Atlético de Madrid sofre, mas vence PSV pelo placar mínimo em jogo de arbitragem polêmica

Em jogo de arbitragem confusa e com muitos erros para ambos os lados, a equipe comandada por Diego Simeone conseguiu a vitória fora de casa sobre o time treinado por Phillip Cocu, na Champions League

Atlético de Madrid sofre, mas vence PSV pelo placar mínimo em jogo de arbitragem polêmica
Foto: Emmanuel Dunand/Getty Images
PSV
0 1
Atlético de Madrid
PSV: Zoet; Brenet, Schwaab (Pereiro, min. 77), Isimat-Mirin, Moreno, Willems; Pröpper, Guardado, Hendrix (Ramselaar, min. 67); Narsingh (Bergwijn, min. 77), De Jong.
Atlético de Madrid: Oblak; Juanfran, Godín, Giménez, Filipe Luís; Gabi, Koke; Saúl (Fernando Torres, min. 76), Griezmann, Gaitán (Tiago, min. 60); Gameiro (Carrasco, min. 65).
Placar: 0-1, min. 43, Saúl.
ÁRBITRO: Martin Atkinson (ENG) - advertidos: Moreno (min. 21), Gabi (min. 30), Giménez (min. 45)

A Uefa Champions League começou para PSV e Atlético de Madrid na tarde desta terça-feira (13). Os clubes entraram em campo no Phillips Stadion em partida válida pela primeira rodada do Grupo D. A equipe espanhola venceu a partida pelo placar mínimo, com gol marcado por Saúl, no fim do primeiro tempo.

A derrota em casa deixa o PSV na 3ª posição do Grupo D, estando a frente apenas do FC Rostov, que perdeu para o Bayern Munich na Alemanha, por 5 a 0. Na segunda rodada da Champions League, os holandeses enfrentam o Rostov, na Rússia, no dia 28 de setembro. Pela Eredivisie, o time joga já neste domingo (18), contra o Feyenoord.

O resultado leva o Atlético de Madrid a vice-liderança do grupo. O time comandado por Diego Simeone briga pela liderança na próxima rodada da competição internacional contra o Bayern Munich, no estádio Vicente Calderón, no dia 28 de setembro. Pelo campeonato espanhol, a equipe entra em campo no sábado (17), recebendo o Sporting Gijón.

Espanhóis saem na frente em primeiro tempo de muita reclamação da arbitragem

A partida começou com a equipe do Atlético de Madrid melhor em campo, tendo mais posse de bola, trocando passes no campo ofensivo e tentando pressionar o adversário. O PSV encontrava dificuldades para ter uma boa saida de bola e armar jogadas, devido a marcação adiantada do time espanhol. No entanto, a primeira boa chance foi holandesa, com Luuk de Jong marcando, porém tendo seu gol anulado, por ter cometido falta de Moreno em Filipe Luis no começo da jogada.

Conseguindo aos poucos se livrar da marcação espanhola, a equipe do PSV começava a tomar o controle do meio-campo e consequentemente da partida, embora sem conseguir exercer uma pressão sobre o adversário. O time holandês chegou a reclamar de pênalti não marcado sobre Narsingh, em lance com Godín.

Passada a investida do PSV, o time do Atlético de Madrid voltou a controlar a partida no meio-campo, mantendo mais a posse de bola e tentando encontrar um espaço para criar lances de perigo. O time espanhol tinha dificuldades para furar o bloqueio holandês, principalmente porque Griezmann não parecia estar nos dias mais inspirados.

Melhores em campo, os espanhóis abriram o placar, aos 43 minutos, após cruzamento pela direita, a zaga do PSV afastou mal e a bola sobrou para Saúl bater de voleio, sem chances para o goleiro Zoet. O gol sofrido não abalou o PSV, que dois minutos depois teve um pênalti marcado, após Gímenez dar um carrinho na área e Narsingh se jogar. Na cobrança, Guardado bateu e o goleiro Oblak pulou no canto esquerdo para fazer a defesa, mantendo o Atlético de Madrid com a vantagem no primeiro tempo em Eindhoven.

Atlético de Madrid segura pressão holandesa e garante os primeiros três pontos na Champions League

Na etapa final, atrás no placar, o PSV voltou tentando impor uma postura mais ofensiva, buscando jogadas pelas laterais, apostando nos lances de velocidade com Narsingh. Porém, a equipe holandesa dava espaço para o contra-ataque do Atlético de Madrid, que por pouco não ampliou o placar, na finalização de Gameiro por cima do travessão, após a falha do zagueiro Schwaab.

Buscando igualar o placar, o time holandês seguia fazendo jogadas pelas pontas do campo e forçava os cruzamentos para Luuk de Jong dentro da área. A equipe espanhola continuava se aproveitando dos espaços, contra-atacando rápido e com muito perigo, pegando sempre a defesa adversária de surpresa, tendo boas chances com Griezmann e Gameiro assustando o goleiro Zoet.

Mantendo a posse de bola e trocando passes o Atlético de Madrid tentava acalmar o jogo e esfriar o time do PSV, que seguia atacando. A equipe da casa mantinha-se no ataque e novamente reclamaou de outro pênalti não marcado, após Godin usar a mão para evitar que Luuk de Jong cabeceasse para o gol, para desespero do atacante holandês.

Na parte final do jogo, a equipe holandesa seguia pressionando e colocando a defesa espanhola em dificuldades com jogadas pelas pontas e cruzamentos em direção à área, onde De Jong estava levando vantagem sobre a zaga, porém sem conseguir converter em gol. Se segurando como dava, o Atlético de Madrid não conseguia sair da pressão do adversário, porém o goleiro Oblak, assim como na etapa inicial, brilhou novamente e segurou o resultado para o time comandado por Diego Simeone.