Cristóvão Borges tenta reconstruir um Bahia em crise
Fora da Copa do Brasil, o time aposta todas suas fichas no nacional (Arte: Walter Paneque/VAVELcom)

Nome: Esporte Clube Bahia

Ano de fundação: 1931
Mascote: Super-Homem
Títulos: Campeonato Brasileiro - Séria A (1959 e 1988), Copa do Nordeste (2001 e 2002), Campeonato Baiano (1931, 1933, 1934, 1936, 1938, 1940, 1944, 1945, 1947, 1948, 1949, 1950, 1952, 1954, 1956, 1958, 1959, 1960, 1961, 1962, 1967, 1970, 1971, 1973, 1974, 1975, 1976, 1977, 1978, 1979, 1981, 1982, 1983, 1984, 1986, 1987, 1988, 1991, 1993, 1994, 1998, 1999, 2001 e 2012)
Campanha em 2012: 16º Lugar - Série A
Expectativa: vaga na Sul-Americana
Título estadual e alívio na luta contra o rebaixamento
Sem muitas mudanças em comparação ao ano de 2011, o Bahia entrava em 2012 com um elenco entrosado e competitivo. Prova disso é que o título baiano não caiu em mãos tricolores por acaso. Com uma campanha impecável, a 44ª conquista, dessa vez em cima do Vitória deu um sabor a mais para o inicio de ano. Mas a partir do meio do ano, diversas contratações tubulentas feitas pela diretoria movimentaram e esquenteram o ambiente tricolor, a crise tomou conta do elenco e a equipe quase foi rebaixada no Brasileirão, se safando apenas na última rodada e na 16ª colocação.
Vice Estadual com direito a crise
A crise conquistada em 2012 parece não ter se encerrado em 2013. Com um panorâma atípico, o Bahia entrou no campeonato estadual fazendo jogos abaixo da média. Entretanto, o maior ponto não se trata do péssimo futebol apresentado, e sim, das goleadas sofridas para o Vitória na primeira fase e na final. Derrotado por 5 a 1 e 7 a 3, o Bahia viu sua torcida se unir em prol de uma petição pública para depor o presidente do clube. Jorginho foi demitido e Cristóvão Borges terá de assumir a responsabilidade de colocar o clube novamente no eixo.
Promessa de uma equipe equilibrada
Com a mudança no comando técnico e do gestor de futebol do clube, o Bahia ainda procura uma formação ideal. Cristóvão Borges, novo técnico do clube, promete formar uma equipe equilibrada mesclando um meio-campo de forte marcação e de ligações rápida com o ataque. O novo treinador também solicitou novas contratações para fechar o elenco e, de acordo com o primeiro treino técnico, os laterais terão mais liberdade para jogar.
Elenco experiente e apostas na base
Com vários jogadores experientes e de boas passagens por diversos clubes no Brasil, o Bahia carrega consigo o problema da idade. Muitos já não dão conta o peso técnico de uma temporada futebolísticas e acabam por cair de rendimento no decorrer a temporada. Contraponto a isso, a aposta Baiana é na divisão de base. Jogadores como Anderson Talisca vão ganhando cada vez mais espaço no elenco principal da equipe e são a grande esperança para dias melhores no tricolor.
Goleada história e campanha 'Público Zero'
Dois fatos marcaram o inicio de temporada do Bahia. Negativamente, a goleada para o Vitória por 7 a 3 na final do campeonato estadual quebrou um jejum. Faziam 67 anos que o Bahia não perdia para o seu maior rival por uma quantidade tão elevada de gols. Decorrente a isso, a torcida criou a campanha 'Público Zero - Bahia da Torcida', onde a torcida, que já clamava pela deposição de seu atual presidente, mostrou que o clube precisa de sua torcida ao lado. No jogo em questão, o tricolor foi derrotado pelo Luverdense e acabou eliminado da Copa do Brasil.
VAVEL Logo