Fase de grupos da 33ª edição da AFC Champions League tem seu pontapé inicial
A bola começou a rolar na fase de grupos da AFC Champions League (Foto: Divulgação / AFC)

Após a realização da fase de qualificação da AFC Champions League, na qual Beijing Guoan (China), Melbourne Victory (Austrália), El Jaish e Lekhwiya (ambos do Qatar) carimbaram suas vagas à fase de grupos - eliminaram Chonburi, Muangthong United (ambos da Tailândia), Al-Qadsia e Al-Kuwait (ambos do Kuwait), respectivamente -, esta teve início nesta terça-feira (25). Gols não faltaram na primeira rodada, a qual se encerrou nesta quarta-feira (26).

A edição de 2014 da Liga dos Campeões da Ásia é a de número 33 da competição. A primeira foi jogada no longínquo ano de 1967; o campeão foi o Hapoel Tel Aviv, de Israel, que na decisão bateu o Selangor, da Malásia, por 2 a 1. O duelo foi jogado em Bangkok, capital tailandesa. Nos dias atuais, os clubes israelenses, bem como a seleção nacional, não disputam as competições realizadas pela AFC devido a motivos políticos, tendo em vista os seculares conflitos entre judeus e muçulmanos.

De 1972 a 1984, a maior competição de clubes da Ásia não foi realizada por falta de profissionalismo e de interesse tanto da entidade máxima do futebol asiático quanto dos clubes locais.

De 1967 a 1971 e de 1985, ano em que o campeonato voltou a ser realizado, a 2002, a decisão era disputada em jogo único, com o local sendo previamente escolhido. A partir de 2003, o campeão foi decidido através de partidas de ida e volta. Nas primeiras finais com esse molde, o Al-Ain, dos Emirados Árabes Unidos, derrotou o BEC Tero Sasana, da Tailândia, por 2 a 1 no placar agregado e ficou com o caneco.

Em 2009, a final voltou a ser em jogo único - naquele ano, o sul-coreano Pohang Steelers foi campeão sobre o saudita Al-Ittihad no Estádio Nacional de Tóquio, no Japão -, fato que permaneceu até 2013, quando os jogos de ida e volta novamente tornaram-se critérios para definir o vencedor. O atual campeão é o Guangzhou Evergrande, da China, que conquistou a taça mais importante do continente pela primeira vez na história ao superar o FC Seoul, da Coreia do Sul, na regra do gol fora de casa (empate em 2 a 2 em Seoul e novo empate, desta vez por 1 a 1, em Guangzhou). O clube chinês também teve o artilheiro do certame: o atacante brasileiro Muriqui, com 13 gols.

O Guangzhou Evergrande, da China, foi o campeão da AFC Champions League no ano passado e tornou-se o segundo clube chinês a alcançar tal feito - o primeiro foi o Liaoning Hongyun, em 1990 (Foto: Reuters)

A Liga dos Campeões da AFC é dividida em oito grupos, do A ao H, cada um com quatro equipes. As líderes e vice-líderes de cada chave avançarão às oitavas-de-final. O mata-mata, incluindo a decisão, é composto por partidas de ida e volta.

GRUPO A

Al-Jazira (Emirados Árabes Unidos) 3 x 2 Al-Rayyan (Qatar)

O primeiro confronto entre equipes árabes da fase de grupos foi bastante movimentado. Nele, o Al-Jazira, dos EAU, saiu com a vitória diante do Al-Rayyan, do Qatar.

Os donos do Estádio Mohammed Bin Zayed saíram na frente já no primeiro tempo, com o atacante equatoriano Caicedo e o meia marroquino Barrada. Os gols foram marcados aos três e aos nove minutos, respectivamente. O meio-campista argentino Lucho González descontou para os visitantes aos 14 minutos do segundo tempo. Oportunista, o atacante Ahmed Al Ghilani entrou em campo aos 26 minutos da etapa final e, no minuto seguinte, balançou as redes e definiu a vitória do time da casa.

Ainda deu tempo de o nigeriano Kalu Uche assinalar o segundo gol da equipe do Qatar no último minuto.

Dois brasileiros estiveram em campo: o meia Jucilei jogou os 90 minutos pelo Al Jazira e o defensor Nathan Otávio, do Al Rayyan, foi substituído após o intervalo.

Esteghlal (Irã) 0 x 1 Al-Shabab Riyadh (Arábia Saudita)

O primeiro visitante a conquistar os três pontos foi o Al-Shabab Riyadh, da Arábia Saudita, que venceu os iranianos do Esteghlal, atuais campeões locais, em plena Teerã pelo placar mínimo. O gol da vitória foi marcado pelo atacante Imad Khalili aos 13 minutos do segundo tempo. Os mandantes pressionaram em busca de um resultado melhor, mas esbarraram na forte marcação adversária.

Três brasileiros participaram da partida jogada no Estádio Azadi: o meio-campista Tony entrou em campo pelo Esteghlal na segunda etapa, enquanto os também meio-campistas Fernando e Rafinha defenderam o Al Shabab.

GRUPO B

Al-Fateh (Arábia Saudita) 0 x 0 Bunyodkor (Uzbequistão)

O primeiro empate sem gols foi construído em território saudita. No Estádio Prince Abdullah bin Jalawi Sports City, em Al-Hasa, Al-Fateh e Bunyodkor, atuais campeões em seus países, não conseguiram balançar as redes e tiveram que se contentar com a igualdade no marcador.

O meia Élton, do Al Fateh, foi o único brasileiro presente nas quatro linhas.

El Jaish (Qatar) 0 x 0 Foolad Khuzestan (Irã)

Mais um marcador inalterado na rodada. Em Doha, capital do Qatar, o El Jaish dos brasileiros Anderson Martins, Nilmar e Wagner Ribeiro não saiu do zero contra o Foolad Khuzestan de Leandro Padovani e Leandro Chaves.

O amplo domínio dos mandantes não resultou em gols e os iranianos saíram de campo satisfeitos com o ponto conquistado.

GRUPO C

Tractor Sazi (Irã) 1 x 0 Al-Ittihad (Arábia Saudita)

Campeão das edições de 2004 e 2005 da competição continental e atual campeão da copa nacional, o Al-Ittihad estreou "com o pé esquerdo". Sucumbiu diante do Tractor Sazi, do Irã, no Estádio Yadegar-e-Emam.

Jogando diante de mais de 35 mil torcedores, os iranianos chegaram à vitória na raça. Com um jogador a menos desde os 15 minutos da segunda etapa - o meia Karimi foi expulso -, os anfitriões conquistaram o triunfo graças ao gol de Ansarifard aos 37 minutos. Sétimo colocado do campeonato iraniano depois de ter sido vice-campeão no ano passado, o Sazi se encheu de moral com esta vitória e ela serve para frear um pouco a fase turbulenta do clube.

Dois brasileiros foram relacionados para o duelo. No Tractor Sazi, Rodrigo Pimpão ficou no banco de reservas. No Al-Ittihad, que atualmente amarga a sexta colocação na liga de seu país, Leandro Bonfim atuou durante os 45 minutos iniciais.

Al-Ain (Emirados Árabes Unidos) 2 x 1 Lekhwiya (Qatar)

Mais um time do Qatar entrou em campo nesta quarta e, desta vez, não teve final feliz. O Lekhwiya duelou com o Al-Ain fora de casa e foi derrotado por 2 a 1.

A equipe dos Emirados Árabes Unidos, campeã da última edição da primeira divisão de seu país, balançou o fundo do barbante com o conterrâneo Diaky Ibrahim e o ganês Asamoah Gyan, velho conhecido do futebol italiano. O eslovaco Vladimir Weiss descontou para os visitantes.

GRUPO D

Al-Sadd (Qatar) 3 x 1 Sepahan (Irã)

A partida entre Al-Sadd, atual campeão da Liga das Estrelas do Qatar, e Sepahan, atual campeão da Hazfi Cup, disputada no Al-Sadd Stadium, em Doha, foi decidida nos instantes finais. Os mandantes saíram na frente com o atacante Khalfan Ibrahim aos 18 minutos do primeiro tempo, mas sofreram o empate aos 33 minutos da segunda etapa, com o também atacante Sharifi.

Aos 42 minutos, o lateral argelino Belhadj desempatou a peleja e a vitória foi confirmada pelo meio-campista brasileiro Rodrigo Tabata nos acréscimos, no 47º minuto. Duro golpe para os iranianos.

Al-Hilal (Arábia Saudita) 2 x 2 Al-Ahli Dubai (Emirados Árabes Unidos)

Bicampeão continental - conquistou a copa nos anos de 1991 e 2000 -, o Al-Hilal de Digão e Thiago Neves estreou diante de sua torcida, no Estádio Internacional Rei Fahd, contra o Al-Ahli de Grafite e Ciel. Os visitantes detinham o status de atuais campeões da Copa do Presidente.

Os sauditas não começaram bem no jogo que encerrou a rodada. Chegaram a sofrer uma desvantagem de 2 a 0, com os gols sendo marcados pelo chileno Luis Jiménez e pelo brasileiro Grafite, mas conseguiram diminuir o prejuízo. O atacante Nasser Al Shamrani balançou as redes duas vezes e fez o time da casa chegar à igualdade no placar diante de mais de 38 mil adeptos.

GRUPO E

Shandong Luneng (China) 1 x 1 Buriram United (Tailândia)

Emoção não faltou ao jogo de abertura da fase de grupos da AFC Champions League. OShandong Luneng, que conta com os atacantes brasileiros Vágner Love e Aloísio no elenco, além do técnico Cuca, ficou apenas no empate com o Buriram United, atual campeão da liga e da copa da Tailândia, em partida disputada no Luneng Big Stadion, na cidade chinesa de Ji'nan.

Os chineses abriram o placar com o meia Liu Binbin, que tinha acabado de entrar, aos 38 minutos da segunda etapa. Quando a peleja parecia estar definida, o meio-campistaKraisorn fez os visitantes chegarem ao empate nos acréscimos, com 46 minutos no relógio. O pênalti desperdiçado por Aloísio no início do segundo tempo, aos 12 minutos, fez falta.

Pohang Steelers (Coreia do Sul) 1 x 1 Cerezo Osaka (Japão)

Maior campeão do continente - conquistou a competição asiática em 1997, 1998 e 2009 - e atual campeão da K-League e da Korean FA Cup, o Pohang Steelers estreou tropeçando em casa. No Steelyard Stadium, ficou somente no empate em um gol com o Cerezo Osaka do uruguaio Diego Forlán.

O meia Kakitani fez 1 a 0 para os visitantes com 11 minutos de jogo. O Pohang precisou do oportunismo de Chun-Suk Bae, que balançou as redes aos 16 minutos do segundo tempo, para empatar. O atacante tinha entrado em campo há poucos minutos.

GRUPO F

Sanfrecce Hiroshima (Japão) 1 x 1 Beijing Guoan (China)

Atuais campeões da J-League, os japoneses do Sanfrecce Hiroshima tiveram a bola nos pés por mais tempo contra os chineses do Beijing Guoan, mas não conseguiram se aproveitar desta arma e iniciaram a ACL com um tropeço em sua casa, o EDION Stadium.

Os visitantes saíram na frente com Dae-Sung Ha aos 18 minutos do segundo tempo, mas cederam a igualdade no marcador aos 33 minutos, quando o lateral Kazuhiko Chiba se aventurou no ataque e fez o prejuízo do time da casa ser menor. O Beijing ainda teve um jogador expulso: o croata Darko Matic foi para o chuveiro mais cedo aos 45 minutos da etapa complementar.

FC Seoul (Coreia do Sul) 2 x 0 Central Coast Mariners (Austrália)

A primeira equipe a sair vitoriosa nesta fase de grupos da Liga dos Campeões da Ásia foi oFC Seoul, atual vice-campeão da ACL. O time da capital sul-coreana recebeu o Central Coast Mariners, da Austrália - geograficamente, a Austrália é da Oceania, mas a seleção e os clubes do país disputam competições asiáticas com o pretexto de evoluir o futebol em seu território -, no Estádio Copa do Mundo e venceu por 2 a 0, com um gol em cada tempo.

Cobrando pênalti, o zagueiro espanhol Osmar abriu o placar aos 33 minutos do primeiro tempo. Com 11 minutos da segunda etapa, o meia Il-Lok Yun confirmou a vitória da equipe que tem o brasileiro Rafael Costa em seu elenco. O atacante entrou em campo na segunda etapa. Marcel Seip, lateral holandês do Mariners, foi punido com o cartão vermelho aos 39 minutos do tempo complementar.

GRUPO G

Jeonbuk Motors (Coreia do Sul) 3 x 0 Yokohama Marinos (Japão)

Atual campeão da Copa do Imperador, o Yokohama Marinos teve uma estreia para se esquecer na AFC Champions League. Enfrentou o Jeonbuk Motors, campeão asiático em 2006, em Jeonju e acabou sendo derrotado por um expressivo placar de 3 a 0.

Os destaques da partida foram os meias Seung-Kin Lee, autor de dois gols, e Leonardo, autor de um gol e de uma assistência. O brasileiro entrou em campo no segundo tempo e "botou fogo" no jogo, ajudando sua equipe a conquistar os três pontos. Outro brazuca que esteve em campo foi o atacante Kaio Felipe Gonçalves, ativo nos 90 minutos.

Guangzhou Evergrande (China) 4 x 2 Melbourne Victory (Austrália)

Atual campeão da Liga dos Campeões asiática e da Super Liga chinesa e quarto colocado no último Mundial de Clubes da FIFA, o Guangzhou Evergrande dos brasileiros Elkeson e Muriqui teve trabalho para derrotar o Melbourne Victory em sua estreia.

Os australianos abriram 2 a 0 com um gol atrás do outro no primeiro tempo. O lateral chileno Contreras marcou o primeiro gol aos 36 minutos e, cinco minutos depois, o meia australiano Broxham ampliou a vantagem do plantel visitante.

Com 20 minutos do segundo tempo, o time chinês, comandado por Marcello Lippi, campeão mundial com a Itália em 2006, já havia chegado ao empate com Huang Bowen e Diamanti. No 26º minuto veio a virada, com Elkeson. A pressão continuou e o italiano Diamanti, a cinco minutos do apito final, foi às redes pela segunda vez, confirmando a vitória da equipe que também é líder absoluta da Super Liga chinesa - tem 77 pontos contra 59 do Shandong Luneng.

GRUPO H

Western Sydney (Austrália) 1 x 3 Ulsan Hyundai (Coreia do Sul)

Na partida que abriu a rodada desta quarta-feira (26), os sul-coreanos do Ulsan Hiunday foram à cidade australiana de Sydney e venceram os anfitriões com autoridade. Saíram atrás com apenas um minuto de jogo, quando o atacante Brendon Santalab fez 1 a 0 para o Western Sydney, mas não se abateram e conseguiram passar à frente no placar ainda no primeiro tempo.

Aos 35 minutos, o atacante Shin-Wook Kim instituiu a igualdade no marcador. Oito minutos depois, o meia Chang-Hyeon Ko assinalou o segundo tento dos visitantes. O zagueiro Min-Soo Kang deu números finais à partida no segundo tempo, ao fazer o 3 a 1 no 21º minuto.

O atacante brasileiro Rafinha, camisa 10 do Ulsan, esteve no time titular e foi substituído aos 33 minutos da etapa final.

Kawasaki Frontale (Japão) 1 x 0 Guizhou Renhe (China)

No Kawasaki Todoroki, o Kawasaki Frontale derrotou o Guizhou Renhe por 1 a 0. O gol da vitória veio logo no início da peleja, com o atacante brasileiro Renatinho.

Senhor do jogo, o Kawasaki desperdiçou boas oportunidades de confirmar o triunfo e não deixou o Ghizou, atual campeão da FA Cup da China, esboçar reação alguma. Outros dois brasileiros defenderam a equipe japonesa: o zagueiro Jéci e o meia Paulinho.

Fotos: Divulgação / AFC

VAVEL Logo