Ruffier falha, Ibrahimovic dá show, PSG goleia Saint-Étienne e encosta no líder Bordeaux
Foto: Divulgação/PSG

Neste domingo (31), o Paris Saint-Germain recebeu o Saint-Étienne em um duelo de invictos no Parc des Princes e não tomou conhecimento do adversário. Atual bicampeão da Ligue 1, o PSG goleou o maior campeão francês por um sonoro placar de 5 a 0. O destaque ficou por conta do atacante sueco Zlatan Ibrahimovic, que voltou de contusão em grande estilo: balançou as redes três vezes. Uma lambança do goleiro Stéphane Ruffier abriu caminho para a vitória dos parisienses. Outro atacante, o uruguaio Edinson Cavani, deixou sua marca.

O resultado colocou a equipe dos brasileiros Maxwell, David Luiz, Marquinhos, Thiago Silva e Lucas na vice-liderança do certame com oito pontos, dois atrás do líder Bordeaux, e saldo positivo de sete gols, superando o Lille, detentor da mesma pontuação. O Sainté, por sua vez, estacionou nos sete pontos e com o saldo negativo de um gol, entrou em queda livre: caiu da terceira para a oitava colocação.

Os plantéis voltam a campo somente no próximo dia 13 de setembro, um sábado, devido à pausa do campeonato francês para o início das Eliminatórias para a Eurocopa de 2016 - a Euro será disputada na França - no próximo domingo, dia 7. O PSG visitará o Rennes, quinto colocado com sete pontos, no Stade de la Route de Lorient, às 12h. Já o ASSE receberá o Caen, nono colocado com seis pontos, no Geoffroy-Guichard, às 16h.

PSG sai na frente com erro de Ruffier e amplia vantagem com Ibra

O início levava a crer que o duelo em Paris seria equilibrado. Ambas as equipes "cozinhavam" o jogo e pareciam aguardar o momento certo para se expor e tentar algo a mais. Todavia, um erro grotesco do goleiro Ruffier foi o suficiente para os donos da casa controlarem a peleja a seu gosto e iniciarem a derrocada dos adversários. Aos 24 minutos, o volante Clément, pressionado pelo ataque oponente, recuou a bola para o arqueiro alviverde, que errou o domínio e viu a pelota balançar sua meta.

O inusitado lance serviu para "animar" a partida. Aos 32, o meia brasileiro Lucas chapelou Ruffier e foi travado. Na sobra, Ibrahimovic quase marcou o segundo tento dos anfitriões. Três minutos depois, o atacante turco Erding obrigou Sirigu a fazer bela defesa e evitar o empate. Não demorou muito e os parisiens fizeram o segundo: aos 41, Zlatan Ibrahimovic recebeu cruzamento perfeito do lateral-esquerdo Maxwell, que completara 100 jogos com a camisa do PSG, e mandou de cabeça para o fundo do barbante.

Com uma vantagem relativamente confortável, os mandantes administraram o resultado favorável na reta final da primeira etapa e impedia que os visitantes esboçassem qualquer reação. Quando o árbitro Clément Turpin autorizou a saída dos jogadores para os vestiários, o placar era de 2 a 0.

Avassalador, time da casa impõe humilhante derrota ao Saint-Étienne

Na volta para a segunda etapa, o Paris Saint-Germain deu indícios de que faria mais gols e tal previsão se concretizou no andamento dos últimos 45 minutos do embate. Aos 17, a defesa do Sainté "cochilou", Ibra aproveitou o vacilo, driblou Ruffier e completou para a rede, instituindo a goleada. E o ritmo não diminuía: logo depois, Cavani recebeu de Maxwell, arriscou de fora da área e fez 4 a 0, aumentando os festejos da torcida local.

No momento em que o relógio marcava 25 minutos, um lance polêmico veio à tona: Lucas deu passe na medida para Ibrahimovic; ao tentar driblar o goleiro, o sueco foi derrubado na área e pediu pênalti, mas o juiz mandou o jogo seguir. Apesar disso, a penalidade contestada pelos comandados de Laurent Blanc não fez falta. Dois minutos depois, o ponta-direita Verratti lançou para Ibrahimovic e o avançado tocou na saída de Ruffier, concretizando seu hat-trick e dando números finais ao clássico: 5 a 0. Pela sexta vez, o escandinavo marcou três gols numa única partida pelo PSG.

Buscando diminuir o prejuízo, os Stéphanois quase marcaram seu gol de honra com o atacante marfinês Gradel aos 38 minutos, mas Sirigu estava atento e evitou que sua baliza fosse vazada. Sem qualquer motivação, restou aos visitantes lamentar a histórica goleada sofrida - foi o pior resultado da Era Christophe Galtier no ASSE. No outro lado, prevaleceu a alegria pela volta de um resultado convincente.

VAVEL Logo