Guia VAVEL Copa do Mundo 2018: Bélgica

A famosa geração belga vem para o seu segundo mundial e chega á Rússia com mais experiência

Guia VAVEL Copa do Mundo 2018: Bélgica
Guia VAVEL Copa doMundo 2018: Bélgica

Fora das copas de 2006 e 2010, a seleção belga irá para sua segunda Copa do Mundo consecutivo, sendo eliminada nas quartas de final em 2014, no Brasil, para a vice-campeã, Argentina. Com uma excelente participação nas eliminatórios, mais uma vez há muitas atenções para o desempenho no mundial.

Expectativa

Muito se espera dos belgas em uma Copa do Mundo, já que essa safra de jogadores vem sendo considerada se não a melhor, uma das melhores que o pais já teve, com grandes jogadores com Hazard, de De Bruyne, Mertens, entre outros, principalmente no Campeonato Inglês, considerado umas das competições mais difíceis do mundo.

Com a segunda melhor campanha das eliminatórias europeias, dez vitórias em nove jogos, 43 gols marcados, o favoritismo no grupo já era esperado, mesmo com a Inglaterra em seu grupo. A Bélgica espera e acredita chegar longe e superar sua melhor campanha, o quarto lugar na copa de 86, onde foi derrotada pelo time reserva da França.

Convocação

O técnico Roberto Martinez anunciou 28 jogadores para disputar os últimos amistosos, 0 a 0 contra Portugal, 3 a 0 sobre o Egito e 4 a 1 em cima da Costa Rica.

O que surpreendeu foi a não convocação de Nainggolan, um dos grandes nomes dessa geração, e a justificativa do treinador foi de que a equipe joga de um jeito especifico onde não poderia dar protagonismo ao jogador. Inconformado, o volante anunciou que não vestiria mais a camisa da seleção.

Uma curiosidade é de que, antes da lista final para a Copa do Mundo, uma televisão do país transmitiu uma reportagem apresentando os colchões personalizados que cada jogador usaria no mundial. O que chamou atenção, foi que havia apenas 23 deles, ou seja, já se sabia quem seria convocado, antes da lista oficial.

Goleiros:  Thibaut Courtois (Chelsea), Simon Mignolet (Liverpool) e Koen Casteels (Wolfsburg);

Defensores: Toby Alderweireld (Tottenham), Thomas Vermaelen (Barcelona), Vincent Kompany (Manchester City), Jan Vertonghen (Tottenham), Thomas Meunier (Paris Saint-Germain), Dedryck Boyata (Celtic) e Leander Dendoncker (Anderlecht - Bélgica);

Meias: Axel Witsel (Tianjin Quanjian - China), Kevin De Bruyne (Manchester City), Marouane Fellaini (Manchester United), Yannick Carrasco (Dalian Yifang- China), Thorgan Hazard (Borussia M’Gladbach), Youri Tielemans (Monaco), Mousa Dembele (Tottenham) e Nacer Chadli (West Brom - Inglaterra);

Atacantes: Romelu Lukaku (Manchester United),  Eden Hazard (Chelsea), Dries Mertens (Napoli), Adnan Januzaj (Real Sociedad) e Michy Batshuayi (Chelsea).

Destaques

Sem dúvidas, Eden Hazard é o principal nome da Belgica, já alguns anos e talvez, o melhor de sua história. O camisa 10 coleciona inúmeros prêmios individuais como melhor jogador do campeonato inglês, francês; artilheiro, líder de assistências, revelação e time do ano da Uefa.

Hazard apareceu no cenário mundial na bela campanha do Lille, na temporada 2010-11, onde se sagraram Campeões Franceses. O que abriu os olhos do campeão europeu da época, o Chelsea, onde o atacante atua até hoje, com dois campeonatos ingleses já conquistados sendo o destaque da equipe

Fique de olho

Se Hazard é o grande nome, De Bruyne vem logo em seguida. Nome importantíssimo do excelente time de Guardiola, Campeão Inglês em uma ótima campanha, o meia só não levou o prêmio de melhor jogador da competição, devido a surpreendente participação de Salah. Mas levou o prêmio de líder de assistências com 16 passes pra gol.

O Manchester City não é seu primeiro grande clube na Inglaterra, já que em 2012, também chego ao Chelsea, mas com a volta de José Mourinho, o belga não foi aproveitado, emprestado ao Wolfsburg (ALE). Na Alemanha, voltou a ter ótimas atuações o que levou aos Citzens.

Técnico

O espanhol Roberto Martinez foi anunciado em 3 de agosto de 2016, após a considerada má campanha na Eurocopa, onde os belgas foram eliminados para o País de Gales nas quartas de final.  Seu antecessor era Mark Wilmots, no cargo desde a Euro anterior, de 2012.

Martinez começou sua carreira no Swansea (ING), conquistando o título da terceira divisão do pais. Já no Wigan (ING), conquistou o título da FA Cup em cima do milionário Manchester City.

Seu assistente é nada mais, ninguém menos que Thierry Henry, campeão invicto do Campeonato Inglês pelo Arsenal, da Liga dos Campeões no Barcelona e do mundo com a França em 98.

Campanha na última copa

A primeira Copa do Mundo disputada por essa geração belga foi em 2014, no Brasil. Favorita em seu grupo que contava com Argélia, Coréia do Sul e a anfitriã deste ano, a Rússia. A seleção atendeu as expectativas vencendo os três jogos, e a classificação em primeiro lugar.

Nas oitavas de final, o adversário foi o surpreendente Estados Unidos, que eliminaram Portugal de Cristiano Ronaldo. Mas o feito não se repetiu e os americanos foram eliminados.

Gol um gol aos oito minutos do segundo tempo, marcado por Higuaín, a vice-campeã em 2014, a Argentina eliminou a Bélgica nas quartas de final.