Chamado de Yaya Touré, Rodrigo Souza segura R10 e ganha elogios do treinador
Rodrigo Souza minimizou disputa com Ronaldinho Gaúcho em que foi atingido no rosto pelo meia (Foto: Alexandre Guzanshe / EM / D.A Press)

A missão não era a das mais fáceis. Jogar o primeiro clássico, sua segunda partida pelo Cruzeiro, no campo do adversário, temido por muitos e marcando nada menos que Ronaldinho Gaúcho, duas vezes eleito o melhor jogador do mundo.

Com Lucas Silva vetado, Rodrigo Souza foi o escolhido pelo técnico Marcelo Oliveira para a função de marcar Ronaldinho Gaúcho no clássico desse domingo, no Independência. E ganhou elogios do treinador após o empate sem gols entre Cruzeiro e Atlético.

Quando chegou à Toca da Raposa II, ele logo foi chamado de Jon Jones, por uma possível semelhança física com o lutador de MMA. Mas bastaram alguns treinos para os companheiros de Cruzeiro arrumarem outro apelido para o volante Rodrigo Souza: Yaya Touré. A ótima atuação no clássico, quando foi eleito por muitos o melhor em campo, e se saiu bem no duelo contra Ronaldinho Gaúcho, anulando completamente o R10 do jogo, permitiu ao volante celeste honrar a comparação com o marfinense do Machester City (ING).

“O Tinga sempre me chama assim, de Yaya. Mas é coisa boa. Quando é coisa boa não tem problema não.”, disse Rodrigo.

Rodrigo ficou surpreso quanto a titularidade no clássico contra o Atlético-MG, já que Lucas Silva foi vetado, e Henrique seria o próvavel substituto. 

“Eu não sabia que o Lucas não ia jogar. Fiquei meio surpreso, um pouco ansioso, até por que era um clássico. Mas sabia da responsabilidade, que uma oportunidade dessa não aparece toda hora. Felizmente fui bem na parte defensiva ali e espero mostrar cada vez mais.”, disse o volante.

E não foi só a boa atuação no clássico, que deixou Rodrigo Souza satisfeito. Além disso, Rodrigo Souza não escondeu a idolatria por Ronaldinho, com quem trocou camisa no intervalo do clássico.

“Troquei. É um ídolo. Joguei em 2012 contra ele, quando ele estava no Flamengo, tentei pegar a camisa, mas não consegui. Agora tive a oportunidade de jogar contra ele novamente e pegar a camisa dele.” observou Rodrigo.

Rodrigo Souza também ganhou bastante elogios do técnico Marcelo Oliveira.

“Foi um jogador que a gente tinha confiança muito grande, passei tranquilidade assim para ele na semana. Hoje, ele tinha que ficar um pouco mais preso, proteger mais, para pegar o Ronaldinho. O Ronaldo enfiou uma ou outra bola, pela sua qualidade, mas na maioria do tempo, o Rodrigo esteve próximo e quase fez na frente no final da partida. Ele é um atleta dedicado, vai crescer mais ainda e ganhou espaço bom com a gente hoje.”, exaltou Marcelo.

Aos 26 anos, Rodrigo tem a grande chance da carreira. Após passar por várias equipes pequenas do Rio de Janeiro e se destacar pelo Boa Esporte, na série B do ano passado, o volante tem no Cruzeiro o primeiro clube grande grande da sua carreira. Após chegar como uma aposta, um jogador para compor grupo, Rodrigo Souza mostrou que deve ser um concorrente direto do titular Nilton.

“É um grupo grande e forte. Todos estão tendo oportunidade. Vamos ver o que vai acontecer, se o Marcelo vai manter o não. Tem que dar continuidade para, quando a oportunidade aparecer, estar bem para jogar. Brigar por posição todo mundo briga. Quero primeiro arrumar meu lugar no grupo, e aos pouco venho conquistando..”, concluiu Rodrigo.

VAVEL Logo