 2011, já trajando a lendária camisa 7, iniciou usa quebra de recordes com a camisa merengue. Ronaldo tornou-se no maior goleador em uma única temporada na história do Real Madrid com 53 gols marcados, superando o recorde anterior de 49 tentos de Ferenc Puskás. O gajo também superou o recorde de maior número de gols marcados em uma temporada na Liga Espanhola, com 40 tentos, superando a marca de Telmo Zarra (38), de 1951, e a marca de Hugo Sánchez (38), de 1990. No fim da temporada, ficou em terceiro lugar na eleição de melhor do mundo da Fifa, atrás de Lionel Messi e Xavi Hernandéz, ambos do rival Barcelona.

Em 2012, Ronaldo travou duelo direto com Lionel Messi, por títulos e pelo prêmio de melhor jogador do mundo. O português iniciou a temporada anotando dois gols contra o Barcelona, no Camp Nou, e outros dois, no Santiago Bernabéu, pela decisão da Supercopa da Espanha, onde sagrou-se campeão. Mesmo com o triunfo, Cristiano novamente não levou o prêmio da melhor do mundo pela Fifa, porém, dessa vez ocupando a segunda colocação, atrás apenas de Messi.

A atual temporada é, sem dúvidas, a melhor de Cristiano Ronaldo com a camisa do Real Madrid. Desde a saída de José Mourinho o gajo vem quebrando marcas e recordes e levando o clube merengues ao mais elevado nível de futebol ofensivo. Os bons números foram recompensando com a conquista da tão sonhada segunda Bola de Ouro da Fifa, onde recebeu das mãos de Pelé, um de seus maiores ídolos no futebol. Pela Champions League, tornou-se o maior artilheiro de uma só edição do torneio, após marcar contra o Bayern de Munique, nas semifinais.

- Seleção Portuguesa

Em 2003, Cristiano Ronaldo realizou um de seus maiores sonhos da infância: atuar pela seleção nacional portuguesa. A convocação veio após suas belas exibições no Sporting Lisboa, quando foi chamado para o amistoso contra o Cazaquistão. Já no Manchester United, Ronaldo foi chamado por Luiz Felipe Scolari para integrar o elenco vice-campeonato da Eurocopa em 2004. O gajo foi decisivo contra a Holanda, na semifinal, onde marcou o gol da classificação, mas nada pode fazer para evitar a derrota por 1 a 0, diante da Grécia, na decisão.

Em 2006, foi convocado para a disputa de sua primeira Copa do Mundo e lá enfrentou sua primeira grande polêmica. Contra a Inglaterra, nas quartas de final, esteve envolvido no lance da expulsão de seu companheiro de Manchester United, Wayne Rooney. Porém, uma piscada de olho em direção ao banco inglês após o cartão vermelho gerou a revolta de seus adversários, que o acusaram de antitude anti-desportiva. Portugal terminaria na quarta colocação do Mundial.

Após o vice-campeonato em 2004, a Eurocopa de 2008 poderia ser a redenção para Portugal, porém, o sonho da taça permaneceu apenas no papel. Já como capitão da seleção portuguesa, Ronaldo destacou-se na primeira fase da competição, sendo decisivo para a classificação diante da República Tcheca. Porém, a Alemanha na segunda fase foi o adversário final e responsável pela queda dos portugueses na competição.

Já com Carlos Queiroz a frente da seleção, Portugal não conseguiu repetir a boa atuação do Mundial de 2006 na Copa do Mundo de 2007. Destaques para a incrivel goleada por 7 a 0 contra a Coréia do Norte, ainda na primeira fase, onde Cristiano Ronaldo seguiu balançando as redes na competição. Entretanto, a Espanha nas oitavas de final colocou ponto final no sonho português. A exemplo do que viria a acontecer em 2012, já pela Eurocopa, onde os então campeões mundiais eliminariam a seleção lusitana pelo meio do caminho.

Cristiano Ronaldo é figura certa na Copa do Mundo 2014, após vencer o duelo individual contra Zlatan Ibrahimovic, no clássico entre Portugal e Suécia, que definiu o último classificado para a disputa do Mundial. Os portugueses caíram no grupo G, junto à Alemanha, Gana e Estados Unidos.

Números de Cristiano Ronaldo

- Gols e jogos de Cristiano Ronaldo, separados por temporadas

02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08
Gols 5 6 9 12 23 42
Jogos 31 40 50 47 53 49
08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 13/14
Gols 26 33 53 60 55 50
Jogos 53 35 54 55 55 46

- Gols e jogos de Cristiano Ronaldo a serviço da Seleção Portuguesa

Amistosos Elim. Copa do Mundo Copa do Mundo Elim. Eurocopa Eurocopa Total
Gols 11 15 2 15 6 49
Jogos 36 29 10 21 14 110

- Total geral de gols e jogos da carreira de Cristiano Ronaldo

Clubes Seleção Total
Gols 374 49 423
Jogos 568 110 678

- Todos os gols da carreira de Cristiano Ronaldo, em detalhes

Sporting Manchester United Real Madrid Portugal Total
Cabeça 1 21 31 12 65
Dentro da área – pé esquerdo 14 43 13 70
Fora da área – pé esquerdo 3 3 1 7
Dentro da área – pé direito 4 42 94 11 151
Fora da área – pé direito 7 15 3 25
Cobrança de falta 14 26 6 46
Cobrança de pênalti 17 39 3 59
Total 5 118 251 49 423

(Fonte: Galeria CR7)

VAVEL Logo