Guia VAVEL da Copa América 2015: Colômbia
Foto: Editoria de Arte/Marcello Neves - VAVEL.com

Mais uma Copa América se aproxima e várias seleções brigam pelo título da maior competição entre seleções da América. Entre as favoritas, temos, como de praxe, seleções como Brasil e Argentina. Outras três seleções também chegam duro para a conquista do torneio, entre elas a fortíssima Seleção Colombiana, que promete dar muito trabalho.

Confira: James Rodríguez, a realeza colombiana

Os colombianos, que vêm de uma bela campanha na Copa do Mundo 2014, já venceram a Copa América uma vez. Em 2001, jogando em casa, Los Cafeteros foram campeões em cima da seleção mexicana, vencendo por 1 a 0. O gol do título foi marcado pelo ex-zagueiro Ivan Córdoba. Em 2015, a seleção de Jose Pékerman chega com muita força e espera conquistar seu segundo título. Será que eles conseguem o feito?

Surpreendida nas quartas, campanha em 2011 acaba de forma precoce

A Copa América 2011 começou a todo o vapor para seleção colombiana. De cara, os colombianos tiveram a Argentina no seu grupo, além da Seleção Costarriquenha e da Seleção Boliviana. Todos os fatores voltavam para uma classificação tranquila de Los Cafeteros, mas foi além disso. Sem tomar nenhum gol, os colombianos se classificaram em primeiro no Grupo A, invictos. 1 a 0 contra a Costa Rica, 0 a 0 contra a Argentina e 2 a 0 contra a Bolívia marcaram a fase de grupo dos amarelos.

O adversário nas quartas de finais foi a Seleção Peruana, que se classificou como a melhor terceira colocada naquela ocasião. Muitos esperavam um verdadeiro passeio colombiano, tendo em vista a maior qualidade técnica, além da forte defesa que a seleção ia proporcionando durante a competição. Mas não foi bem assim.

Mais uma vez, os colombianos se defenderam muito bem, além de criar boas chances, mas o Peru também se segurou bem e levou a partida para a prorrogação, e foi lá que nada deu certo para a Colômbia. Com gols de Lobatón no final do primeiro tempo e de Vargas na metade do segundo, os peruanos derrotaram a equipe que teve a melhor campanha na primeira fase e avançaram. Para a Colômbia, apenas decepção.

Melhor campanha na primeira fase termina com eliminação precoce nas quartas (Foto: Getty Images)

Em 2015, Colômbia chega com força e fica entre as favoritas

Se em 2011 a Colômbia não era apontada como uma das favoritas, podemos dizer que em 2015 a história é bem diferente. A princípio, Brasil e Argentina continuam sendo a aposta de vários, assim como a fortíssima Seleção Chilena, que joga em casa. Mas os colombianos serão uma das forças da competição, e a chance de ser campeões é válida.

Entre uma das características da seleção colombiana, destaca-se a força ofensiva dos comandados de Jose Pékerman. O leque de opções do argentino é recheado, principalmente no ataque. Radamel Falcão Garcia, Jackson Martinez, Adrian Ramos, Victor Ibarbo, Carlos Bacca e Teo Rodriguez são as opções do recheado ataque colombiano para a Copa América. Qualidade e bola na rede não falta para eles.

Além das várias opções no ataque, o meio de campo colombiano também conta com uma qualidade acima da média. James Rodriguez é a principal estrela de um meio campo que se característica por tocar bem a bola, além de chegar muito bem ao ataque. Juan Cuadrado e sua velocidade pelas pontas serão um dos pontos a serem observados pelos adversários.

Fredy Guarin é o cara que liga o meio ao ataque, além de chegar muito bem para arremates de fora da área. Carlos Sanchez, por outro lado, é o cão de guarda colombiano. Muita marcação e garra serão doados pelo volante de 29 anos.

A defesa pode ser um dos problemas colombianos na competição. A inconsistência de jogadores como Cristian Zapata e Jeison Murillo podem ser problemas para os colombianos. Além disso, Pablo Armero e Juan Zuñiga se caracterizam por chegar bem à frente, mas mostram uma grande fragilidade defensiva.

Qualidade do meio para frente é o que não falta para a Colômbia (Foto: Getty Images)

Como já dito, os colombianos não são a seleção a ser batida na Copa América, mas as chances do título ir para a Colômbia são bons. A defesa terá que ser mais consistente do que nas últimas competições disputadas pela seleção. Do meio para a frente, os amarelos precisam manter sua principal força. Olha nos colombianos.

2001 e a Copa América dos sonhos em casa

Sem a Argentina, a Copa América de 2001, disputada na Colômbia, tinha a Seleção Brasileira como a favorita para o título, ainda mais por ter sido um "preparativo" para a Copa do Mundo de 2002, torneio que o Brasil se sagraria campeão mundial. Mesmo assim, a seleção canarinha não fez um bom torneio e foi eliminada nas quartas por Honduras, para a surpresa de todos.

Por outro lado, a Colômbia foi dominante do ínicio ao fim. Em um grupo relativamente tranquilo - Chile, Equador e Venezuela -, os colombianos venceram todos os jogos, marcando cinco gol e não tomando nenhum, mostrando uma força defensiva gigante.

Nas quartas, o adversário o Peru, que avançou como o segundo melhor colocado entre os terceiros colocados na primeira fase. Diferente do que aconteceu dez anos depois, os colombianos confirmaram o favoritismo e venceram por 3 a 0. Aristizábal, duas vezes, e Giovanny Hernandez, contra, marcaram os gols do triunfo.

Na semifinal, com gols de Bedoya e, novamente, de Aristizábal, Los Cafeteros derrotaram o algoz do Brasil, Honduras, por 2 a 0, se classificando para a grande final da competição, contra a fortíssima seleção do México de Jared Borgetti, que havia eliminado a boa seleção uruguaia nas semifinais.

Provavelmente não era a final que todos esperavam. O México era uma forte seleção e era cotada para chegar à final, mas a Colômbia, mesmo jogando em casa, não tinha esta alta aposta. Em mais uma ótima partida, os colombianos derrotaram os mexicanos por 1 a 0 com o gol do zagueiro e capitão Ivan Córdoba. Foi a campanha perfeita para a Seleção Colombiana: Seis jogos, seis vitórias, 11 gols marcados, nenhum sofrido e título em casa.

James Rodriguez traz qualidade, inteligência e juventude ao meio de campo colombiano

Principal jogador da seleção colombiana na Copa do Mundo do Brasil, sendo, além disso, eleito a revelação do mundial, James Rodriguez foi contratado pelo poderoso Real Madrid para a temporada 2014-15. Mesmo com o fracasso dos merengues, James fez uma grande primeira temporada, ajudando bastante com gols e assistências para seus companheiros.

Além das qualidades citadas acima, James também demonstra, mesmo com apenas 23 anos, uma liderança em campo, tanto que o próprio já foi capitão da equipe em algumas ocasiões. Ele não lidera apenas o meio de campo e sim todo o ótimo conjunto colombiano.

Passes precisos, ótima chegada ao ataque e inteligência com a bola no pé são as principais características de James Rodriguez. Além disso, o jovem meia mantém uma ótima relação com os jogadores de frente, como Falcão Garcia e Jackson Martinez, o que auxilia bastante na hora de jogar um ao lado do outro. Ele é o jogador que os adversários devem mais se preocupar.

Pékerman e sua qualidade na montagem da equipe é determinante para o sucesso colombiano

Muitos creditam a "volta" da Colômbia ao grande cenário do futebol mundial ao bom trabalho das categorias de bases, revelando jogadores bem talentosos. É certo dar crédito a este fator, mas Jose Pékerman, técnico da seleção, também merece bastante destaque em relação ao "re-crescimento" dos colombianos.

Pékerman assumiu a Colômbia em 2012, substituindo Leonel Álvarez. À partir da entrada do argentino, a seleção colombiana ganhou uma cara nova, mais rejuvenescida e mostrando um futebol extremamente ofensivo, bonito de se ver.

A Colômbia, normalmente, joga em 4-2-2-2, com dois meias mais abertos e dois atacantes de área. Toda a montagem em volta disto é muito por conta de Pékerman, que sabe armar sua seleção contra qualquer adversário, tornando uma equipe difícil de ser batida. Ele é, além disso, um dos treinadores mais experientes da competição, e isso pode ser determinante.

Ficha técnica na Copa América

Pts J V E D GP GC SG
127 103 39 20 44 126 179 -53
Campeão Vice-campeão 3º lugar 4º lugar
1x (2001) 1x (1975) 3x (1987, 1993, 1995) 2x (1991, 2004)
VAVEL Logo